Revelando, imortalizando histórias e talentos
5.7.08

19/02/ 2009

 
Seu grande sucesso foi o bolero "Coração de Pedra" mas ela gravou também músicas de Rossini Pinto Menina de Lourdes nasceu no município de Gália, interior paulista, em 22 de setembro de 1941.
 
 
Desde pequena cantava em festas e clubes da cidade natal. Ainda na adolesc6encia mudou-se para capital onde foi crooner dos renomados maestros Pedrinho e Henrique Simonetti. No ano de 1962, foi contratada pela gravadora Continental onde gravou seu maior sucesso "Coração de Pedra". Na sequência, emplacou mais um sucesso "Terceira Noite", uma versão de Paulo Augusto. Grande parte dos seus discos tiveram arranjos do maestro Élcio Alvarez.
 
A cantora gravou também Rossini Pinto, um dos mais conceituados da década de 70. Seu nome foi um dos mais importantes na Rádio Nacional. Menina de Lourdes reside em São Paulo, e, está dispostas a realizar shows. [Dino Nery - pesquisador musical, cantor, radialista, escritor e jornalista e editor de Elas&ele. LEIA MAIS EM FORMAS&MEIOS: EDITORIAS: elas&ele
 

 

,

 Izaura Garcia - a personalíssma

 

 
Viveu eternamente apaixonada e em conflitos amorosos mas em um desses romances aliado ao talento renderia os melhores discos.
 


Izaura Garcia nasceu no Brás, região central de São Paulo, na Rua Alegria, em 2 de fevereiro de 1919. Foi a maior cantora paulista de todos os tempos. Muito se fala mas nada ou ninguém se compara a ela. Na época em que o Rio de Janeiro era o centro das atenções artísticas, Izaura Garcia conseguiu ser conhecida dos cariocas sem sair de São Paulo. Avançada para sua época ela transgredia os bons costumes. Dona de um gênio difícil e linguajar nada convencional que faria Dercy Gonçalves ruborecer. Começou sua carreira em programas como Qua...Qua Quarenta, na Rede Record, de Otávio Gabus Mendes, onde interpretou "Camisa Listrada" [Carmen Miranda] obtendo o primeiro lugar, e em ‘A Hora da Peneira Rhodine’, da Rádio Cultura. A mãe apoiava sua carreira na música enquanto o pai torcia para que nada desse certo. Quando foi gongada em sua primeira participação como caloura seu pai tentou desanimá-la. Dotada de talento extraordinário não demoraria a se destacar. No começo da carreira, inspirou-se em Carmen Miranda e Aracy de Almeida. Com a mesma intenção de seu talento era sua paixão que faria de sua vida quase um martírio amoroso. Foi uma destas paixões que rendeu-lhe discos maravilhosos considerados como os melhores de sua carreira. Walter Wanderley, produtor e arranjador a levaria para a gravadora Odeon, e lá produziu trabalhos até hoje perseguidos mas jamais alcançados. Aliás, abre-se um parêntese para dizer que, Walter Wanderley a trocou por um sonho, ir embora nos Estados Unidos da América onde fez relativo sucesso mas teve um fim trágico em São Francisco, EUA.


Algumas gravações
Em 1941 ela gravou o primeiro disco pela Colúmbia, com "Chega de tanto amor", [Mário Lago], e "Pode ser", de Geraldo Pereira e Marino Pinto. No mesmo ano, gravou "A baratinha", de Antônio Almeida, "Eu não sou pano de prato", de Mário Lago, e Roberto Martins, "Aproveita o beleléu",[Marino Pinto e Murilo Caldas], e "O telefone está chamando", de Benedito Lacerda e Popeye do pandeiro. Em 1942 fez sucesso com o samba "Teleco teco" (Murilo Caldas - Marino Pinto). Já no ano de 1943, lançou o primeiro sucesso, "Aperto de mão", de Dino [Horondino Silva] Jaime Florence [Meira] e Augusto Mesquita, gravados para a Victor. No mesmo ano, gravou "Sorriso de Paulinho", [Gastão Viana e Mário Rossi], e "Duas mulheres e um homem", de Ciro de Sousa e Jorge de Castro.

 

 

Nesse período, participava de vários programas de rádio. No ano de 1944 volta ao sucesso com "Pretinho" [Custódio Mesquita - Evaldo Rui] e com a regravação de "Linda flor [Ai ioiô]" [Henrique Vogeler - Marques Porto - Luiz Peixoto - Candido Costa]. Em 1945, com o samba "Mensagem", de Álvaro Cabral e Cícero Nunes, que se tornou um clássico de seu repertório, e "Edredon vermelho" [Herivelto Martins]. No de 1946 obteve destaque com o samba "Prêmio de consolação" de Jayme Florence e Augusto Mesquita. Em 1947, o novo sucesso viria com "De conversa em conversa", samba de Lúcio Alves e Haroldo Barbosa, gravado ao lado do grupo Os Namorados da Lua. Com arranjos do então marido desfilou sobre um repertório dos melhores compositores do país como Lupicínio Rodrigues [Vingança], Billy Blanco [Feiura Não é Nada e Banca do Distinto]. Fez sucesso com 'Eu Preciso Aprender a Ser Só' [Marcos Valle] e Velho Enferrujado, de Gadé e Walfrido Silva, 'A Noite do Meu Bem' [Dolores Duran] e 'Mensagem' de Álvaro Cabral e Cícero Nunes. Talvez esta canção tenha sido seu maior êxito. “ Ser como Izaura Garcia não é fácil e não é difícil. É impossível.” Diz o cantor Roberto Luna.


A personalíssima
Em 1970, lançou novo LP com músicas de Noel Rosa e Chico Buarque. No mesmo ano, aposentou-se na Rádio Record. Fez várias apresentações nas boates paulistas Igrejinha, Casa da Badalação e Tédio. Em 1973, gravaria mais um LP "Izaura Garcia", para Continental.
 
 
Em 1987, a gravadora Eldorado lançou "Izaura Garcia - Documento Inédito", que incluía músicas de Dorival Caymmi e Roberto e Erasmo Carlos. Ela gravou mais de 50 discos em 78 rpm e mais de 10 LPs. Já em 1972, a TV Cultura, São Paulo, realizou um programa Música & Músicas onde mostrou novamente seu talento interpretando sambas característicamente paulistanos e canções românticas. Quem não sabia ficou sabendo por quê ela ficou conhecida como ' A PERSONALISSIMA', recebido de Blota Júnior. "Izaura Garcia foi a mais extraordinária cantora que este país teve", Vicente Leporace, radialista, jornalista e compositor. Izaura Garcia morreu em São Paulo, no dia 30 de julho de 1993. [Francisco Martins/ Dino Nery ]
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:10  comentar

Helena Ramos - pornô chic

 
Ela ganhou todos os títulos elogiosos que a 'Boca do Lixo' poderia dar: musa da pornochanchada; rainha da Boca do Lixo entre outros.
 
Nascida Helena Benedita Ramos, na fazenda da Água Branca em 10 de março de 1955, Cerqueira César, interior paulista, tornou-se o símbolo do cinema erótico paulista dos 1970/80. No início de carreira a chamaram de ' pornô chic', e curiosamente teve uma carreira curta durando apenas dez anos, de 1974 a 1984. Helena Ramos é a caçula de cinco irmãos [quatro irmãs e um irmão], teve uma infância muito difícil. Seus pais se separaram muito cedo, e ela foi enviada aos oito anos para um colégio de freiras em Campo de Jordão, o Colégio Chateaubriand, onde ficou por dois anos.

Mudou-se para capital paulista aos 13 anos e passou a trabalhar como balconista de uma farmácia, e depois, em uma fábrica de cristais chegando a ser lapidadora. Sua sorte mudaria em 1971 quando foi contratada como tele-moça do programa Sílvio Santos, ficando lá por três anos. Sua discreta carreira ao lado de Abravanel seria interrompida. Nascia Helena Ramos, a rainha do pornô chic para o Brasil, em 1974. Foi o diretor Roberto Mauro que a lançaria no filme As Cangaceiras Eróticas. Muito católica, ela recusou o convite ao ler o script. Porém, o diretor lhe garantiu que ela não apareceria inteiramente sem roupas. Ela chegou abandonar o filme mediante insistência do diretor para que ficasse nua em cena. Depois concordou em ficar nua sem expor a nudez. Até 1979 Helena pouca coisa de seu corpo mostraria ao público. Já a partir de 1980 ela teve maiores chances como atriz e faria jus aos títulos recebidos na Boca do Lixo. Atuou em vários filmes, mas o de maior repercussão foi Mulher, Mulher, de Jean Garrett, onde interpreta uma mulher sexualmente insatisfeita, onde montava um cavalo árabe puro-sangue, estando ela com o corpo todo besuntado de hortelã.

Outra personagem intrigante e ousada de Helena Ramos foi Patty, Mulher Proibida, de Luiz Gonzaga dos Santos. Na seqüência filmou com Fauzi Mansur, O Inseto do Amor. Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel, de Carlos Coimbra, é um outro clássico na sua filmografia, e tem inspiração no livro de José de Alencar. Em 1980 sua carreira ganhava outros rumos. Apesar de continuar a freqüentar a Boca do Lixo, recebeu convites para filmar com diretores mais conceituados no Brasil. Mas sua voz infantil, algo que nunca conseguiu mudar, ela resolveu investir na formação de atriz: estudou expressão corporal, balé. Recebeu convite de Walter Hugo Khoury para estrela Convite ao Prazer, e se saiu muito bem. O novelista global Sílvio de Abreu dirigiu Helana Ramos em seu maior sucesso de crítica e público, Mulher Objeto. Com direção de Antônio Calmon, fez Mulher Sensual. Contracenou com Armando Bogus em Por um Corpo de Mulher, com direção de Hércules Breseghelo, onde interpreta uma lésbica. Com o fim da censura as cenas ficariam mais ousadas, mas ela não fez tantos filmes nesse período: Intimidades de Analu, Fernanda ambos dirigidos por Fauzi Mansur, e Volúpia de Mulher, dirigido por Darcy Cardoso [David Cardoso].

Volta-se para a TV e atua em Guerra dos Sexos, onde interpretou a secretária Luciene, de Sílvio de Abreu e Sassaricando, ambas na TV Globo. Trabalhou no SBT em 1984, fez duas peças de teatro. Em novembro de 1984 Helena Ramos abandonaria a carreira.

Outros filmes
Mulheres Violentados, 1977, Dezenove Mulheres e um Homem; O Mulherengo; O Bem-Dotado; O Homem de Luz; Roberta, a moderna gueixa do sexo; Noite em Chamas e Mulher, Mulher.
1979 - Os Galhos do Casamento; A Noite dos duros; Iracema, a virgem dos lábios de mel; Diário de uma Prostituta. O Convite ao Prazer [1980], As intimidades de Analu; Palácio de Vênus.
Me Deixa de Quatro [1981], Violência da Carne; O Seqüestro. 1983 - Corpo e Alma de uma Mulher. [Foto: www.adorocinema.com.br ]
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:03  comentar

Julho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds