Revelando, imortalizando histórias e talentos
7.8.06

Recusado pela Academia de Belas Artes, mas, fora recebido como discípulo de Arturo Dazzi, o mais famoso escultor italiano naquele momento.

O escultor Victor Brecheret tem um papel diferenciado e fundamental no Modernismo Brasileiro. Juntamente com Anita Malfatti, é figura importante do período do Modernismo. Porém sua contribuição não pára por aí , ele se destacou nos anos 20 e 30 como artista da Escola de Paris e nas décadas de 40 e 50 no cenário artístico de São Paulo, com monumentos públicos, funerários e decorativos de fachadas na cidade, principalmente, "Monumento às Bandeiras", um dos símbolos da cidade. Diferentemente das orígens dos artistas do nosso modernismo, Brecheret veio de família humilde, imigrante italiano, órfão de mãe, veio para São Paulo, com seus tios maternos que o criaram. A sua vocação para escultura se revela desde menino, quando amassa barro nas panelas da tia. Trabalha numa loja de calçados e à noite faz cursos técnicos no Liceu de Artes e Ofícios. Os tios com economias o enviam para Roma em 1913 para estudar escultura. Não sendo aceito na Academia de Belas Artes por falta de formação, entretanto é recebido como discípulo do mais famoso escultor italiano do momento, Arturo Dazzi [1881/1966]. Aprendendo a escultura através do processo do fazer, absorve as técnicas da modelagem e conhecimento da anatomia. Nesta época, recebe grande influência do escultor sérvio Ivan Mestrovic, quanto à expressividade, tensão, alongamentos e torsões das figuras. De 1916 e 1919 participa com destaque em mostras coletivas em Roma.

Os Modernistas

Em 1920 retorna a São Paulo e é "descoberto"pelos jovens modernistas. Extasiados diante de suas esculturas, torna-se um elemento polarizador do grupo. De fato o artista e sua obra inspira os personagens de romances de Osvald de Andradre e Menotti del Picchia. Ainda traduz para escultura os poemas de Guilherme de Almeida e Menotti. Celebrado como um gênio e influênciado pelo espírito nativista do grupo, realiza a primeira maquete do "Monumento às Bandeiras". Em 1921 com uma bolsa de estudos de escultura viaja à Paris, onde permanece por quase quinze anos com vindas ao Brasil. Em Paris participa de vários salões, intensa convivência com artistas como Leger e os brasileiros: Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Vicente do Rego Monteiro e Antonio Gomide. Modifica sua escultura adotando formas geometrisadas, lisas e luminosos. Brecheret torna-se um importante artista da Escola de Paris, tendo recebido o título de cavaleiro da legião de honra, e sua obra, "Grupo", para um museu. Nos anos 20 como a maioria dos artistas da Escola de Paris, Brecheret está sensível a emergência no Art Déco que marcou a visualidade dos anos 20 tem seu ápice em 1925 com a Exposição Internacional das Artes Decorativas e Industriais Modernas. Alinhado a esta arte de vanguarda Brecheret foi bastante elogiado pela crítica. Em Montparnase Brecheret conviveu intensamente com Gomide e Vicente do Rego Monteiro, a exposição "Modernismo / Paris Anos 20. Vivências e Convivencias" mostra os elos entre os três artistas, tendo como parâmetro comum o Art Déco. Victor nasceu em 1894 e faleceu em São Paulo no ano de 1955.

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:37  comentar

Agosto 2006
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

13

20

27


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO