Revelando, imortalizando histórias e talentos
2.5.07

2007/08/01 BM&F: mostra Antônio Henrique Amaral

Fátima Lopes Assessora de Imprensa BM&F informa exposição de Antonio Henrique Amaral

Espaço Cultural BM&F abre mostra Antonio Henrique Amaral: 50 anos de Obra em Processo

O Espaço Cultural BM&F abre, dia 07 de agosto próximo, a mostra Antonio Henrique Amaral na BM&F: 50 anos de Obra em Processo. As 30 obras expostas, entre óleos sobre tela, nanquim sobre papel, linogravura, litografia e xilogravuras, pertencem ao acervo do artista e a coleções de instituições como o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, o Museu de Arte Moderna de São Paulo, e da própria Bolsa de Mercadorias & Futuros. A arte de Antonio Henrique Amaral, que começou sua carreira com a gravura, pode ser contemplada em Figuras (1957) e Reunião (1960), por exemplo. Da série das bananas, em que trabalhou de 1968 a 1975, o Espaço Cultural BM&F recebe Campo de batalha 9 (1973), Bambuzal (1978) e Campo de batalha 33 (1974), esse último parte da coleção da Bolsa de Mercadorias & Futuros. Da fase contemporânea a mostra recebe, também, Monólogo? (1989) e Instrumentos de amor e morte II (1996). A exposição, que tem curadoria de Pieter Tjabbes, e , fica aberta ao público até dia 14 de setembro.


Antônio Henrique, o ilustrador
Por Ferreira Gullar

Hoje, eu e Antônio Henrique Amaral, somos parceiros aos domingos na Folha de S. Paulo. Mas nossa parceria - se se pode dizer assim - começou há muito tempo, quando, em 1967, escrevi o texto de seu primeiro álbum de gravuras: O meu e o seu. Eram xilos de grande formato, todas elas coloridas, mas também impregnadas de forte sentido crítico, desmistificador dos falsos valores e da hipocrisia social. Sentido esse que se mantém nas ilustrações que acompanham, na Folha, minhas crônicas. Daquela primeira parceria à atual, se muitos anos se passaram, a arte de Antônio Henrique Amaral só se enriqueceu e aprofundou, como o demonstram tanto a sua produção gráfica quanto a pictórica, que fazem dele, hoje, um dos mais significativos nomes da arte brasileira.

E ao longo desses quarenta anos, nasceu e se manteve uma grande amizade e identificação, que se expressa a cada semana, nas ilustrações coloridas com que enriquece meus textos dominicais. Essas ilustrações, por sua agudeza crítica e expressividade gráfica - enfim por sua qualidade artística - levaram-me a sugerir a publicação de um livro, que é uma seleção do que foi publicado no jornal. Disso resultou Resmungos, um livro de arte, belo e expressivo, cujo mérito cabe, sobretudo, às ilustrações de meu parceiro. Isso mostra quanto foi acertada a escolha que fiz, ao indicá-lo, quando a Folha perguntou-me quem gostaria que ilustrasse as crônicas. Minha dúvida, no primeiro momento, foi se ele aceitaria o desafio, já que nunca criara sujeito à premência e às imposições do trabalho jornalístico. Mas ele topou - para minha alegria e o prazer dos leitores da Folha.
FONTE: Fátima Lopes Assessoria de Imprensa BM&F

SERVIÇO:
Antonio Henrique Amaral: 50 anos de Obra em Processo
De 07 de agosto a 14 de setembro
Horários: de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 18h00.
Local: Espaço Cultural BM&F - hall de entrada da Bolsa de Mercadorias & Futuros
Praça Antônio Prado, 48 - Centro - Cep - 01010-901
Visitas monitoradas - das 10h00 às 17h00 podem ser agendadas: fone (11) 3119-2404.
site: www.bmf.com.br - e-mail: bmfcultural@bmf.com.br


Darwin -- Descubra o homem

e a revolucionária teoria que mudou o mundo", chega ao Brasil, o único país da América Latina à recebê-la, no MASP, de 4 de maio à 15 de julho.

A Exposição itinerante do naturalista chega à São Paulo e apresenta tanto objetos pessoais quanto de suas teses. Muitas religiões rejeitam a teoria desenvolvida por Darwin, mas a verdade é que: nada do que aí está existiria sem sua teoria, da evolução. Ele viajou durante cinco anos, tendo sido as Ilhas Galápagos uma de suas fontes de pesquisa. Darwin Tinha 22 anos quando em 1831, no Beagle, partiu com a missão de desenhar reentrâncias mal conhecidas do litoral da costa Sul Americana. Porém, enquanto os outros tripulantes tentavam descobrir à rota, Darwin ficava em terra coletando material da flora e fauna. Ao retornar, sistematizou suas anotações e observou que as variações das espécies sucediam-se à medida que avançava. Reconheceu as Ilhas Galápagos como formações geológicas recente, e observou também que, se levasse em conta a variação entre os indivíduos, chegaria à conclusão que haveria indivíduos mais aptos do que outros. Ou seja, aqueles mais adaptados ao meio seriam aqueles que procriariam em maior escala. Tal processo é a base do que denominou seleção natural. Como autor, teve em 1859 sua grande obra publicada, A Origem das Espécies, que gerou grande impacto que a primeira edição com tiragem de 1250 exemplares, esgotou-se no primeiro dia. O MASP, representante oficial do Museu de História Natural de Nova York no Brasil, trouxe esta mostra que recria a viagem de descoberta do naturalista que transformou a percepção sobre a origem e a natureza das espécies. Plantas, seres vivos levam o público a se surpreender com à diversidade da vida. Orquídeas e espécies de aniamis répteis e também flora estudadas pelo britânico, entre os quais incleuem iguanas, tartarugas e plantas carnívoras, ampla área dedicada à viagem feita com o HMS Beagle é cheia de detalhadas e recriações, e criaturas que Darwin testemunhou durante sua longa jornada. As expectativas para os organizadores é de que a exposição seja vista por mais de 300 mil pessoas.

O Brasil na rota


O Porto da Praia foi a primeira escala da expedição britânica a bordo do navio Beagle, onde Darwin era convidado naturalista. O navio partitu de Davenport a 31 de Dezembro de 1831, e a 16 de Janeiro, atracou no Porto da Praia, que fora descrito por Darwin como um lugar “desolador”. Lá, ele visitou as praias Ribeira Grande e S. Domingos e tomou nota sobre o ambiente, as pessoas, a fauna. Ao zarpar de Cabo Verde, a expedição chega ao Brasil e visitou Bahia e Rio de Janeiro, e, seguiu para a Patagônia [Argentina] as Ilhas Malvinas e a Terra do Fogo. Prosseguindo sua rota, Darwin chegou às Ilhas Galápagos, a Nova Zelândia, Austrália, Maldivas e a Tasmânia, e também toda a costa ocidental da América do Sul, do Chile ao Peru, bem como as ilhas Keeling, Maurício e Santa Helena. Desembarcou em Falmouth. Todo o percuso demorou qautro anos e nove meses, chegaria ao fim em 2 de outubro de 1836. [AgênciaFM]

SERVIÇO
MASP: Avenida Paulista, 1578
De 04 de maio à 15 de julho
Horários: Quartas, sextas, sábados e domingos
9h00 às 19h00: Terças e quintas - 9h00 às 22h00

Para escolas:
Em São Paulo - tel. 34747500
Outras regiões - tel. 0800151336

 

 

 "A Cor no Espaço”  estréia 23 / 5 e segue até 28/07

 

Mestre da arte cinética, o venezuelano Cruz-Diez, expõe no Brasil

O Gabinete de Arte Raquel Arnaud apresenta a partit do próximo dia 22 de maio, terça-feira, às 20 horas a exposição individual do grande expoente da arte cinética, o venezuelano radicado em Paris desde 1960, Carlos Cruz-Diez. Nessa exposição, intitulada A COR NO ESPAÇO, o Gabinete irá mostrar 20 obras inéditas de Cruz-Diez: physiocromias, cromografias e cromo-interferências. Cruz-Diez participou pela primeira vez da II Bienal de Arte Internacional de São Paulo, em 1953 e das edições de 1957, 1963, 1965, 1967, 1979 e 2002. Sua primeira exposição individual no Brasil, aconteceu no Gabinete de Arte Raquel Arnaud, em 1987, onde teve grande sucesso. Retornou em 1988, quando pintou a calçada e passagem de pedestres do novo espaço da Galeria, à época recém inaugurada na Avenida Brigadeiro Luiz Antonio. Em 1996 realizou sua última individual no Brasil, dessa vez já no Gabinete de Arte Raquel Arnaud localizado na Rua Arthur de Azevedo e em 2004 refez a instalação “Ambiente Cromo Interferente” realizada especialmente para uma estação de metrô de Paris em 1973 e refeita para a exposição Arte Contemporânea: uma história em aberto, (curadoria de Sonia Salztein) organizada pela Galeria paralelamente à Bienal de São Paulo de 2005, com grande sucesso de crítica e de público. Nesse momento, fazendo jus à importância internacional de Cruz-Diez ele está expondo consecutivamente na Galeria Denise René e na Maison de L’Amerique Latine. Fez uma exposição itinerante “L’Utopia Cinetique” começando em Palma de Majorca e terminando em Sevilha, no mês passado. Está participando da exposição “Los Cinéticos” em Madrid até julho próximo.

Outro grande propósito de sua pesquisa são os projetos arquiteturais. Cruz-Diez e Jesus Soto, ambos nascidos em Caracas e vivendo em Paris, eram amigos de Sergio Camargo, artista exclusivo dessa galeria até seu falecimento e, cujo espólio está a cargo da Raquel Arnaud, e pode ser visitado na Casa Hum. De Cruz-Diez: “Pelas induções “cromáticas de freqüência dupla” quero, como em minhas outras pesquisas, produzir um clima cromático em contínua mutação”.

FONTE > Canal Aberto Eventos e Assessoria de Imprensa
[11] 9126 0425 - Márcia Marques ]


SERVIÇO

Exposição Carlos Cruz-Diez
Aberta ao público de 23 de maio até 28 de julho
Segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 15h.
Gabinete de Arte Raquel Arnaud - Rua Arthur Azevedo, 401
CEP 05404-010 - São Paulo / SP

 

 

 

 

 

Desenho Anônimo no MCB  até 8 de julho

 

A mostra Desenho Anônimo é um testemunho da importância da formação cultural familiar através de objetos domiciliares e pessoais de igrantes alemães e italianos. Estarão em exibição as portas decoradas de casa, utensílios domésticos, mobiliário, ferramentas, potes, vidros, entre outros.

Com curadoria do arquiteto Carlito de Azevedo Moura e do artista plástico Alfredo Aquino uma singular exposição com peças antigas estará na mostra Desenho Anônimo - Legado da Imigração no Sul do Brasil, que coloca em relevo o design executado por artesãos da imigração italiana e alemã, desde 1824 até o início do século 20. As peças foram colecionados e catalogados ao longo de três décadas, cerca de 500 objetos do cotidiano e 75 fotografias formam um extenso painel da saga da colonização nos estados do Sul do Brasil. As peças são originárias do Rio Grande do Sul, em sua maioria, e de Santa Catarina. Pode-se vislumbrar a inserção dos imigrantes no contexto do universo da casa e do trabalho, da sobrevivência individual, da vivência e da conquista, da abastança e do reconhecimento na comunidade local. São peças originais que foram criteriosamente selecionados entre 3.500, que pertencem à Coleção Azevedo Moura. Estarão em exibição as portas decoradas de casa, utensílios domésticos, mobiliário, ferramentas, potes, vidros, recipientes de armazenagem, utilitários de marcenaria, de cultivo, objetos de uso pessoal, adornos, os singelos quadrinhos de mensagens éticas e religiosas, e brinquedos.

A mostra é um testemunho da importância da formação cultural familiar através de objetos domiciliares. As 75 fotografias de época e cartões postais também foram selecionados do acervo da Coleção Azevedo Moura, que conta com mais de 750 imagens, antigas de quase um século. Grande parte das peças foram feitas pelos imigrantes, mostrando o desenvolvimento de um Desenho (design) Anônimo, criativo, espontâneo e baseado no bom senso, diz Calito de Azevedo Moutra. E Alfredo Aquino acrescenta: Os objetos desenhados e executados (em madeira, ferro, ligas de metais, cerâmica e porcelana) são os vestígios e os documentos materiais de uma saga onde os protagonistas anônimos modificaram a trajetória de seus destinos e nos legaram a beleza de suas pequenas peças, singelos potencializadores de esforços coletivos, onde não está ausente a força de suas individualidades criativas. [Cartão postal: Namíbia natiga colonia alemã - Iate Hohenzollern, pertencente ao Kaiser Wilhelm II, da Alemanha

Serviço
Exposição: Desenho Anônimo Legado da Imigração no Sul do Brasil
Abertura para convidados: 5 de maio, às 18h
Visitação: de 6 de maio a 8 de julho, de terça a domingo, das 10h às 18h
Local: Museu da Casa Brasileira - Av. Faria Lima, 2705 - Tel. 11 3032-3727
Ingresso: R$ 4,00 - Estudantes: R$ 2,00 Domingo / gratuito
Site: www.mcb.sp.gov.br

Fonte:
Menezes Comunicação Tel. 11 3815-1243 3815-0381 9983-5946
Contato para imprensa: Letânia Menezes/Silvana Santana
menezescom@uol.com.br

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 22:50  comentar

Maio 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds