Revelando, imortalizando histórias e talentos
1.3.13

15 tradutores: 'banho de cultura', no Brasil


Fachada / Biblioteca Nacional

Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, traz 15 tradutores que traduzirão 14 obras brasileiras para seus idiomas nativos. A ideia do programa é: dar um banho de cultura.
Participarão nomes importantes como o tradutor americano Clifford Landers, o espanhol Pere Comellas e a alemã Wanda Jakob entre outros. A poetisa Hilda Hilst, Deonísio da Silva, Nelson Rodrigues, José Lins do Rego estão entre os que terão livros traduzios. Dois tradutores cuidarão de O Arquipélago, obra de Érico Veríssimo.
Programa
Subsidiado por um orçamento de R$ 154 mil do Ministério da Cultura, o programa, que tem duração mínima de cinco semanas, financia a estada dos tradutores em três cidades-sedes: Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis, e conta com o apoio de centros linguísticos locais. Para cobrir as despesas com passagens aéreas, transporte, hospedagem e alimentações, cada um dos 15 tradutores recebeu uma bolsa que varia de R$ 7 mil a R$ 11 mil e poderão viajar para outros locais do Brasil, mas obrigatoriamente, terão de passar por uma das três cidades-sedes para assistir a um ciclo de palestras nas instituições parceiras da Biblioteca Nacional.
 
Segundo Selvatici, a comissão julgadora, formada por cinco pessoas, entre membros da FBN e das instituições parceiras, recebeu inscrições de 18 tradutores, das quais selecionou 15. Como pré-requisito para concorrer ao programa, os tradutores tiveram que propor obras que já tinham começado a traduzir - e que estavam, portanto, com lançamento previsto por alguma editora no exterior. Ao todo, são 14 livros, uma vez que dois tradutores estão traduzindo a mesma obra: O Arquipélago, de Érico Veríssimo, devido à sua complexidade.
 
Entre os critérios analisados, avaliou-se, entre outros fatores, a dificuldade linguística da tradução, o currículo do tradutor, a relevância da obra para a promoção e divulgação da cultura e da literatura brasileira no exterior e o plano de trabalho e a pesquisa necessária para a conclusão do projeto. Além do programa de residência a tradutores, a Biblioteca Nacional também investe em outras frentes. Uma delas é a concessão de bolsas de até a US$ 8 mil (R$ 16 mil) para a tradução de obras brasileiras no exterior. Desde 1991, 400 bolsas já foram concedidas. O programa tem como coordenadora, Carolina Selvatici.

Obras que serão traduzidas
Cartas de um sedutor - de Hilda Hilst
A mulher dos sonhos, - de Aleilton Fonseca
Agosto, - de Rubem Fonseca
A vida como ela é, - de Nelson Rodrigues
O Diário da Queda, - de Michel Laub
Lotte & Zweig, - de Deonísio da Silva
Antologia de Poesia Brasileira Vol. 1 (vários autores)
Dom Casmurro, - de Machado de Assis
Se eu fechar os olhos agora, - de Edney Silvestre
Fogo Morto, - de José Lins do Rego
O Arquipélago, - de Érico Veríssimo
Os Espiões, - de Luís Fernando Veríssimo
A Obscena Senhora D., - de Hilda Hilst
A guerra dos bastardos, - de Ana Paula Maia
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:42  comentar

De:
Anónimo

Data:
5 de Março de 2013 às 19:20


Março 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15

17
19
21
23

25
26
27
28

31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO