Revelando, imortalizando histórias e talentos
20.5.14

Evento faz parte da Pílula de Cultura Feira Preta e  tem o objetivo de refletir a atual produção cultural afro brasileira

 

 

SÃO PAULO (SP) BRASIL - Provocar reflexões sobre qual é o espaço da cultura negra na cidade de São Paulo, formar público para o consumo dessas produções e perceber qual é a real visibilidade que estas artes têm em relação à mídia e ao mercado cultural. Este é o principal objetivo da PÍLULA DE CULTURA FEIRA PRETA 2014, uma parceria entre o Instituto Feira Preta o Centro Cultural São Paulo que volta neste ano com uma série de eventos denominados Panorama das Artes Negras: Ausências e Presenças. De maio a outubro os encontros reunirão especialistas, profissionais e artistas que discutirão o atual momento das mais diversas manifestações culturais sob o ponto de vista da arte negra. Dia 25 de maio de 2014, a partir das 15h, no Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000 – Sala Adoniran Barbosa) acontece o primeiro encontro e a pauta principal é a Literatura.

 

Esta Pílula de Cultura é voltada para estudantes, acadêmicos, pesquisadores, artistas, profissionais da mídia e do mercado cultural e interessados, além de produtores da cena cultural e de todos que queiram ou têm interesse na temática. O evento é constituído de dois momentos: no primeiro uma mesa de debate com reflexões profundas acerca da linguagem artística do mês onde cada convidado acrescenta ao assunto seu ponto de vista e aspectos relacionados às suas pesquisas. No segundo, apresentações artísticas da linguagem discutida no evento.

 

Após seis anos de realização as Pílulas de Cultura aprofundam as reflexões a respeito da produção cultural negra, traçando um panorama da cadeia de produção de linguagens como teatro, dança, artes visuais, literatura e música, levantando importantes questões: onde estão estas produções? Quem está realizando? Quando elas acontecem? De que forma ou formato são criadas? Que tipo de público está atingindo? Que espaços esta arte está ocupando e porque? Qual a sua visibilidade em mundo cercado de estereótipos e pré-conceitos?

 

“É fato que o panorama nas artes negras existe. O projeto é uma tentativa de torná-lo mais visível, aos olhos dos produtores e de toda a sociedade, porque por mais que a cultura oriunda da população negra seja a base da nossa sociedade, ela não tem o destaque que merece, assim como a sua própria população”, explica Adriano José, um dos produtores da Pílula. Ao final de cada etapa do evento uma publicação exclusiva será produzida para servir de referência e fruto de pesquisas sobre o assunto. Durante o evento haverá uma Feira de livros com selos, livros e editoras de Literatura para exposição e venda.

 

Programação Panorama das Artes Negras:

Tema: Ausências e Presenças na Literatura

 

15h30 às 18h - Roda de Conversa – Tema: Qual é o Panorama das artes Negras: Presenças e Ausências na Literatura

 

Debatedores

 

Mediação da mesa: Alexandre Bispo

Mestre  em  Antropologia  Social  pela  FFLCH  /  USP  e  cientista  social  pela  mesma  universidade,  é arte crítico, curador e pesquisador

 

Mário Augusto Medeiros da Silva

 

Instituto  de  Filosofia  e  Ciências  Humanas  da  Unicamp. Realizou a tese de doutorado “A descoberta do insólito: literatura negra e literatura periférica no Brasil (1960-2000)” Ele estudou escritores brasileiros que se auto referenciam como negros ou periféricos, destacando o período entre a década de 60 e 2000. Mário aborda o processo produtivo desses escritores, as dificuldades de publicação e as possíveis relações com movimentos sociais.

 

Fernanda Rodrigues de Miranda

 

Mestre pela Faculdade  de  Filosofia,  Letras  e  Ciências  Humanas  com  o  estudo “Os caminhos literários de Carolina Maria de Jesus: experiência marginal econstrução estética”.

 

 

 

Elizandra Souza

 

Jornalista , escritora  do  livro PUNGA (co-autoria com Akins Kintê) e Águas da Cabaça. Fundadora do Coletivo MJIBA, editora da Agenda Cultural da Periferia e locutora da Rádio Heliópolis. Refletirá sobre a escrita das mulheres negras nas periferias de São Paulo, partindo da sua experiência de 10 anos dentro do cenário da cultura de periferia e da literatura negra até a organização da Antologia Pretextos de Mulheres Negras, que reúne  o trabalho poético de 22 mulheres negras.

 

Vera Lúcia Benedito

 

É mestre  e  doutora  em  Sociologia  e  Estudos  Urbanos  pela  Universidade  Estadual de Michigan, nos EUA.  É  também  pesquisadora  na  área  de  relações   étnicorraciais, movimentos  sociais estudos da Diáspora Africana em projetos independentes. Vera Lúcia traz à discussão aspectos a respeito do mercado editorial e suas possibilidades.

 

 

Fernanda Felisberto

 

É doutora em Literatura Comparada pela UERJ e proprietária da Livraria KITABU, que tem a missão de divulgar e fortalecer as produções literárias ficcionais e não-ficcionais voltadas ao universo africano, afrodescendente e, em especial, afro-brasileiro.

 

.

Encontro de Literatura e Poesia

Das 18h às 19h30 h

 

Akins Kintê

 

É autor de livros de poesias e coletâneas literárias como Punga (2007) e Prosa e Poesia Periférica (2008). No cinema dirigiu do curta-metragem Vaguei nos livros e me sujei com a m... toda (2007) e o documentário Várzea a bola rolada na beira do coração (2010). Na música, recentemente participou do elogiado disco de estreia do grupo paulistano Aláfia. É conhecido por sua poesia gingada e pela maliciosa teatralidade das suas declamações.

 

Poetas Ambulantes – Coletivo de Literatura e Poesia

 

Inspirado nos vendedores ambulantes que circulam dentro dos coletivos oferecendo suas mercadores, os Poetas Ambulantes oferecem aos passageiros poesia falada e escrita, em troca apenas de atenção, emoção e interação. A cada mês os Poetas traçam um itinerário diferente sempre em direção a alguma atividade cultural da cidade de São Paulo, percorrendo diversas linhas de ônibus, trens e metrô, declamando e entregando poemas de própria autoria e de autores consagrados.

 

 

 

 

Sarau Elo da Corrente

 

O Coletivo  Literário  Sarau  Elo  da  Corrente  está  localizada  no  bairro  de  Pirituba.  O  sarau, realizado no bar do Santista, é um espaço de encontro da comunidade em torno da literatura, fomentando a produção de conhecimento oral e escrito. Tem  como  objetivo  construir,  de  forma  participativa,  referências  positivas  sobre  o  bairro,  abrindo  um espaço de livre expressão, produção cultural e registro dessa produção.

 

Quilomboje Literatura

 

Grupo  paulistano  de  escritores,  foi  fundado  em  1980  por  CUTI,  Oswaldo  de  Camargo,  Paulo  Colina, Abelardo  Rodrigues  e  outros,  com  objetivo  de  discutir  e  aprofundar  a  experiência  afro-brasileira na  literatura.  O  grupo  tem  como  proposta  incentivar  o  hábito  da  leitura  e  promover  a  difusão  de conhecimentos e informações, bem como desenvolver e incentivar estudos, pesquisas e diagnósticos sobre literatura e cultura negra.

 

Pílulas de Cultura Feira Preta

Panorama das artes Negras: Ausências e Presenças na Literatura

 

Dia: 25 de Maio de 2014

 

Horário: Das 15h às 20h

 

Local: Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 1000 - Sala Adoniran Barbosa

 

Entrada Franca

EDITORIAS:
Home:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:06  comentar

Maio 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

13
17

19
21
23

25
26
27
30


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO