Revelando, imortalizando histórias e talentos
6.9.06

MAURÍCIO CARDIM - um olhar talentoso sobre a cidade

 

A Estação Bresser, sob o olhar de CardimO fotógrafo baiano Maurício Cardim deixa a modéstia de lado quando o assunto é retratar São Paulo.
 
“Acho que eu tenho um dos maiores bancos de imagem da cidade. E, mesmo assim, ainda é pouco, pois a metrópole é uma fonte inesgotável para as minhas lentes”, destaca. Um pouco da identidade visual da cidade que ele escolheu como sua está na mostra “São Paulo nas lentes de Maurício Cardim”, que será inaugurada hoje, às 12h30, e ficará em cartaz até 1º de novembro no Conjunto Cultural da Caixa. Na organização da mostra, Cardim teve trabalho para escolher, entre tantas, as 50 fotografias que fazem parte do acervo. Todas destacam pontos históricos de São Paulo, principalmente aqueles por onde os paulistanos passam mas não têm tempo de prestar atenção. Prédios históricos, igrejas, estações de trem, pontes, viadutos e casarios antigos como os que ainda sobrevivem em bairros como o Brás e a Bela Vista. Mas Maurício Cardim fez questão de acrescentar que o critério maior para a escolha foi a emoção. “Mostram o ponto de vista de um baiano que se apaixonou pela grandeza e pela diversidade desse ambiente urbano”, revela. Caçador de imagens - Algumas das fotos já foram usadas em cartões-postais, mas a maioria se preocupa em destacar visões menos óbvias de São Paulo, como destaca Cardim: “Por exemplo, nos bairros do Bixiga e do Brás, aqueles casarões italianos, tão ricos em detalhes, quem é que presta atenção nisso?”, questiona.

Nascido na pequena cidade de Ipiaú, no interior da Bahia, Cardim está radicado em São Paulo há 28 anos. Começou a carreira na cidade, na década de 80, fotografando celebridades do mundo artístico nacional, fazendo também muitas fotos para capas de discos.Porém, ele se define mesmo como um “caçador de imagens”, se especializando depois em retratar detalhes de cidades. Atualmente ele desenvolve um trabalho em sua Bahia natal, com a proposta de registrar imagens de todo o Estado para um futuro livro e exposição. A idéia da mostra que será inaugurada hoje começou a surgir ainda em 1999, quando ele foi selecionado para o prêmio Kodak, entre quase quatro mil participantes.

Diário de S.Paulo
Em 03/10/2002

Fotógrafo de renome nacional registra a cidade


Fotógrafo Maurício Cardim registra paisagens dorenses. Conhecido nacionalmente, Cardim, está desenvolvendo um projeto que valoriza a beleza das cidades mineiras.

Natural de Ipiaú, na Bahia, o fotógrafo Maurício Cardim captura imagens desde os vinte e poucos anos. Sempre gostou de viajar e aproveitava para praticar seu talento, especialmente o de fotografar as cidades pelas quais passava. Esteve recentemente em Dores do Indaiá para conhecer a cidade e apresentar o seu trabalho como fotógrafo profissional. Ele fotografa tudo o que vê de interessante numa cidade: pontos turísticos, templos religiosos, sedes de poderes públicos, praças, jardins, casarões, detalhes arquitetônicos, praças de esportes, museus e monumentos.

Só há 10 anos é que começou a fotografar as cidades com um propósito mais comprometido. Ele já fotografou, até o momento, mais de 60 cidades mineiras, num trabalho que começou em 1996. Suas fotos já foram utilizadas em milhares de cartões postais, principalmente das cidades mineiras de Ouro Preto, Congonhas, Tiradentes, São João Del Rei, Caxambu, Cambuquira e São Lourenço, além de outras cidades do país.

Maurício Cardim já fotografou, profissionalmente, artistas, capa de discos, shows e bastidores de todas as áreas artísticas. Sua primeira exposição em São Paulo (cidade onde acabou fixando raízes) coincidiu com o início de uma outra forma de mostrar seu trabalho: os cartões postais.

O Projeto

O Projeto Olhares sobre o Brasil nasceu há 8 anos. Com o seu grande interesse nas paisagens de Minas Gerais, iniciou um novo trabalho: Cidades Mineiras Sob o Olhar de Maurício Cardim. Por onde passa, faz do seu equipamento fotográfico o grande companheiro de viagem e clica tudo o que de mais bonito vê pela frente: casas antigas, igrejas (prédios pelos quais é apaixonado – “Tenho vontade de fazer uma exposição só com igrejas”, diz), praças, conjuntos arquitetônicos, etc.

Já realizou exposições em Sete Lagoas e Matozinhos. Em Sete Lagoas, fez exposição só com fotos daquela cidade e em Matozinhos, idem, trabalhos feitos em parceria com o amigo fotógrafo Alan Wehner. Mais uma vez em Sete Lagoas, fez um apanhado de todas as cidades visitadas até então, em 32 fotos mostrando 30 cidades.

As exposições feitas por Maurício Cardim são por demais conhecidas no Brasil e um pouco no exterior, divulgadas em todas as mídias, já tendo superado a casa de mil matérias publicadas sobre o seu trabalho, em jornais e revistas.

Maurício Cardim pretende ficar muito tempo em Minas. Até o dia em que esteve em Dores do Indaiá, já havia fotografado 61 cidades mineiras. “Gostei muito de Dores. Tem potencial turístico. É só investir”, afirmou em sua visita à cidade. Ele já está há dois anos se dedicando mais especialmente ao Estado de Minas Gerais.

Texto e foto: Cecília Lino
Notícias da Cidade
09 de fevreiro de 2006
contato@doresdoindaia.mg.gov.br

 

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:39 

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Setembro 2006
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10

17
21

24
29
30


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds