Revelando, imortalizando histórias e talentos
17.10.11

Artista multifacetado, Luiz Lugado levou seu talento a  várias frentes culturais além de atuar. Cantou, declamou o enigmático poeme Flôr de Maracujá" e dirigiu a programação cultural do Salão Paroquial. Sua importância fica ainda mais evidênciada cada página folheada. Apreciem.

 

 

 

 

Falar deste lado bom de Luiz "Gigio" Lugado, um verdaderio polimata, é sempre uma honra para AgênciaFM e Formas&Meios, que trazem a público mais uma parte relevante em seu currículo. Desta vez, abordando o lado de produtor cultural e de autor de esquetes e textos para teatro. Um perfil feito de talento e versatilidade deste multifacetado artista na essência da palavra.

 

Durante vários anos Luiz Lugado desempenhou função importante nas reuniões do Salão Paroquial sendo o responsável pela programação cultural do Círculo Operário Ipiranga, na Rua Brigadeiro Jordão, 598, Ipiranga, zona sul da cidade de São Paulo. "Gigio", com sua simpatia comandava a parte artística e recreativa do espaço. Na programação não podiam faltar o Hino Nacional Operário, sorteios de cestas de natal entre outras.

 

 

 

 

No encerramento do Ano Cívico, em 28 de dezembro de 1949, apresentou no Cine Paroquial sua tradicional programação e ouviu " Para findar, foi levado a feito, sob competente direção do Sr. Luiz Lugado, diversos Cantos, Esquetes (sketes), recitativos que muito agradaram a numerosa assistência" diz jornal Folha do Ipiranga. 

 

 

 

 

 

Luiz era o cara do momento. Na Diplomação de Turma da Escola de Corte, Costura, Bordado e Flores, de 22 de fevereiro de 49, tendo como paraninfo da turma o deputado federal Alves Palmas e esposa, foi ele, o Luiz Lugado que lá estava novamente para apresentá-los. 

 

 

 

Ao lado de sua irmã Luzia, criou  o quadro competição musical , e ai, dando seus primeiros passos como autor. A comédia "Aconteceu por falta de ônibus", foi sua primeira experiência, levada ao palco do Salão Paroquial com relativa aceitação. Além dele, atuaram sua irmã Luzia, Judith Alberti, Nelson Gonçalves e João Rosa.

 

 

 

Confiante pela receptividade de seu esquete, partiu para um texto mais consistênte, uma peça de variedades com teor caipira " Juventude Alegre", apresentada no Teatro Guarani, onde trabalharam Nelson Gonçalves, Iesa Carvalho, Olga de Barros e Pelegrino, Luiz Lugado acumulou função de ator e diretor-geral. Na parte técnica, Wagner P. Neto como assistênte, contra regra, Dilson e na direção musical Vital Mancini. * Todo materiaçl utilizado faz parte do álbum teatral do ator doado para Formas&Meios.

 

(Francisco Martins - publicação impressa ou web: prévia autorização. agenciafm@gmail.com ).

 

 

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:31  comentar

Outubro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12

19

27
29

31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO