Revelando, imortalizando histórias e talentos
3.5.17

Boris Paul Vian foi aquilo que se chama de um Polimata: ator, diretor teatral, cineasta e escritor e crítico de jazz e engenheiro. Sua obra-prima "A Espuma dos Dias" é um marco na literatura francesa.

Jornalista Francisco Martins mostrando 
a obra-prima literária de Bóris Vian 
"A Espuma dos Dias"

 

 

Nascido em Ville-d'Avray, 10 de Março de 1920 - em Paris, tem sua identidade ligada com o movimento surrealista e ao anarquismo enquanto filosofia política. Nos dias atuais é lembrado pelos seus romances e canções. O Seu estilo caracterizou-se por ser altamente individual, com numerosas palavras inventadas e enredos surrealistas passados sempre num universo muito próprio do autor. Como exemplo, o seu romance Outono em Pequim não se passa nem no Outono nem em Pequim!

 

Para além da sua veia literária 

 

Bóris Vian foi também um membro muito influente no Jazz francês, servido de elemento de ligação em Paris de Hoagy Carmichael, Duke Ellington e Miles Davis. Escreveu inúmeros artigos para as revistas de Jazz Le Jazz hot e Paris Jaz e até mesmo em revistas norte-americanas da especialidade.

 

Escreveu muitas canções que alcançaram e continuam a alcançar uma grande notoriedade fazendo hoje parte do património cultural francês como Le Déserteur, La Java des bombes atomiques. Chegou a ter uma banda Jazz formada por si e pelos seus dois irmãos que tocava no famoso clube de Jazz do Quartier Latin Le Tabou. Vian foi o responsável pelo lançamento de vários interpretes da canção Francesa, nomeadamente Serge Reggiani e Juliette Gréco.

 

Filho de Paul Vian, um Jovem rendeiro e Yvonne Ramenez, pianista e harpista amadora. Do seu pai, ele herdou a desconfiança pela Religião e o Exército e o amor pela vida Boémia. Boris foi o segundo de 4 irmãos; os outros eram Lélio (1918), Alain (1921-1995) e Ninon (1925). A família vivia na vivenda Les Fauvettes O nome Boris não indica qualquer ascendência russa; foi o nome escolhido por Yvonne, que era uma grande melómana clássica, após ter visto uma encenação da Ópera de Mussorgsky, Boris Godunov.

 

Estudos \ música

 

Entre 1932 a 1937, Vian estudou no Liceu Hoche em Versalhes. EM 1936, ele e os seus irmãos começaram a organizar festas-surpresa. Estas festas tornaram-se na base das suas primeiras novelas como Trouble dans les Aindains (1943) e Vercoquin et le plâncton (1943-1944. Foi também em 1936 que Vian se interessou pelo Jazz. No ano seguinte começou a tocar trompete e juntou-se à orquestra do Hot Clube de França. Em Paris, Vian envolveu-se completamente no mudo do Jazz, tendo em 1939 ajudado à organização do segundo concerto de Duke Ellington em França.

 

Em 24 de Agosto de 1942, Vian foi admitido como Engenheiro na Associação Francesa de Normalização – AFNOR. Por este facto Vian e Michèle mudaram-se para Paris e fixaram residência no 10˚ Distrito. Nesta altura, Vian era já um trompetista reconhecido e em 1943 escreve a sua primeira novela Trouble dans les andains, que apenas será publicada após a sua morte em 1966. Também em 1943 publicará, sob o pseudónimo de Bison Ravi (Anagrama de Boris Vian) o seu primeiro poema no Boletim do Hot Clube de França.

 

Em 1944, Paul Vian foi assassinado em casa por um ladrão que nunca seria capturado, em 3 de junho de 1959 (39 anos). 

link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 22:08  comentar

Maio 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
17
20

25
26

28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds