Revelando, imortalizando histórias e talentos
26.8.12

Morre comandante da Apollo 11, aos 82 anos






Morreu neste sábado,25, o primeiro homem a pisar na Lua, Neil Armstrong. Ele tinha sido submetido a uma cirurgia no coração no começo deste mês para desobstruir artérias.



Armstrong em 1969\Foto: Nasa


 

Toda sua infância foi passada onde nasceu Ohio (Nordeste dos Estados Unidos), em 5 de agosto de 1930. Seu pai trabalhava para o governo americano, o que fez a família se mudar diversas vezes, de acordo com os novos postos para os quais ele era promovido. Armstrong voou pela primeira vez quando tinha seis anos, na companhia de seu pai, e desenvolveu a partir daí uma paixão que duraria por toda a sua vida. Tinha como herói Charles Lindbergh (um aviador americano) e aos 16 anos, mesmo antes de poder dirigir carro, ele já pilotava. Pilotou em missões de combate durante a Guerra da Coreia, foi piloto de teste e astronautas da Nasa, agência espacial norte-americana, no ano de 1962.

 


Neil Armstrong foi o primeiro homem a pisar na superfície da lua, em 20 de julho de 1969, e sua frase ficou famosa "Esse é um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade".


No momento que pisou o solo lunar seu pulso estava em 150 batimentos por minuto enquanto dirigia o módulo até a superfície da lua, informações do sitio da Nasa. A mais saliente cratera encontrada naquele momento foi batizada em homenagem a Armstrong, e  está cerca de 48 quilômetros do local de aterrissagem da Apollo 11. Missão cumprida,  Neil Armstrong  ganhou um emprego no escritório na Nasa, e chegou ao posto de  vice-administrador-adjunto para aeronáutica na agência. Ninguém voltou a pisar na Lua após 1972. Para muitas pessoas hoje, a ideia de pousar na Lua novamente foi superada pelas perspectivas de missões em Marte ou locais mais distantes.

 

 


Corvette 1967, propriedade de Neil Armstrong


Curiosidades


No ano de 2005, Armstrong ficou muito aborrecido ao saber que seu barbeiro havia vendido fios de seu cabelo para um colecionador por 3.000 dólares. Armstrong procurou o comprador de suas 'madeixas', porém o homem não quis devolvê-los, alegando ser colecionador cujo acervo incluía cachos de Napoleão, Abraham Lincoln, Albert Einstein e Marilyn Monroe por exemplo.

 


Sujeito pacato e solidário, topou fazer um  comercial para a fábricante de automóveis Chrysler " Fiz a propaganda por causa da história de engenharia da Chrysler e também porque sei que estava com problemas financeiros", disse Armstrong.(Francisco Martins - David Sanchez )



EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:10  comentar

Agosto 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
17

20
22

27


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO