Revelando, imortalizando histórias e talentos
10.3.07

Sexta-feira, Setembro 14, 2007  Renato Russo inspira nova coreografia de Borelli

Estréa no dia 19 de setembro, às 21horas, Sandro Borelli estréia Carne Santa no TD – Teatro Itália/Teatro de Dança - programa da Secretaria de Estado da Cultura, gerenciado pela APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte).

Contemplado com o Programa de Ação Cultural 2006/PAC, da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, “Carne Santa” é resultado de uma pesquisa de criação coreográfica respaldada pelo discurso poético de RENATO RUSSO e pelo contexto social, político e estético da década de 1980, sob a concepção, criação coreográfica e direção de Sandro Borelli, encenada pela Cia. Borelli. Sob essa perspectiva, a Cia. Borelli traz à cena mais uma composição coreográfica dentro de uma dramaturgia corporal já consolidada onde a fisicalidade encontra-se exposta em toda a sua poeticidade. Com suas coreografias contundentes, Sandro conquistou quatro prêmios da Associação Paulista dos Críticos de Arte. Nascido em Santo André (SP), Sandro teve de vencer tabus antes de escolher o balé. “Na época, havia muito preconceito. Balé era coisa de viado.” Na adolescência, dirigiu sua energia para o esporte. “Praticava de tudo, natação, vôlei, futebol.”
Sandro Borelli é criador, diretor artístico e intérprete da Cia. Borelli de Dança. Ex-bailarino do Ballet Guairá de Curitiba e do Balé da Cidade de São Paulo, Borelli tornou-se coreógrafo independente no início dos anos 90. Essa nova fase foi inaugurada com o bem sucedido “Lac”. Hoje, acumula em seu repertório inúmeros trabalhos coreográficos. Vencedor do 2º Prêmio BRAVO ! Prime de Cultura - prêmio que homenageou os artistas e todos aqueles que se destacaram no panorama cultural do país entre agosto de 2005 e julho de 2006. Desenvolve propostas coreográficas que exacerbam situações corporais resultando num espetáculo de alguma forma impactante. De um modo peculiar opera os procedimentos lógicos da sua investigação: construção e desconstrução, caos e ordenamento, fluidez e rigidez, opostos que buscam um estado corporal potencializado.

Direção, Concepção E Criação Coreográfica: Sandro Borelli

Sinopse: “Carne Santa” é resultado de uma pesquisa de criação coreográfica respaldada pelo discurso poético de RENATO RUSSO e pelo contexto social, político e estético da década de 1980, sob a concepção, criação coreográfica e direção de Sandro Borelli, encenada pela Cia. Borelli. Sob essa perspectiva, a Cia. Borelli traz à cena mais uma composição coreográfica dentro de uma dramaturgia corporal já consolidada onde a fisicalidade encontra-se exposta em toda a sua poeticidade. Contemplado pelo Programa de Ação Cultural 2006/PAC, da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

ficha técnica
Direção, concepção e criação coreográfica: SANDRO BORELLI
Intérpretes: Daniella Rocco, Edson Calheiros, Elisângela Ferreira, Elizandro Carneiro, Natália Fernandes, Robson Ferraz, Vanessa Macedo.
Preparação Corporal: Vanessa Macedo e Valéria Mattos
Fotos: Gal Oppido

Criação de Luz: Sandro Borelli Produção: Dudu Oliveira
Teatro Itália, TD- Teatro de Dança
Secretaria de Estado da Cultura
APAA-Associação Paulista dos Amigos da Arte
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália
01046-010 - São Paulo, SP, Brasil - Metrô República
E-mail: info.teatrodedanca@apaa.org.br

Telefone da bilheteria: 2189 2555 / Informações: 2189 2557
Capacidade: 278 lugares / Ar-condicionado / Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais / C.C. Visa e Visa-Eletron / Estacionamento R$ 12,00 com manobrista.

Bilheteria, abertura

Vendas para o dia do espetáculo - quarta a domingo: a partir das 14horas.
Ingressos: R$ 10,00 e meia-entrada.
www.teatrodedanca.org.br  /// Vendas online www.ingresso.com



INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Canal Aberto – 11 6914 0770/ 9126 0425 – Márcia Marque
www.canalaberto.com.br

 

 

 

Festival alia cinema e moda

Este cartaz do filme o Cangaceiro - 1953) - que faz parte da mostra de filmes nacionais que começou na sexta-feira,23, em São Paulo já está na terceira edição do
" Iguatemi FilmeFashion" , que explora a relação da moda com o cinema. Serão três mostras, e entre os destaques a Panorâmica Internacional está o documentário francês Lagerfeld Confidential, do cineasta francês Rodolphe Marconi. "A moda é um negócio efêmero, perigoso e injusto", confessa Lagerfeld no documentário, acrescentando que na sua profissão, mais do que talento, é preciso ter jogo de cintura.

Webber

Bruce Weber, renomado fotógrafo norte-americanoOutro, é um dos destaques do festival, que é mais lembrado por suas fotos homoeróticas e por suas campanhas para Calvin Klein e Ralph Lauren. Weber, ganha uma retrospectiva com seus curtas e documentários. Entre os destaques está A Letter to True, documentário em que relata a paixão por cachorros, realizado depois dos ataques de 11 de setembro de 2001. Weber participará de uma conversa ao vivo e online com os fãs, direto de Nova York. Também será exibido seu documentário sobre o músico de jazz Chet Baker que concorreu ao Oscar, Let's Get Lost.

Como principal atração das três mostras do festival é a FilmeFashion Cinema Brasileiro, que reúne os 15 filmes com figurinos mais representativos da produção nacional, produzidos de 1920 a 2006. Ainda dentro da mostra histórica de filmes nacionais estão longas como Sangue Mineiro, de Humberto Mauro (1929), O Cangaceiro, de Lima Barreto (1953) e Todas as Mulheres do Mundo, de Domingos de Oliveira, além de exposições de figurinos de novelas que fizeram moda. De Londres, Inglaterra, o festival traz o projeto SHOWstudio, pioneiro na exibição de vídeos de moda na internet, criado em 2000 pelo fotógrafo britânico Nick Knight. São mais de 400 colaboradores entre modelos, fotógrafos, estilistas, músicos, entre eles, John Galliano (acima), Björk, Brad Pitt, entre outros. {P&B, Chet Baker fotografado por Weber]
O evento fica em cartaz até 30 de agosto.

 

 Governo lança Selo Paulista da Diversidade

 

SÃO PAULO - 23 DE AGOSTO -
“O objetivo desse selo é valorizar a diversidade no mercado de trabalho. Mas a sua utilidade não se esgota aí. De fato, ele terá um peso junto às organizações, aos produtores e aos prestadores de serviços, por afirmar publicamente o seu compromisso com a causa da diversidade”, disse o governador José Serra ao assinar o decreto de criação do selo. Além disso, prosseguiu Serra, o selo terá um papel importante junto ao consumidor. “Ele será uma ferramenta para conscientização pública relativamente ao valor da diversidade. Será a garantia de que as organizações estarão atuando dentro dos critérios da responsabilidade social”. Quanto mais diversa uma empresa, destacou Serra, mais ela está cooperando para o desenvolvimento e qualidade da democracia e dos direitos humanos.

A instituição do selo da diversidade representa, segundo Serra, uma dupla vitória da sociedade civil. “Não só porque ela atuou para que ele fosse instituído, mas também porque ela se beneficiará dos efeitos práticos dessa iniciativa”. Por ser pioneira no país, o governador acredita que a iniciativa renda frutos pelos quatro cantos. “Espero que o que a gente esteja fazendo agora tenha uma utilidade em si e também seja um bom exemplo para outros governos municipais e estaduais”, disse Serra. Para decidir a quem será destinado o selo, o governador adiantou será criado um conselho, cujos membros ainda serão designados. Esse comitê contará com representantes da sociedade civil, de organizações não governamentais e do governo. Caberá a eles decidir quais serão as regras para outorga e que empresas serão certificadas. “Este conselho tomará sua decisão autonomamente, não terá maioria do governo, mas da sociedade”, explicou o governador. O Selo Paulista da Diversidade poderá ser usado junto das marcas das empresas outorgadas. A identidade visual do selo será definida logo nas primeiras reuniões do comitê.

Diversidade

Serra destacou que São Paulo é especialmente o Estado da diversidade, e muito de seu progresso decorre deste fato. “São Paulo desfrutou e tem desfrutado da possibilidade que esta diversidade cria para a cultura, para o desenvolvimento, para o pensamento”, disse o governador. O governador também ressaltou o conceito de diversidade a ser seguido pelo comitê gestor. “Diversidade é muito mais do que diferenças étnicas, religiosas ou mesmo diferenças culturais. Aliás, diversidade não deve ser entendida como diferença, mas como multiplicidade. Na verdade, diversidade é igualdade. Igualdade de direitos, de justiça, de paz e de desenvolvimento social”. Serra lembrou que, durante sua estada na prefeitura, criou a Secretaria Especial de Participação e Parceria. “Já no Estado, criamos a Secretaria de Relações Institucionais para acentuar a importância que damos à diversidade e aos conselhos que cuidam dessa questão”.

Repercussão

O primeiro a se pronunciar durante a cerimônia foi o Secretário Estadual de Relações Institucionais, José Henrique Reis Lobo. “Essa é uma iniciativa extremamente importante, até porque o nosso propósito é de que este selo contribua para a cristalização de uma cultura em que não haja pretensões contra aqueles que são desiguais”, observou. Representantes de entidades da sociedade civil presentes à cerimônia de lançamento do selo aprovaram a iniciativa do governo. “Diversidade não é benevolência, não é política de coitadinho. Praticar a diversidade é desenvolver uma sociedade verdadeiramente pluralista, onde as diferenças não sofrem uma hierarquia”, observou Hélio dos Santos, presidente do IBD (Instituto Brasileiro da Diversidade).

Já o presidente do conselho deliberativo do Instituto Ethos, Oded Grajew, lembrou que “se você não tiver diversidade na sua organização, você terá muitas dificuldades de se comunicar com a sociedade”. Para o Secretário Estadual da Justiça e Defesa da Cidadania, Luiz Antônio Marrey, “a data de hoje é de suma relevância para marcar o compromisso do governo de São Paulo com a defesa dos direitos humanos”. Segundo ele, o “selo é uma marca importante do reconhecimento daqueles que prestigiam e respeitam os direitos humanos. É um compromisso explícito e prático de respeito e de defesa dos direitos humanos neste Estado”. O Secretário aproveitou para anunciar que em setembro o governo de São Paulo dará início ao processo de revisão do Plano Estadual de Direitos Humanos. “Ele já tem 10 anos e, portanto, exige que seja feita sua análise em termos de demandas já atendidas e de novas demandas”, explicou.

Palestra

A assinatura do decreto foi precedida pela palestra “Direitos humanos no Brasil e no mundo – Balanços e perspectivas”, ministrada pelo professor de ciência política Paulo Sergio Pinheiro, autoridade mundial no tema. O professor é “Independent Expert” do Secretário Geral da ONU para violência contra a criança e membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA. O lançamento foi realizado no final da manhã de hoje no auditório Ulysses Guimarães, no Palácio dos Bandeirantes, e contou com a presença do Secretário Estadual da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira Filho; Secretário Estadual da Comunicação, Hubert Alquéres; Secretário Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Rogério Pinto Coelho Amato e Secretário Estadual de Ensino Superior, Carlos Alberto Vogt, além de parlamentares e prefeitos do Estado.[Foto por Milton Michida]

www.sp.gov.br
Manoel Schlindwein

 

 

RARIDADES RESTAURADAS

Projeto Passado Musical recupera raridades da música brasileira que pareciam prestes a se perder no tempo, e já estão ao alcance do público.

O projeto visa resgatar uma parte do acervo de discos de 78 RPM (rotações por minuto) da Fundação Biblioteca Nacional. A iniciativa, que conta com o apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, é uma parceria da FBN - instituição vinculada ao Ministério da Cultura - com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e tem o patrocínio da Petrobras. Com o Passado Musical, discos datados desde 1900 foram recuperados e digitalizados. Hoje, as músicas podem ser acessadas em formatos .wav (Waveform Audio), em alta resolução; e .mp3 (MPEG Audio Stream, Layer III), em resolução mais baixa. As canções em .wav estão disponibilizadas apenas para usuários dentro da FBN. As em .mp3, quando não estiverem protegidas pela Lei dos Direitos Autorais (9.610/98), podem ser veiculadas pela Internet. Do acervo de aproximadamente 12 mil discos de 78 RPM da Biblioteca Nacional, foram recuperados 4.089 referentes à discografia brasileira, sendo 3.886 unidades de 10 polegadas, 68 de 10.5 e 135 de 12. Do total, aproximadamente 98% possuem uma música de cada lado, os restantes 2% ou possuem mais de uma música por lado ou possuem somente um lado gravado. Quanto à parte física dos discos, os materiais encontrados foram goma-laca e acetato.

Discos de 78 RPM

Os discos de 78 RPM existem em vários materiais tais como alumínio, goma-laca, madeira, papelão e vidro. O som era gerado a partir deles pela passagem da agulha nos sulcos gravados. Tocavam a uma velocidade de 78 rotações por minuto e tinham, normalmente, uma música de cada lado do disco, com uma capacidade de até quatro ou cinco minutos em cada lado. Os tamanhos-padrão eram de 30 cm (12 polegadas) e 25 cm (10 polegadas). Esses discos eram chamados de bolacha, por conta do formato arrendodado, e utilizados para armazenar informações de áudio, especialmente músicas. Inicialmente, eram usados nos gramofones (aparelhos utilizados para reproduzir som gravado utilizando um disco plano) e, depois, nos toca-discos eléctricos. Até 1948, eram o único meio de armazenamento de áudio, quando foi inventado o disco de vinil ou LP (Long Play), mais resistente e com maior tempo de gravação.
A Fundação Biblioteca Nacional situa-se à Avenida Rio Branco, nº 219, no Rio de Janeiro. Para acessar o acervo do projeto Passado Musical na Internet, clique aqui.

Mais informações (55 xx 21) 3095-3879 www.bn.br.

 

Mortos no acidente da TAM vão a leilão

Parentes dos mortos no acidente do Airbus A 320, no dia 17 de julho, em Congongas - São Paulo, que matou 199 pessoas. Influenciados pela quantia de 300 milhões disbonibilizados pela companhia aérea TAM, eles põem seus entes queridos em leilão. O que antes era inconformismo, pedido de punição e revolta pelo descaso e falta de informações, hoje, é tratado com uma certa parcialidade por seus decendentes.

Sexta-feira, dia 3, sentaram-se para uma negociação com os advogados da TAM, onde o assunto era o valor da "prestação" a ser paga para cada um que teve parente morto no maior acidente aéreo brasileiro. Na quinta-feira, dia 2, uma nota fora emitida onde convovacva o comparecimento dos envolvidos ao prédio da TAM para uma última vistoria, visto que o mesmo seria demolido no domingo, dia 5 de agosto; somente quatro dos parentes apareceram ao local, enquanto os outros preferiram comparecer a mesa de negociações. Note-se que não seria um percurso difícil de chegar ao local pois 90% deles estão hospedados em luxuoso hotel pago pela empresa cuja distância não ultrapassa um ou dois quilômetro. Parece que o tempo sana todas as feridas e mágoas, ainda mais quando cifras altíssimas estão envolvidas.

 

 ESCLARECIMENTO À SOCIEDADE

Ainda sob o impacto da tragédia ocorrida na última terça-feira, a TAM vem a público mais uma vez para prestar esclarecimentos à sociedade. A TAM cumpre rigorosamente todas as determinações técnicas de manutenção e operação das aeronaves de sua frota, assegurando seu compromisso absoluto com a segurança, um de seus destacados mandamentos (“mais importante que o cliente é a segurança”).

A respeito de notícias veiculadas sobre o reversor do Airbus A320, prefixo MBK, que realizou o vôo 3054, a empresa informa que:

1) O presidente da TAM, Marco Antonio Bologna, e o vice-presidente técnico, Ruy Amparo, responderam questionamento sobre esse item em entrevista coletiva realizada no último dia 18, quarta-feira. Portanto, já era pública desde o dia posterior ao acidente (18/7) a informação de que o reversor direito da referida aeronave estava desativado, procedimento realizado em conformidade com os manuais da fabricante Airbus e aprovados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

2) Aviões modernos, tais como o Airbus A320, incluem em suas certificações um grande número de redundâncias em seus sistemas básicos a fim de elevar seus níveis de segurança e de eficiência operacional.

3) Os manuais do fabricante da aeronave (MEL – Lista de Equipamentos Mínimos), aprovados pelas autoridades francesa e brasileira, determinam com alto nível de precisão a configuração necessária para que o avião execute cada tipo de vôo de forma segura e absolutamente dentro das condições operacionais previstas (meteorologia e pista).

4) De acordo com a política de transparência que norteia a gestão da empresa, a TAM disponibiliza em seus sites (
www.tam.com.br e www.taminforma.com.br) as cópias das páginas dos manuais certificados que mostram claramente a completa legalidade e segurança do vôo realizado com um reversor desativado.

5) Também está disponível em seus sites a cópia do livro de bordo que mostra claramente, inclusive com a assinatura do estimado Comandante Kleyber, a ausência de qualquer problema técnico que pudesse afetar a operação do vôo na partida de Porto Alegre.

6) Apresenta também a declaração da Airbus, fabricante da aeronave, que atesta a normalidade do vôo com um ou mesmo dois reversores inoperantes.

7) A TAM ressalta ainda que todos os cálculos de performance de pouso feitos pelo fabricante, e que norteiam a operação de qualquer empresa aérea em aviões de porte e tecnologia do A320, são feitos dependendo exclusivamente do sistema de freios hidráulicos do avião. Portanto, o reversor é sempre e apenas parte de um sistema redundante nas condições equivalentes ao ocorrido.

8) A aeronave prefixo MBK foi incorporada à frota da TAM em 2006 e estava com 26.320 horas de vôo. A última revisão de linha (check-A) foi realizada em 13 de junho de 2007 e a estrutural (check-C) em 27 de novembro de 2006 com vencimento previsto para julho de 2008.

9 ) As investigações do acidente estão sob a responsabilidade do Comando da Aeronáutica por meio do Centro Nacional de Investigação de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), que já encaminhou as “caixas-pretas” (Flight Data Recorder e Cockpit Voice Recorder) ao NTSB (National Transportation Safety Board), em Washington, para a leitura dos dados do vôo 3054.

Neste momento, além de lamentar a tragédia, a TAM se solidariza com a dor das famílias e dos amigos das vítimas dos passageiros e de seus funcionários. A empresa reafirma seu compromisso solene com os esforços para reduzir as conseqüências dolorosas do acidente, incluindo o forte empenho para sempre dar continuidade aos processos de informações da empresa para a sociedade.

PARA MAIS INFORMAÇÕES E ACESSO À DOCUMENTAÇÃO MENCIONADA, CLIQUE AQUI.
São Paulo, 20 de julho de 2007.

 

 

Brigão, falador e polêmico este era o etilo de ACM que sofreu sua grande derrota nas eleições passadas, ao governo da Bahia.

SÃO PAULO - O senador Antônio Carlos Magalhães (DEM-BA), de 79 anos, faleceu nesta sexta-feira. Ele teve uma significativa piora durante a madrugada e ficou em coma induzido. O enterro será em Salvador. A informação que o parlamentar teria sofrido uma parada cardíaca e teria sido reanimado pela equipe médica não é confirmada pelo InCor. ACM estava internado no Instituto do Coração (InCor), na capital paulista, desde o dia 14 de junho. Neste ano, ACM havia sido internado outras duas vezes, uma por pneumonia e outra, por insuficiência cardíaca e renal.

Biografia

Antonio Carlos Peixoto de Magalhães, ou simplesmente ACM, completaria 80 anos no dia quatro de setembro. Destes, 53 foram dedicados à vida pública, desde que se elegeu deputado estadual pela antiga União Democrática Nacional (UDN) da Bahia, em 1954, sem nunca ter exercido a Medicina para a qual havia se formado dois anos antes. Mas a política ele exercia desde a adolescência, como presidente do grêmio do Ginásio da Bahia e, depois, do Diretório Central da Universidade Federal da Bahia.

Sua liderança e o estilo muitas vezes truculento resultaram no “carlismo”, corrente que dominou a Bahia por cerca de três décadas, durante as quais foi três vezes gvernador e prefeito da capital, Salvador. No plano nacional, sempre esteve ao lado do poder. Desde os tempos da ditadura militar até Fernando Henrique Cardoso. Vinha, ultimamente, amenizando as críticas e ensaiando uma aproximação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, desde que este o visitou durante uma de suas internações no Instituto do Coração, em São Paulo.

Ao lado da política, ou por causa dela, embrenhou-se no jornalismo, como redator de debates da Assembléia Legislativa da Bahia e do jornal “Estado da Bahia”. Em 1979 já tinha o seu próprio jornal, o “Correio da Bahia”, embrião de uma rede de comunicação que hoje inclui sete emissoras de televisão, pelo menos três rádios, gráfica, produtora e portal de internet. Embora não tenha exercido a profissão, foi professor-adjunto da Faculdade de Medicina.

Pela UDN elegeu-se deputado federal em1958, 1962 e em 1966, ano em que, extinto o pluripartidarismo, optou pela Arena governista. Em 1967, com as bençãos do general presidente Castelo Branco, foi nomeado prefeito de Salvador pelo governador Luiz Viana. Voltou à Câmara ao final do mandato, em 1970, para, no ano seguinte, ser nomeado governador da Bahia pelo mais duro dos generais presidentes, Garrastazu Médici.

ACM se valeu do forte crescimento, o chamado “Milagre Econômico”, para alavancar a industrialização da Bahia e sua consolidação como pólo turístico. Fez o sucessor, o então aliado Roberto Santos, a quem veio a suceder, em 1979, desta vez nomeado pelo presidente Ernesto Geisel. A essa altura, além de dominar o Estado, a prefeitura de Salvador e de mais 300 prefeituras do interior, o “carlismo” estava estabelecido, com força suficiente para levar seu líder pela terceira vez ao governo da Bahia, em 1990, dessa vez pelo voto, mas já pelo PFL.

Em 1984, época da campanha pelas “diretas já”, ACM se opôs à candidatura de Paulo Maluf e, com dissidentes da Arena, fundaram a Frente Liberal, que ajudou a eleger Tancredo Neves e José Sarney, de quem foi ministro das Comunicações.

Elegeu-se senador em 1994, presidiu o Senado, mas teve que renunciar em 2001, após envolver-se no episódio de violação do painel de votação. Reelegeu-se no ano seguinte. Seu apego ao poder, que também lhe rendeu o apelido de “Rei da Bahia”, o fez sonhar em dinastia e a projetar para o filho, Luiz Eduardo Magalhães, o sonho da Presidência da República. O filho, então líder do governo FHC, morreu antes, de infarto, aos 43 anos.

ACM, que odiava outro apelido que lhe fora posto pelo General Golbery do Couto e Silva, “Toninho Malvadeza”, sentiu profundamente esta segunda perda. A filha Ana Lúcia já havia se suicidado em 1987. O “Painho” dos baianos foi casado com a discreta Arlete Maron e deixa como suplente seu filho, Antonio Carlos Júnior, que já o havia substituído em 2001. O segundo suplente é Hélio Corrêa.
FONTE> WWW.ULTIMOSEGUNDO.COM.BR

 

Quarta-feira, Julho 11, 2007 - Jean Carlos e Jefferson Esterque escrevem sobre o sistema eletrônico de segurança para ruas de São Paulo. Em Piracicaba, interior do estado, um sistema onde o infrator é vigiado e advertido via megafone já está em cheque. O projeto é inspirado no sistema Inglês em vigor desde 2005, e houve uma queda nos assaltos e vandalismo em até 56%.

 

O Big Briother das ruas chega à São Paulo, onde as principais ruas da cidade serão monitoradas, algo que deverá ser seguido por vários estados do País que com contará com 1,3 milhões de câmeras espiâ.

A Guarda Civil Metropolitana (GMC) vai aumentar seus pontos de monitoramento
de ruas via câmera em São Paulo. A cidade já possui 35 câmeras e passará a
contar com 99 até o final do ano. O sistema começou a funcionar em agosto do ano passado, mas a onda do chamado "monitoramento urbano" está presente desde 1980 e teve inicio nas cidades da Inglaterra. Hoje, o país conta com 1,3 milhão de câmeras. Já no Brasil, antes do sistema ser utilizado em propriedades privadas, o monitoramento em centros urbanos teve início em 2003, com um projeto implantado no Rio de Janeiro situado na região de Copacabana. Os aparelhos foram espalhados pelos principais pontos e também em algumas unidades móveis na área da orla marítima. A região é muito freqüentada por turistas, principais alvos de assaltos, seqüestros e furtos. O projeto se mostrou muito satisfatório e aumentou a sensação de segurança nos locais, e conseqüentemente, as câmeras passaram a fazer parte de outros pontos da cidade do Rio de Janeiro.

O interessante do projeto, foi que a Polícia do estado utilizou, também,
policiais deficientes, que estavam inativos ou que realizavam serviços
administrativos para efetuar o monitoramento. Em São Paulo, a Policia
Militar ajudou na pesquisa para indicar os principais pontos da cidade. O
monitoramento vai priorizar as regiões de maior concentração de pessoas,
comércio, bancos, criminalidade e ambulantes. Entre as regiões que vão
possuir o monitoramento estão: Avenidas Paulista, Doutor Arnaldo, 23 de Maio,
Rebouças/Consolação, Senador Queiroz, a Rua José Paulino, a Baixada do Glicério, a Praça Júlio Mesquita, o Largo Coração de Jesus, o Parque Trianon e o Largo do Arouche.

Para adquirir infra-estrutura de monitoramento de câmeras a GCM vai
inaugurar uma nova sede que está sendo construída na Rua General Couto
Magalhães, na região da Cracolândia, no Centro da Capital. Patrocinadas pela
Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), as novas câmeras custarão R$ 3,8
e possui raio de visão de 360 graus e alcance para a captação de imagens
chega a um quilômetro. Hoje, todas as câmeras instaladas estão no centro de
São Paulo, parte delas estão situadas na região da 25 de março.

A iniciativa se mostra muito oportuna, mas é fato que a presença física do
policial ainda é mais segura. O crescimento de instalações de câmeras para o
"monitoramento urbano" em São Paulo pode gerar problemas para o cidadão,
pois nem sempre lugar seguro é lugar com câmera. O sistema deve complementar o serviço policial, ou seja, isso só vai funcionar se houver cooperação. Não adianta achar que as câmeras são suficientes para acabar com a criminalidade. Os ladrões, seqüestradores e similares, apenas vão mudar os locais dos crimes.
{Jean Carlos Batista de Lima / Jefferson Esterque - Especial AgênciaFM}

 

Bittencourt ganha prêmio na Alemanha

Fotógrafo brasileiro ganha o renomado prêmio de fotografia alemão Leica Oskar Barnack de 2007 com fotos sobre desabrigados em São Paulo.

MADRI - ESPANHA [AgênciaFM] 7 de julho - Júlio Bittencourt foi o ftógrafo escolhido do júri em uma série de 12 fotos sobre sem-tetos paulistas que invadiram um prédio abandonado no centro da cidade. Nas fotos, ele mostra cenas com moradores nas janelas do edifício, que oscilam entre melancolia, resignação e esperança. Segundo o júri, as fotos do prédio na Avenida Prestes Maia "documentam a força da fotografia, que com poucas imagens pode contar uma história com várias nuances". O prêmio é patrocinado pela fabricante de câmeras fotográficas Leica e é dado todos os anos a reportagens fotográficas e leva o nome do fundador da empresa. Bittencourt, de 26 anos de idade,
é um dos mais jovens fotógrafos a serem agraciados com o prêmio dotado de cinco mil euros - cerca de R$ 12 mil. O júri inclui a diretora da fundação parisiense Henri Cartier-Bresson e vários especialistas em fotografia. Um fotógrafo espanhol e uma fotógrafa norueguesa ganharam menções honrosas com uma reportagem sobre um hospital psiquiátrico na África e uma documentação sobre a infância. O prêmio foi entregue oficialmente dia 5 de julho, em uma cerimônia durante o festival de fotografia Rencontres d'Arles, na cidade francesa de Arles. As fotos vencedoras ganharão exposição nas galerias Leica na Alemanha e em Istambul, na Turquia.

 

 

Artistas apóiam luta contra violência à mulher


SÃO PAULO - 29 DE JUNHO, Instituído o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres será comemorado em 6 de dezembro.

A partir do dia 6 de dezembro próximo será comemorado o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A data foi instituída no país pela Lei 11.489 /2007, publicada nesta quinta-feira, 21 de junho, no Diário Oficial da União. A Lei é alusiva ao massacre de mulheres ocorrido em Montreal (Canadá), no dia 6 de dezembro de 1989, no qual foram assassinadas, em sala de aula, 14 estudantes de engenharia. Naquela data, a barbárie foi causada por um estudante de 25 anos que entrou armado na escola gritando que queria acertar apenas as feministas. Após matar 14 alunas, o homem deixou um bilhete no qual dizia: “as mulheres são responsáveis pelos fracassos dos homens; toda mulher que cruza o caminho de um homem bem-sucedido deve ser castigada; e as mulheres bem-sucedidas não aceitam serem protegidas por um homem”.

Laço Branco

As mulheres assassinadas tornaram-se um símbolo, uma representação trágica da injustiça praticada por homens violentos. Por isso, a tragédia inspirou a Campanha do Laço Branco. Trata-se de uma mobilização mundial de homens pelo fim da violência contra as mulheres. A principal meta é estimular a mudança de atitude e comportamento dos homens. Além do Brasil, a campanha é desenvolvida nos Estados Unidos, Espanha, Noruega, Austrália, Namíbia, Finlândia, Japão, Dinamarca, Suécia, entre outros.

2007/07/07 Morre músico do Mombojó


O flautista pernambucano Rafael Virgínio Vital Torres (na foto, no lado esquerdo), de 24 anos, músico do grupo Mombojó.

Rafael faleceu no início da madrugada desta sexta-feira, dia 6. Amigos, parentes e fãs compareceram ao velório que aconteceu no Cemitério de Santo Amaro, na Região Metropolitana do Recife. De acordo com o laudo do Serviço de Verificação de Óbito (SVO), divulgado um pouco mais cedo, Rafael faleceu depois de um enfarto agudo do miocárdio. Segundo familiares, o flautista da banda Mombojó e instrumentista de outras bandas como Del Rey, Pouca Chinfra e Embuás chegou em casa por volta das 23h de ontem, depois de participar de uma festa, apresentando crises convulsivas. Ele chegou a ser levado ao Hospital da Restauração (HR), mas não resistiu.

De acordo com a assessoria de comunicação do hospital, os médicos ainda tentaram reanimar o músico, com manobras de ressuscitação. O Rafa ou Pirulito, como era mais conhecido, era filho do professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Fernando Torres, que participou do Quinteto Armorial na década de 70.

Fonte: www.pernambuco.com

 

2007/07/04: Cadastre sua arma...


Ministério da Justiça estende prazo para recadastramento de armas de fogo

Caso tenha uma arma em casa o cidadão brasileiro terá até 31 de dezembro para recadastrá-la junto à PF e fique em situação legal, porque do contrário estará cometendo um crime. O prazo para recadastramernto de armas de fogo estava previsto para terminar exatamente à meia noite da segunda-feira, dia 2 de junho (2), mas foi ampliado generosamente para até o dia 31 de dezembro deste ano. Segundo fontes do governo federal, o objetivo é possibilitar aos proprietários de armas a regularização, assim, impedir que eles incorram em crime por posse ilegal de armas, preocupa-se o governo. A pena para quem for pego portando arma não registrada varia de um a três anos de prisão e mais multa. A alteração está determinada em Medida Provisória publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira (29). Atualmente cerca de 3,7 milhões de armas registradas no Sistema Nacional de Armas - órgão da Polícia Federal, que é responsável pelo controle das armas que circulam em todo o País. Deste total, apenas 400 mil foram recadastradas desde que o Estatuto do Desarmamento entrou em vigor, em dezembro de 2003. A lei determina a obrigatoriedade da renovação do registro a cada três anos. Caso o prazo não fosse estendido, 3,3 milhões de brasileiros estariam na ilegalidade a partir de 2 de junho. Para o secretário-executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Barreto, o resultado do referendo realizado no ano de 2005, favorável ao comércio de armas, pode ter provocado uma confusão na população. “O referendo pode ter passado a impressão equivocada de que o cidadão não precisaria recadastrar as armas. Mas elas devem ser recadastradas. É como um documento de veículo”, afirmou Barreto. A proposta é que esse prazo ampliado favoreça aqueles que querem realmente andar na legalidade e, consiga atingir o patamar de recadastramento que permita um efetivo controle das armas de fogo no Brasil”.

Valores / calibre 22 não mata

Alguns proprietários de armas de fogo alegaram não disponibilizar os valores cobrados para o recadastramento. Então, para facilitar o processo de regularização das armas, o Ministério da Justiça reduziu de R$ 300 para R$ 60 o valor cobrado para o recadastramento. Aqui cabe uma pergunta: se podiam cobrar R$ 60,00 por que não o fizeram isso antes?. As chamdas armas de alma raiada, calibre igual ou inferior a 22 e de alma lisa, calibre igual ou inferior a 16 estão isentas das taxas de renovação e também de registro. Esse tipo de armamento em geral diz respeito às espingardas usadas pela população rural na defesa da propriedade e na caça para subsistência. A Medida Provisória também vai disciplinar o credenciamento pela Polícia Federal de profissionais que realizam testes de aptidão psicológica e da capacidade técnica para o manuseio da arma. Os psicólogos responsáveis pelo exame psicotécnico não poderão cobrar valores acima da média dos honorários profissionais estabelecidos pelo Conselho Federal de Psicologia. Já o instrutor de armamento e tiro não poderá cobrar mais do que R$ 80, mais o custo da munição. Uma ampla campanha publicitária fará parte desta nova etapa: o governo está preparando campanha publicitária nacional sobre o tema, complementa Barreto. [Francisco Martins]

 

Prêmio Casa Rui Barbosa

A Fundação Casa de Rui Barbosa, órgão vinculado ao Ministério da Cultura, está promovendo o Concurso de Monografias “Prêmio Casa de Rui Barbosa 2007”. A temática da monografia será de livre escolha do candidato, devendo, contudo, ser referenciada aos acervos bibliográficos e arquivísticos da Fundação Casa de Rui Barbosa.

Os prêmios, no valor de R$9.000,00 (nove mil reais) e R$6.000,00 (seis mil reais), serão concedidos aos autores dos trabalhos classificados no concurso em primeiro e em segundo lugares, respectivamente. A critério da Comissão Julgadora ainda poderão ser indicadas até três menções honrosas, agraciadas exclusivamente com o título de destaque. Serão apenas considerados os trabalhos inéditos, redigidos em língua portuguesa e assinado sob pseudônimo.

Poderão participar do concurso, individualmente ou em grupo, com apenas uma monografia, pessoas físicas brasileiras ou estrangeiras, com conclusão comprovada em graduação superior. As inscrições deverão ser feitas, por via postal expressa (SEDEX) ou pessoalmente no seguinte endereço:

O prazo para a inscrição encerrará no dia 28 de setembro de 2007, valendo como comprovação o carimbo dos Correios na data da expedição, ou, no caso da inscrição pessoal, o protocolo do Serviço de Arquivo Histórico e Institucional da Fundação Casa de Rui Barbosa, que receberá os trabalhos até às 17 horas. www.casaruibarbosa.gov.br

PRÊMIO CASA DE RUI BARBOSA

Fundação Casa de Rui Barbosa

Serviço de Arquivo Histórico e Institucional

Rua São Clemente, 134 – Botafogo

22260-000 Rio de Janeiro RJ

 

Brasil> corrupção de cabo a rabo 

A máfia atuam em todos os sistemas e organismos públicos no brasil, executivo, Legislativo e no Judiciário.

Uma máfia ligada à obras teve um tentáculo desarticulada pela Operação Navalha, da Polícia Federal, quinta-feira (17), desviou, em um ano, por meio de fraudes em licitações de obras do governo, mais de R$ 100 milhões de recursos públicos. No total, 46 pessoas foram presas. Destas, 43 já se encontram na sede da superintendência da PF de Brasília, onde devem começar a prestar depoimentos ainda nesta sexta. Dois suspeitos de envolvimento no esquema continuam foragidos. As investigações apontaram a construtora Guatama, sediada em Salvador (BA), como o centro que gerenciava o esquema, direcionando verbas públicas para obras de interesse da quadrilha. De acordo com a PF, a empresa operava uma organização criminosa infiltrada no Governo Federal e em governos estaduais e municipais.
Criada em julho de 1995, a empresa está na mira do Tribunal de Contas da União (TCU). Pelo menos nove obras públicas de grande porte em seis Estados estão sendo auditadas. Os contratos somam cerca de R$ 500 milhões. Entre suas obras estão a sede da Polícia Federal em São Paulo – da qual cobrou R$ 41,6 milhões, em valores de 1997, mais reajustes em aditivos - e doou mais de R$ 500 mil na campanha eleitoral de 2006 a políticos do PMDB, PSDB e do PDT.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a construtora recebeu ainda R$ 45,2 milhões em repasses diretos da Controladoria Geral da União (CGU) entre janeiro de 2004 e março de 2007. As doações foram destinadas a um grupo de deputados e um governador do PMDB, a um senador do PSDB e ao Comitê Financeiro Distrital/Estadual da campanha do governador Jackson Lago (PDT-MA). Ainda segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a empreiteira repassou R$ 200 mil para o comitê de Jackson Lago, R$ 100 mil para o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), R$ 100
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 16:02  comentar

Março 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds