Revelando, imortalizando histórias e talentos
16.6.08

Bode Io-iô: uma personalidade cearense

 
O Bode Io-iô poderá ter sido o único caprino morto de cirrose hepática ou de atentado político. Para ajudar seu dono, um retirante da seca , a empresa inglesa Rossbach Brazil Company, com sede na Praia de Iracema, comprou o bode em 1915.
 

Ele não foi um bode convencional e visto por um outro viés não deixa de ser uma personalidade cearense. Io-iô preferia perambular, beber e fumar nos bares de Fortaleza dos anos 1920 em vez de ficar ao lado dos outros caprinos. Ele era visto ingerindo copos e mais copos de cerveja e cachaça ao lado de seus 'amigos' boêmios e escritores que freqüentavam os antigos cafés. Quando bebia ficava abusado. Não respeitava nem mesmo as moças que usavam vestidos até ao tornozelo pois com os chifres levantava os vestidos delas. Entre essas e outras, o bode foi arranjando fama e desafetos na cidade. No ano de 1922, quando os mesários abriram as urnas, Io-iô tinha recebido a maior votação para vereador. Não pôde ser empossado mas sua fama crescia além de Fortaleza. Em 1930, sua saúde estava debilitada. As noitadas diminuiriam e Io-iô não mais se arriscava até tarde da noite na boemia ao lado dos antigos companheiros de copo. Em 1931, foi encontrado morto em uma calçada nas imediações da Praça do Ferreiro, região central de Fortaleza. A causa de sua morte foi apontada como cirrose hepática. Apesar de outras hipóteses como por exemplo um noivo zangado ou um atentado político contra o bode pois teria derrotado candidatos conhecidos e de famílias tradicionais do Ceará que poderiam tê-lo matado. O bode também participou de atos políticos em coretos, praças e saraus literários, além de ter comido a fita inaugural do Cine Moderno; assistiu peças no Theatro José de Alencar, passeou de bonde, tinha acesso livre às igrejas e até na Câmara Municipal. O bode foi doado ao Museu do Ceará, tornando-se uma de suas peças mais admirada.

Roubo do rabo

Após sua morte, em 1931, ele foi embalsamado, e mais recentemente, doado ao Museu do Ceará. O bode passou por um processo de empalhamento para poder receber visitação pública. Uma vez por semana um funcionário cuida da limpeza de sua frágil pelagem. Há alguns meses um fato inusitado aconteceu, roubaram o rabo do bode de dentro do museu. Não é um rabo de um bode qualquer. Trata-se do rabo de um bode famoso com estátua em museu de Hollywood onde tem uma réplica. Sensibilizados, os donos do Jornal Bode Io-iô, fizeram uma campanha junto à população na tentativa de se localizar o rabo. Eles oferecem uma assinatura grátis do jornal por um ano além de uma réplica em tamanho original para quem encontrar. O apelido Io-iô’ foi por causa das suas idas e vindas da Praça do Ferreira para a sede da empresa na Praia de Iracema, em Fortaleza. [Francisco Martins]

Museu do Ceará
Rua São Paulo, 51
(85)3101.2610
 
 

A Secretaria Municipal de Cultura prepara museu voltado para o folclore brasileiro, arte indígena e contemporânea.


O nome é provisório ‘Museu A Mão do Povo’, mas o local de sua instalação é definitiva e ocupará o antigo prédio da Prodam {Processamento de Dados do Município}, com 11 mil metros quadrados, no Pavilhão Armando de Arruda Pereira, Parque do Ibirapuera. O projeto do conteúdo da instituição museológica foi feita pela curadora independente Adélia Prado, ex-diretora do Museu da Casa Brasileira, que entregou relatório final em abril de 2008 ao secretário municipal Augusto Carlos Calil. Até o final de julho já haverá uma definição de como se dará a ocupação do edifício. O ponto de partida para a concepção do acervo do museu são as 3.800 peças do Museu do Folclore Rossini Tavares Lima, propriedade da prefeitura, além de quase 2 mil fotografias; instrumentos musicais e sonoros. O professor e colecionador Rossini Tavares de Lima, começou sua coleção em 1947, cuja intenção seria o acervo constar dentro do Centro de Pesquisas Folclóricas do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. O Museu A Mão do Povo, acolherá também, a coleção da Missão de Pesquisas Folclóricas, feita em 1938 por Mário de Andrade, cujo material encontra-se no Centro Cultural São Paulo.

Um museu destinado à arte popular sempre foi um sonho do mecenas Ciccilio Matarazzo. Em 1954, como parte das comemorações do Quarto Centenário da Cidade de São Paulo, através de Ciccilio a idéia de se criar o museu com arte popular teve mais ênfase, haja vista seu empenho na coleta de obras para Exposição Internacional de Artes e Técnicas Populares. Até o final dos anos 70, peças foram compradas para a coleção. De lá para cá o Museu do Folclore foi acomodado na Casa do Sertanista e tais acomodações não atendia às necessidades de conservação do acervo. A prefeitura foi interpelada pelo Ministério Público que exigia providências quanto a conservação das peças. Uma catalogação apontou que 10% do acervo estava deteriorado. O restante das obras foram embaladas e enviadas para um depósito onde aguardam até o destino final, o Museu A Mão do Povo, que deverá ser inaugurado no início de 2009. [Francisco Martins]
 
 
 
 
 

Agenda Cultural 2009 - Artes Plásticas e Fotografia 

 

Estão abertas de 1º de agosto á 31 de outubro de 2008 as inscrições para a AGENDA CULTURAL 2009 do ESPAÇO CULTURAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, que tem como objetivo proporcionar à sociedade eventos de valor cultural, com a participação de artistas consagrados e de novos talentos da arte contemporânea. Os artistas e/ou produtores interessados em apresentar projetos para exposições individuais ou coletivas de artes plásticas e fotografia, nos espaços da Câmara dos Deputados em Brasília, deverão inscrever-se mediante o envio de dossiê. Terão preferência, na seleção, artistas cujos trabalhos não foram apresentados no ano anterior.

DOSSIÊ
Formulário de Solicitação devidamente preenchido, com currículo sucinto do artista, limitado à sua formação artística, Termo de Responsabilidade e Autorização de Veiculação de Imagem assinados pelo responsável direto.
Entrevista Biográfica
Material de exposições anteriores (recortes de jornal, críticas da imprensa, fotos, catálogos, etc).
Fotos ou xerox colorida: mínimo de 4 e máximo de 10 (tamanho mínimo: 10x15 e máximo A4) das obras que sejam representativas do estilo/técnica a ser usada na exposição. As fotos deverão estar identificadas com título da obra, data, técnica e dimensões. A proposta da exposição deverá mencionar técnica, materiais utilizados, dimensões e quantidades aproximadas das obras. Caberá ao Espaço Cultural a definição do período e a indicação final do espaço, tendo em vista as particularidades de cada ambiente.


 


OBS: Trabalhos experimentais que explorem suportes e materiais não usuais deverão vir acompanhados de ilustrações, esquemas ou maquetes e texto explicativo sobre o manuseio e montagem dos mesmos.

DOCUMENTAÇÃO
Cópia do Documento de Identidade e CPF; ou no caso de representante legal, cópia do Documento de Identidade e CPF, bem como procuração do artista com assinatura em cartório.


 


ENTREGA
O dossiê e a ficha de inscrição preenchida deverão ser entregues em envelope ou embalagem apropriada, com o nome e endereço completo do remetente, diretamente no Espaço Cultural ou enviados pelo correio, com data de postagem até o dia 31 de outubro de 2008, inclusive.
Não serão aceitas propostas enviadas por e-mail ou fax.
SELEÇÃO
As propostas recebidas ficarão sujeitas à seleção da Comissão Consultiva do Espaço Cultural da Câmara dos Deputados. A seleção da proposta não implicará na garantia de pauta, que só se efetivará com a assinatura do Termo de Responsabilidade de uso dos espaços da Câmara dos Deputados. Os selecionados ficam impedidos de modificar o projeto apresentado, salvo expressa autorização do Espaço Cultural da Câmara dos Deputados.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
Adequação do projeto ao espaço físico.
Qualificação do projeto: originalidade, qualidade técnica e contemporaneidade da proposta.
Grau de expectativa de interesse do público: projeto inédito, atratividade do tema.
Perspectiva histórica e de contribuição ao enriquecimento sócio-cultural da comunidade.
Adequação à imagem institucional da Câmara dos Deputados.

DOAÇÃO
O artista que utilizar as dependências da Casa para apresentar seus trabalhos deverá destinar, gratuitamente e em caráter definitivo, uma das obras expostas, a ser selecionada pela Comissão de Seleção de Obras de Arte da Câmara dos Deputados, bem como ceder o direito de uso de imagem da mesma. A doação será feita mediante termo próprio, ao qual será anexado o respectivo certificado de autenticidade da obra.

PROPOSTAS APROVADAS
Os selecionados cujas propostas forem aprovadas para a pauta 2009 serão comunicados por escrito, com a indicação do local da exposição e deverão obrigatoriamente retornar também por escrito ao Espaço Cultural, confirmando seu interesse em realizar a exposição e a concordância com o ato de doação, sob pena de cancelamento da respectiva pauta.

COMERCIALIZAÇÃO
Fica a critério do proponente a comercialização ou não das obras, não sendo autorizadas, porém, abordagens comerciais aos visitantes da mostra visando a venda, nem a colocação dos preços nas respectivas etiquetas. Os preços das obras poderão constar em listagem específica, disponibilizada na sala de exposição ou recepção dos espaços.
A negociação deverá ser feita diretamente entre o proponente e o comprador, isentando-se a CÂMARA DOS DEPUTADOS de qualquer responsabilidade ou participação nessa transação.
As obras vendidas somente poderão ser retiradas dos espaços ao término da exposição.
Não será permitida a afixação da indicação "vendido" nas obras. A entrega das obras aos compradores será de inteira responsabilidade do proponente.
DIVULGAÇÃO
Caberá ao proponente a divulgação de sua exposição junto aos meios de divulgação externos.
Deverá constar, obrigatoriamente, em todo e qualquer material ou meio de divulgação, o crédito "CÂMARA DOS DEPUTADOS" e "ESPAÇO CULTURAL".
No caso de material impresso e mídia eletrônica, deverá ser inserida a logomarca da CÂMARA DOS DEPUTADOS fornecida pela mesma, juntamente com as normas para suas aplicações que deverão ser rigorosamente seguidas.
É obrigatória a inserção dos seguintes termos: "CÂMARA DOS DEPUTADOS apresenta", "Apoio Cultural" e/ou "Realização", conforme acordado com o Espaço Cultural da CÂMARA DOS DEPUTADOS.
A arte-final do material de divulgação deverá ser apresentada ao Espaço Cultural da CÂMARA DOS DEPUTADOS, para aprovação antes da impressão, visando inibir erros de inserção da logomarca da CÂMARA DOS DEPUTADOS, endereçamento, nomes e outros dados relativos ao evento.
O material produzido em desacordo com o estipulado e sem aprovação do Espaço Cultural da CÂMARA DOS DEPUTADOS, implicará, necessariamente, no seu recolhimento e em nova confecção às expensas do proponente. O material necessário, pré-releases, fotos, VT (custos pagos pelo proponente), deverá ser entregue com uma antecedência mínima de 30 (trinta) dias da data definida para a abertura do evento artístico e nas quantidades solicitadas pelo Espaço Cultural da CÂMARA DOS DEPUTADOS, para aprovação. Cabe ao proponente a afixação dos cartazes fora das dependências da CÂMARA DOS DEPUTADOS e também quaisquer taxas de afixação ou multas por colocação em locais proibidos.


 


DISPOSIÇÕES GERAIS
A CÂMARA DOS DEPUTADOS compromete-se apenas com a cessão gratuita dos espaços.
A montagem da exposição, bem como as despesas dela decorrentes, tais como contratação de transporte, recepcionistas, montadores, serviço de bufê, confecção de material promocional, divulgação na mídia externa, locação de painéis, suportes e luminárias são de responsabilidade do interessado. Cabe à CÂMARA DOS DEPUTADOS a entrega e manutenção dos espaços em condições de funcionamento, não ficando, entretanto, responsável por eventuais furtos ou danos verificados nas obras durante o período de permanência da exposição. A CÂMARA DOS DEPUTADOS não se responsabilizará por qualquer pagamento devido pelo proponente em virtude da exposição realizada, nem responderá por qualquer transgressão às leis por ele praticada. O Espaço Cultural da CÂMARA DOS DEPUTADOS disponibilizará aos aprovados plantas baixas com as respectivas medidas dos espaços. Caso ocorram danos aos equipamentos ou instalações da Instituição CÂMARA DOS DEPUTADOS, ocasionados pelo proponente ou sua equipe, durante os períodos de montagem/exposição/desmontagem, os ônus de reposição/ressarcimento serão de responsabilidade do proponente. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Consultiva do Espaço Cultural da CÂMARA DOS DEPUTADOS.

 


Entrega do Projeto:

ESPAÇO CULTURAL ZUMBI DOS PALMARES
Palácio do Congresso NacionalCâmara dos Deputado Anexo I - 21º andar - sala 2109Brasília - DF CEP: 70.160-900Telefones: (61) 3215-8080 e 3215-8081 Fax 3215-8091Horário de recebimento: de segunda a sexta-feira de 9 às 18 horas
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:29  comentar

A Semana Cultural Brasil-Japão começa no dia 14 de junho, e segue até o dia 22 com atrações nacionais e internacionais, reunindo público estimado de 200 mil pessoas, comemorando o Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Durante os sete dias do evento, serão apresentados shows, palestras e workshops, lançamentos de livros, cursos de gastronomia, simpósios, campeonatos de karaokê e de cosplay. Confira os destaques da programação da Semana.


HIBIKI FAMILY Dia 14/6, às 14h - Artes do Corpo
Akito, um dos componentes do grupo formado ainda por Kazuma e Yuka, mostrará o processo de transformação de um ator do sexo masculino em personagem feminino. Esta demonstração de maquiagem, figurinos e gestos do onnagata se chama visagismo - Dias 15 e 20/6, às 15h30, no Grande AuditórioApresentação do grupo .

 


ETIQUETA JAPONESA
Dia 16/6, às 18h - Arte dos Sabores
Lumi Toyoda, palestrante especializada em cultura oriental, fala sobre a etiqueta na culinária japonesa - JAZZ SINFÔNICA CONVIDA MAWACA E TAIKO SHÔ
Dia 16/6, às 20h - Grande Auditório
A Jazz Sinfônica convida o grupo Mawaca, de música étnica, para uma apresentação onde se mistura a MPB em versão sinfônica com a música folclórica japonesa em versão inusitada acompanhada pelo grupo de tambores Taiko Shô.

 


EQUIPE LUIZA SATO
Dia 16/6, de 11h às 16h Artes do Corpo
A equipe Luiza Sato apresenta diversos tipos de massagem para o público em geral. Atividade in memorian de Luiza Sato, que será homenageada no evento.

 


JUN SAKAMOTO
Dia 17/6, às 15h - Auditório 9
Palestra "Conceitos do design culinário", e lançamento do livro Jun Sakamoto - O Virtuose do Sushi (Editora Beï), escrito pelo jornalista Thomaz Souto Corrêa. A caixa contém outras publicações: um ensaio em preto-e-branco feito pelo fotógrafo Cristiano Mascaro e o guia de restaurantes e atrações culinárias Jun por Jun. Dia 18/6 e 20/6, às 15h - Artes dos Sabores
Encontros "Jun Sakamoto - A Arte do Sushi"

 


TURMA DA MÔNICA / MASCOTES TIKARA E KEIKA Dia 17/6, às 18h - Auditório 9
O desenhista e criador Maurício de Sousa aborda o processo criativo e a transformação dos mascotes Tikara e Keika em produtos comerciais e suas estratégias de inserção no mercado.

BALÉ YUBA
Dia 19/6, às 20h - Grande Auditório
O balé da comunidade Yuba (comunidade rural localizada na região de Mirandópolis que abriga 61 japoneses e descendentes) faz espetáculo com narrativa baseada no cotidiano dos imigrantes.
CAMPEONATO DE KARAOKÊ
Dias 21 e 22/6 - Grande Auditório


 


CAMPEONATO DE COSPLAY
Dia 21/6, das 19h às 23h - Auditório Elis Regina
Abriga a etapa brasileira do World Cosplay Summit, o maior concurso de Cosplay do mundo.


 


FERNANDA TAKAI
Dia 22/6, às 20h - Auditório Elis Regina
Show de encerramento da cantora Fernanda Takai, vocalista da banda mineira Pato Fu, que lançou em 2007 seu primeiro CD solo "Onde brilhem os olhos seus". Ela interpreta em japonês o clássico da MPB O Barquinho.

 


KENZO
Dia 20/6, às 11h - Auditório 9
O estilista Kenzo realiza palestra "O Japão como precursor da moda no Ocidente".
ÂNGELA HIRATA
Dia 20/6, às 11h - Auditório 9
Seguindo a tríade design-ecologia-sustentabilidade, a empresária fala sobre a reformulação da marca Amazon Life, que fabrica acessórios utilizando couro vegetal de seringueira. Ela abordará conceitos como reciclagem, reutilização de matéria-prima e recondicionamento do produto com preocupações ambientais.

YÛKI ATAE
Grande Auditório
Exposição de bonecos feitos de pano do artista japonês Yûki Atae com 50 obras exibidas em NY e Paris. Destaque para um boneco confeccionado especialmente para a exposição, em homenagem aos 100 anos da Imigração Japonesa.
HELLO KITTY
A personagem japonesa conhecida mundialmente estará presente no evento em stand com atividades infantis, como desenho e pintura. Uma parte do espaço abrigará um cenário em que Hello Kitty poderá ser fotografada com as crianças. As fotos serão impressas na hora e exibidas no telão do stand.
COLETIVO DE ARTISTAS MOYASHIS
Dias 18 e 19/6, a partir das 11h
O coletivo de artistas brasileiros contemporâneos moyashis faz uma invasão no espaço oficial do evento. Os artistas produzirão ao vivo painéis de arte urbana, stickers, grafitti, ilustração, poesia etc.
Dia 22/6 - 18 horas - Auditório 9
Palestra sobre o coletivo de artistas

Serviço:

 

Semana Cultural Brasil-JapãoEvento oficial do Centenário da Imigração Japonesa no BrasilRealização: Associação para Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil Período: 14 a 22 de junho de 2008, de 9h às 21hLocal: Centro de Convenções do Anhembi e Auditório Elis Regina/São Paulo - Av. Olavo Fontoura, 1209 -


 

Entrada gratuita (não é necessário apresentar ingresso para a Semana Cultural) Apoios: Ministério da Cultura / Ministério das Relações Exteriores / Governo do Estado de São Paulo / Prefeitura do Município de São Paulo / Consulado Geral do Japão em São Paulo / Fundação Japão.
Patrocínio: Usiminas / Cosipa / Sebrae/ Sanrio / Banco do Brasil / Bradesco / Yakult / Sakura Nakaya Alimentos Informações para a imprensa: Mirian Lie Hatanaka / 11-9619-2494 / eventos@centenario2008.org.br
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:28  comentar

"Igrejas sob o olhar de Mauricio Cardim"

Sete Lagoas - Minas Gerais, 24/06 -[Agencia FM ] Baiano de Ipiaú, cidade situada no sul do Estado, esse fotógrafo-viajante já percorreu os quatro cantos do país em busca das melhores imgens para suas mostras fotográficas e milhares delas eternizadas em cartões-postais através de uma editora paulistana.

Especialista em retratos de cidades o fotógrafo está sempre atento as belezas dos lugares.Com mais de cem exposições realizadas no país e uma em Montreal, Canadá. Sete Lagoas está recebendo essa mostra inédita (a 19a. neessa cidade) e o tema também. "Sempre gostei e gosto de fotografar igrejas, principalmente católicas, porém uma mostra com esse tema a primeira vêz", ressalta o fotógrafo. Cardim diz que sempre inicia seus trabalhos fotográficos direcionando suas lentes para os templos sagrados. Com seu olhar atento e viajante as cidades percorridas por ele, as igrejas sempre tiveram um destaque especial na sua jornada e o resultado, milhares de imagens reproduzidas. As fotos e também cartões-postais apresentadas nessa mostra são de igrejas de Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco e Mato Grosso do Sul


A mostra está sediada no Espaço Cultural Maria Magdalena Alves Padrão (prédio da Rádio Musirama FM), rua Niquel 457, bairro Morro do Claro, Sete Lagoas-Mg.Todos os dias das 8 h as 20h00, até 27 de julho [Prorrogada até final de agosto]

Entrada franca.

Mais fotos:
 
 
Informações à imprensa
 
 

Fotógrafos da Vida Moderna"

 
12/07/ 2008 MAC apresenta exposição com mestres da fotografia experimenta

Cartier-Bresson, Robert Doisneau, Leni Riefenstahl, participam da história da fotografia, mas são nomes pouco familiar ao povo e de coleções de instituições públicas brasileiras.
A partir de sexta-feira,12, a exposição "Fotógrafos da Vida Moderna" no MAC [Museu de Arte Contemporânea] apresenta 154 fotografias, sendo que deste total, 124 pertenciam à coleção de Edemar Cid Ferreira, ex-dono do Banco Santos, e foram destinadas ao MAC sob guarda provisória por decisão judicial
Na primeira sala, diversas fotografias de Brassaï (1899-1984) e Man Ray (1890-1976), que são os nomes com mais obras representadas, 11 e 14 respectivamente. A mostrar foi construída a imagem do artista. A fotografia experimental tem sua representatividade, na sala seguinte, que tem desde a impressionante "Moça com Leica" 1934, de Aleksandr Rodtchenko [1891-1956], e um registro de freiras no Rio, de Herbert List [1903-1975]. Nas salas subsequentes, há conjuntos raros, como o álbum de Jacques-Henri Lartigue (1894-1986) e o seu fascínio pelas máquinas modernas e seus movimentos, além de uma série de fotomontagens do escritor Jorge de Lima [1893-1953], pertencente ao IEB. A mostra apresenta o fotógrafo francês Henry Cartier Bresson [1908-2004],o alemão Herbert List [1903-1975] e seus seus melhores cliques. Já entre os ilustres brasileiros estão Alice Brill, Aldemir Manarini, Hildegard Rosenthal. [Foto Divulgação]


SERVIÇO
A mostra está no MAC-USP, no Ibirapuera
(av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3,
pavilhão da Bienal, 3º andar
5573-5255), de 10/7 a 28/9
entrada é gratuita.
 
 

Cangaceiros: retrospectiva

 
Mostra é a maior já feita em homenagem a Lampião e seus cabras, em Fortaleza.

A exposição é composta de 100 fotografias do acervo pertencente ao Abafilm, Sociedade do Cangaço. A maioria dos registros fotográficos são de Benjamin Abrahão, que fotografou e filmou o bando de Virgolino Lampião (1922-1938),com equipamento e orientação de Adhemar Albuquerque, fundador da Abafilm. As demais fotografias são de Lauro Cabral de Oliveira, João Damasceno Lisboa, Pedro Uchoa, entre outros que, por meio de suas lentes, possibilitaram a confirmação de momentos históricos do cangaço. Entre as 100 imagens 14 delas são expostas pela primeira vez após restauração. As demais 86 compuseram a exposição Cangaceiros na França em 2006 e em São Paulo, entre 2006 e 2007. A mostra é dividida em etapas da vida de Lampião, seu bando e o cangaço. Começa com o cangaceiro na companhia de sua família em Juazeiro do Norte, em março de 1926. Passa por registros diversos de seu bando, entre 1927 e 1936; chega à repressão, nas fotografias das volantes, que eram as milícias armadas para o combate ao cangaço; e à morte, com os corpos e as cabeças decapitadas e expostas em locais públicos como provas das capturas, em 1938, e registros também da rendição de outros cangaceiros em 1939.

Outros objetos

A exposição apresenta filmes e conta ainda com dez painéis de recortes de matérias sobre Lampião e seu bando, publicadas na época pela revista A Noite Ilustrada e O Povo. Objetos pessoais como jóias, vestimentas, armas brancas e de fogo ajudam a compor a retrospectiva. Haverá exibição ininterrupta do filme feito por Benjamin Abrahão sobre o bando, e também uma mostra com outros oito filmes cuja temática é o cangaço. Se destacam também, um cartão de visitas com fotografia na frente e mensagem no verso, escrito a mão e assinado por Virgolino Ferreira da Silva, vulgo "Capitão Lampião"; Volantes em pose oficial para a posteridade e até uma dança de cangaceiros no meio do sertão. # Reportagem publicada na versão impressa da Revista Contemporânea, edição nº 9, julho de 2008 - www.revistacontemporanea.com.br
 
 

Serviço
Local: Memorial da Cultura Cearense
Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Até dia 03 de agosto.
 
 

LEONILSON

Mostra de artistas como Leonilson e Sofia Borges apresentam vertentes e diversidade técnica.
 

 

 Experimentalismos formas e diversidade técnica de artistas como José Leonilson dão o tom na abertura do ciclo de exposições do Centro Universitário Maria Antônia. Cerca de 30 desenhos feitos por Leonilson [1957 - 1993] http://formasemeios.blogs.sapo.pt/205512.html ,no final da década de 1980 quando tentava apontar nova leitura em suas obras, e mostram um Leonilson não muito expressivo, pois estes desenhos fazem parte de uma época do artista menos criativa, mas sempre precisa ser revisto devido referências biográficas. São desenhos carregados de ironia como se comentasse o mundo das artes e o homem contemporâneo. O desenho é também tema da artista Edith Derdyk, que contraria aqueles que pensam não haver traços, marcas ou riscos em quase uma tonelada de papel apresentada na instalação ' Se um Mar Inteiro Sob o Leito de um Rio', que pretende tratar da linguagem, da forma e do pensamento.

No primeiro andar estão as obras de Fernando Lindote, que apresenta desenho com fitas adesivas negras no piso e nas paredes que remetem ao universo das criações em terceira dimensão, sem deixar de evidenciar as precariedades do meio. Sofia Borges é a mais jovem entre os artistas expositores. Ela apresenta uma série de experimentações utilizando fotografia digital. Artifício, realidade e movimento com imagens fortes. É como se a fotografia simulasse a se mesmo.

A mostra apresenta dois núcleos, sendo um no chão, com ondas de papel que se entrecruzam ocupando o piso da sala transversalmente. Uma série de livros que Edith realizou no Canadá também participam, todos são cortados ao meio com versos escritos pela autora. No segundo andar, além de Leonilson e Eddith, há também um conjunto de pinturas e desenhos do artista cubano radicado no Brasil, Alexis Iglesias. [ABERTURA, HOJE, 19, ÀS 20H00 ].

Leonilson, Edith Derdyk, Fernando Lindote,
Sofia Borges e Alexis Iglesias

Centro Universitário Maria Antônia
Rua Maria Antônia, 294 [11] 3255-7182
De terça a sexta-feira das 12h00 às 21h00
Sábado e Domingo - das 10h00 às 18h00
Até 24 / 08 - GRÁTIS
 

Raras maquetes japonesas em exposição

 
O Palácio de Verão do Governo de São Paulo, no Horto Florestal, apresenta mostra com maquetes construídas entre os séculos V e VIII, a partir do dia 16.

 A mostra faz parte do calendário estadual de comemoração do centenário da imigração japonesa no Brasil. São15 peças que reproduzem em detalhes templos, castelos, santuários, palácios e ruínas de o portal de um antigo palácio e um memorial. As maquetes foram construídas entre os séculos V e XVII e pertencem ao Consulado do Japão em São Paulo. Entre as obras destaca-se a reprodução do santuário xintoísta Itsukushima, localizado na província de Hiroshima, e o templo budista Horyuji, cuja construção data do ano de 607 e ainda conserva parte de sua madeira original. Considerado o maior e mais belo castelo japonês, o Himeji, que fica na cidade de mesmo nome, na Província de Hyogo, também está presente na exposição. Sua construção teve início no ano de 1346 e só foi finalizada em 1609. Outra obra que chama atenção pela história é o Portal Shureinomon., a peça era um dos portões do Castelo de Shuri, sede da Dinastia de Ryukyu, que reinou de 1429 a 1879.
 
 
O portal foi restaurado em 1958. Genbaku Dome, é considerado pela Unesco Patrimônio Histórico da Humanidade, a maquete Genbaku Dome ou a Cúpula da Bomba Atômica, emociona, fica em Otemachi perto da Ponte Aioi, em Hiroshima, que foi aproximadamente o epicentro da explosão atômica de 6 de agosto de 1945. É o único edifício atingido pela bomba atômica que ainda existe. Além dos templos e palácios japoneses, os visitantes podem aproveitar para conhecer obras da coleção do Acervo do Governo do Estado, que conta com obras de Collete Pujol, Margaret Mee, Rugendas, Mário Gruber, Antonio Henrique do Amaral, Oscar Pereira da Silva, Milton Dacosta, J. Barbosa Rodrigues, entre outros.
[Reportagem publicada na Revista Contemporânea de agosto de 2008. Acesse mais conteúdo em www.jornalnovastecnicas.com.br  . Assine a revista: [11] 3337-2952]
 
[Palácio Kinkakuji - AgênciaFM]

 

 

Palácio do Horto: Rua do Horto, 931 – Horto Florestal


(11) 2193-8282 : http://www.acervo.sp.gov.br/
Sábados, domingos e feriados, das 10 h, às 14 h,
Todas as visitas são acompanhadas por educadores
Até 30 de setembro - Entrada Franca.

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:26  comentar

Junho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13

15
17
19

22
24
25
26
27
28

29
30


NOTÍCIAS RECENTES
EDITORIAS
ARQUIVO
MAIS ACESSADAS
SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds