Revelando, imortalizando histórias e talentos
9.8.14

O filme “Vestido para Casar” que estreia nos cinemas do Brasil nesta quinta-feira, 7, é uma comédia de erros estrelada por Leandro Hassum. O longa traz as várias confusões em que Fernando (Hassum) se envolve no dia de seu casamento. A principal delas gira em torno de um vestido rasgado, que precisa urgentemente de conserto.

 

O filme de Gerson Sanginitto reúne todos esses elementos tidos como fundamentais, desde os roteiristas do “Zorra Total”, Claudio Torres Gonzaga e Celso Taddei, até o elenco com nomes consagrados, como Tonico Pereira.

 

Na verdade, o filme é a mais recentemente fórmula que parece ser a seguinte: utilizar um humor de apelo mais visual, multiplicado por velhos estereótipos, somando-se a isso a linguagem, a estética e um elenco televisivo. O elenco traz também Fernanda Rodrigues, Renata Dominguez, Marcos Veras. 

-----------------------------------------
 

Documentário de Jorge Furtado discute sobre os critérios, falhas e importância da imprensa no Brasil

 

 

Muito original, o cineasta Jorge Furtado foi buscar inspiração em uma peça teatral da Inglaterra elisabetana do século 17 um paralelo para estabelecer uma perspectiva histórica para a aguçada discussão sobre critérios, falhas e importância da imprensa no Brasil em seu novo documentário, “O Mercado de Notícias”. O filme está em exibição em dez cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Salvador, João Pessoa, Santos e Juiz de Fora.

 

A peça  “O Mercado de Notícias”, de Ben Jonson (1572-1637) -, que surge no mesmo momento histórico em que começam a circular os primeiros jornais. Já ali se estabelecem os desafios da própria atividade, a partir da constatação de que não há fatos brutos na natureza. Todo e qualquer acontecimento, então, é passível de seleção, análise, interpretação. Portanto, também de erros jornalísticos.

 

Dentro dessa discussão, o documentário debate a própria essência do jornalismo, ou seja, a obrigação de escolher o que publica ou não, o que cobre ou não, a necessidade de encontrar a novidade, de revelar histórias, equilibrando essa urgência com outra, não menos crucial: a da própria sobrevivência econômica e comercial. Um aspecto que leva alguns a apostarem no sensacionalismo e, em última análise, no antijornalismo, para garantir altas tiragens e grandes receitas publicitárias.

 

Saindo de um modelo de documentário dependente exclusivamente de entrevistas, Furtado intercala as conversas com treze experientes jornalistas brasileiros com trechos de uma encenação da própria peça, a partir de uma tradução feita por ele mesmo e pela professora Liziane Kugland. O recurso permite uma certa leveza, porque permite a inserção de comentários cínicos pertinentes aos tópicos em debate. Muito bom, coerente. 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 01:02  comentar

Agosto 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
15

17
18
20
22

24
26
27
29

31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO