Revelando, imortalizando histórias e talentos
15.5.12

Encontramos atriz Liza Vieira participando de Leitura de Texto. Na telinha era escalada para papéis de moças de família e no cinema mexeu muito com o imaginário masculino em filmes eróticos

 

 

 

 

No alto: Lucienne Cunha, Liza Vieira à frente elenco/AgênciaFM

 

 

Atriz Liza Vieira participa de leitura de texto nesta segunda-feira,14, no Cineclube Biroska. O texto inspirado em Beckett do autor Luís Márcio Arnaut sob direção de Valdir Ramos, teve início às 20h30 e se estendeu até aproximadamente 22h00. Como de costume, após a leitura o público trava um debate sobre o texto apresentado. "Quando chegar a primavera", teve alguns momentos pouco delicados para com o autor. A leitura feita por Liza Vieira, Lucienne Cunha, Talita Hunter, Cristiane Marques e Débora Muniz e participação especial de Lu Pimentel, foram aplaudidas de pé no final. Entretanto, um momento de sinceridade ou infelicidade do autor, que disse jamais ter lido ou assistido Beckett, o caldo entornou para seu lado. Foi uma enxurrada de análises, em sua maioria desfavoráveis ao conteúdo do texto de Arnaut, que é autor de quatro livros.

 

 

 

 

Foi uma saia justa para o autor que ficou em certos momentos em posição desconfortável. Porém, a leitura foi um sucesso quanto ao talento das atrizes com boa expressão, velocidade certa de leitura. O texto de Arnaut tinha como inspiração o teatrológo Inglês Beckett, e segundo ele trata-se de um material psicografado, dai o cunho espírita de sua obra. No final, a estrela das telenovelas brasileira, Liza Vieira, recebeu a AgênciaFM para uma pose exclusiva, e vai para a coluna "Procurando Tú".

 

 

 

 

 

Liza Vieira é paulistana e nasceu em 18 de setembro de 1949. Sua carreira começou ainda quando era estudante. Sua estreia aconteceu na TV Tupi na novela "Camomila e Bem-Me-Quer"(de Ivani Ribeiro). De 1972 a 77 participou de "Mulheres de Areia". Em 1975 - Um Dia, o Amor, O Velho, o Menino e o Burro, e Um Sol Maior, 1977, todas na TV Tupi.

 

Liza Vieira, uma das musas dos 80/AgênciaFM

 

 

 

 

 

A atriz passou a atuar na vênus platinada, a Rede Globo, de 1978 a 1986 onde fez "A Sucessora" e interpretou Adélia Figueira, foi a Ieda em " Coração Alado", 1980. Em 1981, "O Amor É Nosso" em papel marcante como Suzana, "Sétimo Sentido" de 1982, cuja personagem era Érica Rezende, mais um trabalho que marcou sua passagem na Globo. Sua última novela na Globo foi em 1986, "Selva de Pedra", na pele de Clarice.

 

 

Em 1989 vai para o SBT onde faz "Cortina de Vidro", e atuaria na record em quatro novelas "Direito de Vencer' e "A filha do demônio", em 1997, "Alma de Pedra", 1998, e "Marcas da paixão", 2000. Em 2007, retorna ao SBT e faz "Maria esperança".

 

Cinema

 

 

 

Liza Vieira aos 15 anos

Sua estreia no cinema aconteceu em 1974 em comédias picantes. "Pensionato de Mulheres" (Clery Cunha), de 1974, foi seu primeiro longa metragem. Na sequencia "O Super Manso", "O Mulherengo" , "A Noite dos Duros" e "O Inseto do Amor" (de Fauzi Mansur). Depois trabalharia com outros diretores exemplo Ody Fraga, Fauzi Mansur, José Miziara e Adriano Stuart.

 

Atuou também sob a direção de Walter Hugo Khouri em "Paixão e Sombras", e em "Contos Eróticos", filme em episódios dirigido por Eduardo Escorel, Roberto Palmari, Roberto Santos e Joaquim Pedro de Andrade. Fez também "A Noite das Fêmeas"; "Ato de Violência" e "As Amantes de um Homem Proibido".

 

Teatro

 

Já no teatro, Liza Vieira participou do espetáculo "Trair e Coçar é só Começar" e "Laços Eternos". Em 2008, estreou o "O Riso é Nosso", um show de humor, relembrando os tempos dourados das radionovelas e o Teatro de Revista. A atriz foi casada com Adriano Stuart e tiveram dois filhos. (Formas&Meios Comunicação).

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:11  comentar

Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

17

20

28
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO