Revelando, imortalizando histórias e talentos
11.4.08

O SESC está exposto neste momento. Talvez já tenham tomado conhecimento pela imprensa: o governo federal lançou medidas para melhoria da formação técnica dos jovens brasileiros que, do modo como estão sendo propostas, por mais bem intencionadas que sejam, constituem ameaça de uma intervenção do Estado em uma entidade privada.


O projeto, em resumo, pretende rever a distribuição dos recursos do impropriamente chamado Sistema S. Determina que boa parte da arrecadação dessas entidades seja remanejada para um novo Fundo destinado à formação técnica. O fato, porém, é que as entidades do chamado Sistema S são em si resultado de Fundos já criados, lá nos anos 40, em parte, com a mesma finalidade. O remanejamento dos recursos desses Fundos para outro novo Fundo implicará na restrição drástica da diversidade e do alcance da reconhecida ação do SESC, em prejuízo da educação permanente promovida diariamente a seus milhares de freqüentadores assíduos. Diante desse quadro, sinto que é meu dever dirigir-me uma vez mais a vocês, sobretudo porque estou seguro do valor desta instituição.

A melhor maneira de conferir o significado de sua ação é vivenciar o dia-a-dia nas unidades (atualmente são 31, somente no Estado de São Paulo); ouvir o relato dos freqüentadores sobre a importância do SESC em suas vidas e para suas famílias; estar e usar os equipamentos e instalações de primeira qualidade, abertos a todos os estratos sociais, e participar das inúmeras atividades que abrangem um amplo arco de interesses e necessidades, reunindo um público extremamente diversificado.

Acredito que todos vocês já tiveram essa oportunidade. São, portanto, testemunhas da natureza beneficamente eficaz, engajadamente eficiente e profundamente educativa do trabalho que o SESC desenvolve há mais de 61 anos. Esse patrimônio não pode ser sacrificado no altar de prioridades transitórias, em nome das quais se engendra um prejuízo incalculável ao país. Tornar a Educação meramente técnica, burocrática e pragmática, dissociando-a do universo simbólico, subjetivo, crítico e criativo, cerne da Ação Cultural, é um evidente retrocesso, fruto de visão flagrantemente obscurantista. Certo de que compreenderão a gravidade dessa perspectiva, escrevo a vocês, formadores de opinião, representantes de classes, artistas, pensadores, amigos e parceiros do SESC para que se manifestem, pelos meios ao seu alcance, em prol da continuidade de nosso trabalho. Um projeto que, afinal, construímos juntos.
FONTES:
Danilo Santos de MirandaDiretor Regional do SESC - SP
Dóris Sathler de Souza LarizzattiCoord. de Comunicação / SESC Carmo R. do Carmo, 147, 01019-020Tel. (11) 3111-7027, Fax (11) 3107-0306doris@carmo.sescsp.org.brClique e confira os programas e serviços do SESC SP:http://www.sescsp.org.br/http://www.sesctv.org.br/ www.sescsp.org.br/loja

 

TREMOR EM SÃO PAULO

 

Um tremor de terra foi sentido em várias regiões da capital paulista outros estados.

 

 Um tremor de terra de 5.2 na escala Richter [vai até 9] aconteceu às 21h5 de terça-feira, 22, a 215 quilômetros de São Vicente, litoral paulista. O tremor aconteceu a 10 metros de profundidade. 36 Municípios de São Paulo como por exemplo Santo André, São Bernardo, [grande São Paulo], Jandira e Praia Grande e Mogi das Cruzes foram atingidos pelo epicentro. Notícias dão conta de que bairros do Tatuapé, Zona Leste, Avenida Paulista e regiões também foram atingidas pelo tremor. Não houve vítimas, mas algumas casas e um hospital na capital paulista tiveram rachaduras nas paredes o que fez com que moradores abandonassem suas casas até o susto passar. Segundo o observatório sismológico de Brasília o tremor estendeu-se aos Estado de Minas Gerais, Rio de Janeiro [São Gonçalo e Duque de Caxias], Paraná e também Santa Catarina, em escala menor. Segundo especialistas, não há possibilidade de um Tsunami pois o epicentro ocorreu muito próximo da orla. Em 1932 um terremoto com a mesma magnitude aconteceu em São Paulo, que atingiu os mesmos 5.2 na escala Richter. Tratando-se de Brasil este nível não gera preocupação mas em outros países seria quase catastrófico. Afirmam també, que epicentro deste porte poderão acontecer mais vezes no Brasil.

 

 

CANAL ABERTO ASSESSORIA DE IMPRENSA informa: Rio de Janeiro e Goiânia fazem pouso no TD - evento mundial sediado esse ano no Rio de Janeiro, virão a SP

Em abril, no TD, duas oportunidades únicas: a Pré-conferência Celebração Global Laban 2008 - parte do encontro carioca em São Paulo que poderá ser conferido gratuitamente e Juliana Moraes – uma das mais talentosas criadoras da jovem geração da dança em duas versões deste talento: interpretada por ela mesma e por Lavínia Bizoto - bailarina goiana. Juliana Moraes: Coreógrafa e Intérprete

Juliana Moraes
Dentro do projeto “Bem-Casado” do Teatro de Dança, no qual uma companhia recebe na mesma noite outro grupo ou artista, haverá a possibilidade de se conferir dois solos coreografados por Juliana Moraes interpretados por ela mesma e por Lavínia Bizzoto, no período de 18 a 20 de abril: Querida Senhorita O e Na Dobra do Tempo, respectivamente. Juliana Moraes apresenta Querida Senhorita O. Nele, Moraes investiga a relação entre uma mulher de 30 anos em 2007 e a jovem elisabetana Ofélia (daí o título da peça ser o início de uma carta). Para tanto, a artista mergulha no enlouquecimento tendo como parceiro um bloco de concreto que ela manipula como se tentasse, em vão, transformar a realidade da sua dor. Na mesma noite, Lavínia Bizoto, bailarina goiana que integrou por 10 anos a Quasar Cia. de Dança, faz Na Dobra do Tempo, concebido originalmente para a Mostra de Solos de Dança do Sesc Rio. Bizoto convidou a artista paulista Juliana Moraes para coreografá-la e daí nasceu o solo.

LABAN 2008 – Artes Cênicas e Novos Territórios
No dia 23 o Teatro de Dança sedia a pré-conferência do Laban Celebration 2008: Artes Cênicas & Novos Territórios que será realizado no Rio de Janeiro entre 24 e 27 de abril. O TD, com exclusividade, receberá artistas, pesquisadores e estudantes de São Paulo que poderão acompanhar uma parte do que será realizado no Rio de Janeiro. No evento de São Paulo teremos, com entrada franca, duas conferências (Karen Bradley/Washington e Regina Miranda/RJ), com mediação de Lala Deheinzelin /SP, palestra (Isabel Marques/SP) e um workshop prático (Aynsley Vandenbroucke /NY), além do lançamento do livro Corpo-Espaço, de Regina Miranda (7Letras, Rio de Janeiro, Bolsas Vitae de Artes).


SERVIÇO
18 a 20 de abril, 6ª e sábado, 20h, domingo, 18h, dur: 70 min., 14 anos, R$ 4 e R$ 2
Programa “Bem-Casado” - Juliana Moraes + Lavínia Bizoto


“QUERIDA SENHORITA O.”
Solo de Juliana Moraes (São Paulo, SP)
Ofélia ocupa lugar especial no universo dos grandes personagens de Shakespeare. Ainda que tenha poucas falas em Hamlet, a enamorada do protagonista é uma presença poderosa, com sua trajetória da sanidade à loucura a partir da morte do pai e do desprezo do amante. Juliana Moraes investiga a relação entre uma mulher de 30 anos em 2007 e a jovem elisabetana (daí o título da peça ser o início de uma carta). Para isso, ela mergulha no processo de enlouquecimento da personagem tendo como parceiro um bloco de concreto que ela manipula como se tentasse, em vão, transformar a realidade da sua dor.


Ficha técnica:
Concepção e interpretação: Juliana Moraes Trilha sonora: Jonas Tatit Canção: Jonas Tatit e Luis Tatit Produção e edição do vídeo: César Ramos Figurino: Paulo Babonni Projeto de luz: Marque Xavier e Juliana Moraes Operação de luz: Bruno Natale Operação de som: César Ramos Produção: Stella Marini . Originalmente produzido para o 11° Cultura Inglesa Festival. Esse projeto foi realizado com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo - Programa de Ação Cultural – 2007

“NA DOBRA DO TEMPO”
Solo de Lavínia Bizoto (Goiânia, GO) “Na Dobra do Tempo” é um solo sobre o virtuosismo do prosaico e do simples a partir de poses de espera e gestos inacabados. O trabalho busca o movimento familiar que se torna estranho pela manipulação de suas dinâmicas, acelerando algumas passagens, borrando ou suspendendo outras. O corpo se permite ver pensando e avaliando suas possibilidades de ação no momento mesmo da performance, como se cada gesto ou movimento surgisse naquele instante.

Ficha Técnica
Interpretação: Lavínia Bizoto Coreografia: Juliana Moraes Trilha Sonora: Bruce Henri Desenho de Luz: Cesar Ramires Produção Executiva: Bruce Henri
23 de abril, Pré-Conferência - Celebração Global Laban/2008, entrada franca


Laban: Artes Cênicas e Novos Territórios
A Celebração Global Laban 2008 - LABAN: ARTES CÊNICAS E NOVOS TERRITÓRIOS comemora a influência e a importância das idéias de Rudolf Laban & Irmgard Bartenieff no desenvolvimento da dança contemporânea e da dança-educação no Brasil e investiga a relevância e os novos territórios de aplicação de suas idéias no Século XXI. Em colaboração com o Centro LABAN - Rio, Centro Coreográfico do Rio de Janeiro e Laban / Bartenieff Institute of Movement Studies - LIMS®
Entrada Franca - Inscrições por ordem de chegada.

Programação - Celebração Global Laban 2008
10h ▪ Abertura ▪ A extensão do campo labaniano
10h15 ▪ Conferência ▪ Corpos em Transformação, com Regina Miranda/Rio de Janeiro
11h ▪ Coffee break 11h15 ▪ Conferência ▪ Teorias de Laban: Novos Caminhos, com Karen Bradley/Washington
Mediação das Conferências: Lala Deheinzelin/São Paulo
12h30 ▪ Lançamento de livro, Regina Miranda - CORPO-ESPAÇO (7Letras, Rio de Janeiro, Bolsas Vitae de Artes)
15h ▪ Palestra Revisitando a Dança Moderna e Rudolf Von Laban, com Isabel Marques/São Paulo 16h15 ▪ pausa
16h30 ▪ workshop prático - Suporte para uma presença integrada em dança, com Aynsley Vandenbroucke/Nova Iorque, EUA
18h30 ▪ Encerramento

TD - Teatro de Dança - Secretaria de Estado da Cultura
APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, Brasil - Metrô República
E-mail: mailto:inf. teatrodedanca@apaa.org.br
Telefone da bilheteria: 2189 2555 / Informações: 2189 2557

Capacidade: 278 lugares/Ar-condicionado/Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais/Redecard e Mastercard/Estacionamento R$ 15,00 com manobrista.
Bilheteria, abertura: Vendas para o dia do espetáculo - 4ª a domingo: a partir das 14h
http://www.apaacultural.org.br/ /// Vendas online http://www.ingressorapido.com.br/
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 15:34  comentar

Abril 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
30


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds