Revelando, imortalizando histórias e talentos
11.2.09

Morrissey lança disco magistral: "Years of Refusal"

 
Próximo a completar 50 anos, 20 de maio, Morrissey grava um dos melhores discos de sua carreira solo, e posa somente com o single "I'm Throwing My Arms Around Paris" cobrindo suas partes íntimas.
 
"Years of Refusal" [Anos de Recusa] é o mais recente álbum do cantor com rocks vigorosos, o mais pesado depois de 'Your Arsenal", 1992. Em "Years of Refusal" ele se encontra vulnerável e se mostra feito de carne e de osso celebrando o ato sexual, isso traz de volta o excelente letrista aos temas solidão, morte, a velhice e drogas lícitas. É isso que os fãs de Morrissey esperavam; música lamuriante feita por quem sabe.
 

Algumas faixas
O disco é aberto pela faixa "Something Is Squeezing My Skull", que dá a chave para o entendimento tanto da carreira do artista quanto do disco atual. 'You Were Goodin Your Time' é uma balada de autoreferência que não nega o tempo que passa. "It's not Your Birthday Anymore" é de dar nó na garganta. Ele se desencanta com um amor e desfecha " Não é mais seu aniversário e não há mais necessidade de ser bom com você/Todos os presentes que te deram..." . Independente das letras, o disco tem uma sonoridade muito própria. "When Last I Spoke to Carol" , One Day Goodbay, tem uma tônica mariachi, com trompetes e violão flamenco. Já 'Black Cloud' e "I'm Throwing My Arms Around Paris" , tem a mão do produtor Jerry Finn, um cara acostumado a moldar sonoridades [Green Day, Blink 182 entre outras bandas]. Morrissey re-posiciona seu romantismo semi-trágico, o que lhe deu fama nos anos 80 com a banda The Smiths. O cantor sabe que não há mais espaço para a ingenuidade na música pop atual, e com ceticismo e humor coloca-se no contexto atual em um disco esplendoroso. Faça o que puder e quiser, mas consiga o disco.

Artista
Morrissey
Gravadora: Decca/Polydor
Valor: R$ 45,00
Cotação: ***** plus [excelente]
 

 
Pegando carona na minissérie apresentada em janeiro na Rede Globo de Televisão "
Maysa - Quando Fala o Coração", onde levou á telinha a vida da polêmica cantora, mais uma iniciativa para homenageá-la, um tributo, com shows no eixo Rio São Paulo. "Reviver Maysa" terá direção geral de Maysa Monjardim, sobrinha e homônima da cantora e como diretora artística Flávia Moraes, da FilmPlanet.
 

Os shows estão previstos para os dias 27,28 e 29 de maio, em São Paulo, e nos dias 4,5, e 6 de junho, no Rio de Janeiro. Roberto Menescal, Wagner Tiso, Luiz Melodia e Maria Rita interpretarão sucessos de Maysa com novas releituras, e serão acompanhados por mais de 30 músicos, entre eles da Orquestra Imperial. A partir do show um DVD documentário deverá ser lançado, com depoimentos de antigos parceiros de Maysa. [Foto: http://tvglobo.maysa.globo.com
 
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 13:06  comentar

 
East End - London, Inglaterra, é uma região fora de moda, cinzenta e tem tantos imigrantes quanto pichações em proporções iguais, mas ambos contam uma história.
 
O bairro andava esquecido, porém o advento das Olimpíadas em 2012, na Inglaterra, traz novo fôlego. O esquecido bairro transformou-se em um grande canteiro de obras das construções dos complexos desportivos e comerciais para abrigarem os jogos, que significa a virada há muito esperada para a maioria dos moradores de Stratford. Restaurantes, novas famílias aos poucos vão ocupando os luxuosos apartamentos. Novidades como o Bow Arts Trut , centro de arte instalado em um prédio azul fazendo contraste com a rua degradada. Outro pólo cultural, a Nunnery Gallery, com estilo semelhante a uma capela, abrigará exposições inovadoras de estudantes locais e de artistas estrangeiros. Os Gastropubs invadiram a região e oferecem petiscos caprichados. Já o Morgan Arms é um espaço onde se pode comer uma comidinha gostosa e beber uma cerveja. O cardápio é bem variado: bolinhos de peixe servidos com ovos e espinafre é saboroso, e o preço é salgado: 13,50 libras - R$ 45,00. Oas sábados o Roman Road, o mais antigo da Inglaterra, vira mercado de rua com roupas da moda, objetos de arte e jóias.

Velho East End

Porém, o velho East End vai sobreviver aos aparatos modernos que os jogos olímpicos deixarão. O tradicional Duncan's Pie, é um dos raros lugares em Londres onde se pode saborear a tradicional pie and mash a base de batatas e carne moída, e as enguias em caldo gelatinoso. O bairro é a porta de entrada para a maioria dos novos imigrantes. Por alí, vários idiomas como o português, línguas da índia e de Bangladesh são ouvidas nas ruas de Stratford. Essa babilônia fica mais evidente no Queen's Market, localizado na Queen's Street. O mercado com seu enorme galpão de concreto, tem vendedores de carne halal e afro-caribenhos vendendo seda indiana. O velho mercado está ameaçado de ir ao chão para dar espaço a uma construção mais moderna. [Ponte de Londres era usada diariamente por mais de 20.000 veículos]
 

Bow arts Trust - 183 Bow Road
http://www.bowarts.org/
Morgan Arms
43 Morgan Street
http://www.geronimo-inns.co/
Queen's Market
http://www.newqueensmarket.co.uk/
Duncan's Pie
365, Green Street
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 13:03  comentar

'Working a Dream', Bruce Springsteen

 
Bruce Springsteen, 59 anos, 36 de carreira relevante lança um disco maravilhoso, vence o Globo de Ouro e desbanca críticos que davam sua carreira como perdida.
 

Uma carreira de 36 anos e tida como perdida por muitos críticos agourentos, ele retorna com tudo e arrebata o Globo de Ouro com o tema de "O Lutador". O mais recente disco 'Working on a Dream' , o 16* de sua carreira, ratifica que Bruce Springsteen é parte de um seleto clube de roqueiros, que tem o canadense Neil Young e Bob Dylan encabeçando a turma dos que deram sangue e suor, e ainda são relevantes para o gênero aos 60 anos de idade. O álbum é muito eclético, com diversos tipos de canções. Na abertura "Outlaw Pete" uma canção que nos remete a Bob Dylan, com quase 9 minutos e conta a história de um fora-da-lei onde não se sabe quem nasceu primeiro ele ou o crime. "My Lucky Day" , todo otimismo de Springsteen, cantando o amor seu lado mais fraco. A faixa título "Working on a Dream" está em primeiro lugar em vendagem e execução na Inglaterra e nos Estados Unidos. "Tumorrow Never Knows" não só é a mesma dos Beatles como tem uma pegada da banda Inglesa, é muito bacana. Surprise, Surprise, Life Itself e Kingdom of Days, cada uma mais empolgante que a outra. É Bruce Springsteen na essência. O bônus do disco é a excelente "The Wrestler" feita para o filme homônimo, de Darren Aronofsky, com Mickey Rourk no papel principal.

Perfil –
Anos 1970: “Greetings from Asbury Park, N.J" 1973, não aconteceu nada além do lançamento. Passou em brancas nuvens.
Born to Run - 1975, com os clássicos "Thunder Road" e a faixa título
1980 - Born in the USA - 1984, emplaca sete das 12 faixas entre as mais executadas nas rádios dos Estados Unidos, Inglaterra e Canadá, colocando-o na condição de pop star do rock.
Anos 90's
"Streets of Philadelphia" trilha do filme Philadelphia, 1993, ganha o Globo de Ouro e o Oscar de 1994. Ray Conniff e Richard Clayderman fizeram regravações.
2009
"Working on a Dream" , um pedido do amigo Mickey Rourk para o filme de Darren Aronofsky, "The Wrestler", fecha o mais recente disco do cantor, 2009. A canção foi vencedora do Globo de Ouro e é a mais executada nos Estados Unidos e Inglaterra.

Cantor: Bruce Springsteen
Gravadora: Sony - BMG
Valor: em média R$ 29,00
Cotação: ***** plus
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 13:02  comentar

 
Exposição Itinerante comemorativa ao IV Centenário do Judiciário inclui Portugal no roteiro.


O Tribunal de Justiça Brasileiro completa 400 anos e em seu currículo não consta nenhuma decisão que sirva de marco na história. Muita corrupção, disputa por altos salários e corporativismo são os pontos a serem realçados neste IV Centenário.

 

A Exposição Itinerante comemorativa aos serviços judiciários no Brasil percorrerá dez capitais brasileiras e até dezembro chegará a Portugal. As primeiras peças fotografadas foram a urna, os tinteiros e outros objetos históricos. O fotógrafo Gláucio Dettmar é o responsável pelos registros fotográficos que comporão a mostra. Além de farta memorabilia, documentos, inclusive o original da ata de instalação do Tribunal de Relação do Estado do Brasil, em 7 de março de 1609. O trabalho se estende até o interior do Estado baiano, especialmente a cidade de Cachoeira. A exposição será aberta em Salvador e depois segue para Brasília e demais capitais pela ordem de instalação dos tribunais estaduais. Antes de dezembro deverá chegar em Lisboa, Portugal. A mostra será aberta dia 7 de março, no Tribunal de Justiça da Bahia, às 10 horas com lançamentos de selo e carimbo relativos à data. Às 11 horas, também acontece a inauguração do prédio anexo ao do Tribunal e, às 19 horas, a sessão especial no Fórum Ruy Barbosa. O evento contará com a presença das autoridades representantes das cortes de Portugal e do Uruguai; o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes.

Bahia abrigou o primeiro Tribunal de Justiça do Brasil
O Quarto Centenário do primeiro Tribunal do país, 1609, foi instalado na Bahia, e tinha Pero Borges como ouvidor-geral. Magistrado de carreira, chegou ao Brasil em 1549, na companhia de Tomé de Souza. Geralmente, as decisões dos ouvidores não comportavam recursos. Coube ao ouvidor a organização inicial da Justiça brasileira, criar os juízes leigo, ordinários, eletivos, os juízes de fora, os juízes de vintena e os juízes de órfãos. No período do descobrimento do Brasil, vigoravam as Ordenações Afonsinas em Portugal, o mais antigo código da Europa. Em 1604, foi criado em Lisboa o Conselho da Índia, que era responsável pela solução das questões ocorridas no Brasil, e posteriormente, o Conselho Ultramarino [Fazenda], a Mesa de Consciência e Ordens [Igreja, defuntos e ausentes] e o Desembargo do Paço [magistratura]. O rei Felipe II de Portugal e Espanha, que formavam a União Ibérica, se interessou na criação de um órgão colegiado nas colônias, e assim nasceu o Tribunal de Relação da Bahia, criado em 1587, mas fora instalado somente em 7 de março de 1609. O TRBA contava com dez desembargadores, bacharéis em direito, todos nomeados pelo rei, serviam em cada Relação pelo período de seis anos. O Tribunal de Relação do Brasil era assim composto: um ouvidor-geral, um chanceler, três desembargadores dos Agravos e Apelações, dois desembargadores extravagantes, um juiz dos Feitos da Coroa, Fazenda e Fisco, um procurador dos Feitos da Coroa, Fazenda e Fisco, que acumulava a função de Promotor Público e um Provedor dos Defuntos e Resíduos, além do relator e revisor dos votos proferidos, que antes disso funcionava apenas a justiça de primeira instância e eventuais recursos deveriam ser encaminhados para a Relação de Lisboa.

Acúmulo de processos é histórico

O governador tinha o poder de intervenção na Relação e se servia dela como órgão consultivo para assuntos administrativos e políticos. D. João VI, em 12 de setembro de 1652, assinou Carta Régia reinstalando a Relação da Bahia com oito desembargadores. As dificuldades para acesso aos recursos na Bahia provocaram a criação da Junta de Justiça do Pará, 1758, que era composto de um governador da província, o ouvidor, um intendente, um juiz de fora e mais três vereadores. Entretanto, antes, em 1734, já tinham começado as reivindicações e articulações para criação de uma Relação no Rio de Janeiro; e, através de Alvará assinado por D. José I, foi instalada a Relação do Rio de Janeiro, em 13 de outubro de 1751. A nova Relação tinha jurisdição sobre Minas Gerais e as Capitanias do Sul do Brasil e destinou-se a desafogar o acúmulo de processos na Bahia. Segue-se, em 1812, a instalação de mais Relações, a do Estado do Maranhão e a Relação de Pernambuco, 1821. Assim, tornou-se mais complexa a inexistência de um Tribunal de Recursos no Brasil, depois da invasão de Portugal pelas tropas de Napoleão; pois D. João, através de Alvará datado de 10 de maio de 1808, transforma a Relação do Rio de Janeiro em Casa da Suplicação [ João Ignácio da Cunha, o regedor, Decreto 848 da Justiça Federal denominou STF, em 1890]. Criou-se ainda o Desembargo do Paço e o Conselho Supremo Militar e de Justiça, em 1º de abril de 1808.

“Inchaço da máquina pública”

O Estado da Bahia perdera o título de Relação do Brasil, mas permanece com a Relação do Estado. No ano de 1873, através de um Decreto n* 2.342, foram criados mais sete tribunais de Relação: Relação da Corte para o Rio de Janeiro e Espírito Santo, composto por 17 desembargadores; Relação da Bahia, para Bahia e Sergipe, 11 desembargadores; Relação de Pernambuco para Pernambuco, Paraíba e Alagoas, 11 desembargadores; Relação do Maranhão e Piauí, Relação de São Paulo, incluindo Paraná, Relação de Minas Gerais, Relação do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Relação do Pará, Amazonas, a do Ceará, Rio Grande do Norte, cada uma com sete desembargadores; exceto Relação do Mato Grosso e a Relação de Goiás, cada uma com cinco desembargadores. À Casa de Relação da Bahia, seguiu-se, já depois da Constituição de 1891, o Tribunal de Apelação e Revista da Bahia, instalado no ano de 1892. [Gláucio Dettmar, foto site Conselho Nacional de Justiça].
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 13:00  comentar

'Noites Brancas' 800 artistas
 
Virada Cultural de São Paulo, Brasil, é uma cópia do evento europeu 'Noites Brancas'. A música será o ponto forte dessa edição. Mas, outras artes como dança, teatro e cinema estão presentes. A abertura será dada na Praça do Patriarca, centro da cidade, com as cornetas dos franceses Cleavant. O público esperado é de 3,5 milhões de pessoas.

SÃO PAULO,16/04 - Marcada para os dias 2 e 3 de maio a Virada Cultural terá 800 artistas que irão se apresentar em 150 locais. O orçamento reduzido em 30% não afetará programação, afirmam os organizadores. Palcos em homenagens ao compositor e cantor baiano Raul Seixas, ao norte-americano Frank Zappa e a reunião dos Novos Baianos estão entre as atrações da Virada Cultural 2009, que conta com apoio do Sesc que exibira atrações do evento em suas dependências.
A partir das 18h00 do dia 2 de maio até as 18h00 do dia 3 de maio, os 800 artistas se apresentarão pelos 150 locais estabelecidos na capital paulista, sendo que o palco principal será montado na Avenida São João, centro da cidade. A abertura fica por conta do instrumentista britânico John Lord ex-integrante do Deep Purple. No mesmo palco nomes nacionais como Marcelo Camelo [Los Hermanos], Maria Rita, Zeca Baleiro, Instituto [que tocará Tim Maia] e Pepeu Gomes, Baby do Brasil, Paulinho Boca de Cantor integrantes da cultuada banda Novos Baianos, formada na década de 1960.
Também na região central, o Teatro Municipal vai receber nomes importantes que tocarão faixas do chamado disco 'clássico' do cantor. Egberto Gismonti [Alma],Violeta de Outono [Violeta de Outono] ,Fafá de Belém [ toca o disco Água] Arrigo Barnabé que tocará faixas do clásssico disco Clara Crocodilo, Tom Zé [Grande Liquidação] e Beto Guedes [Alma de Borracha].
Estação da Luz, palco da homenagem aos 20 anos da morte de Raul Seixas [1945-1989]. Os artistas são convidados: Edy Star, Vivi Seixas, Marcelo Nova, Os Panteras e Nasi [Grupo Ira !] tocarão o repertório do 'maluco beleza'.
Na Avenida Casper Líbero estarão se apresentando Nasi [Grupo Ira] e Marcelo Nova [ex-Camisa de Vênus] tocarão repertório do 'maluco beleza'.
Praça da República mais rcok pode ser apreciado com as bandas: CPM 22, Velhas Virgens, Nação Zumbi, Vanguart e Central Scrutinizer {banda especializada em repertório de Frank Zappa}.

Outros palcos - centro SP

Largo do Arouche:
Benito di Paula, Odair José, Reginaldo Rossi, Wanderley Cardoso e Wando.

Largo de Santa Ifigênia:
Curumim, Iara Rennó e Comadre Fulozinha

Avenida Rio Branco:
Trio Mocotó, Os Opalas e Clube do Balanço
 
 
IED abre filial no Rio de Janeiro

Associação de Moradores da Urca cria resistência para instalação de escola de design italiana em prédio que abrigou cassino imortalizado por Carmen Miranda e Dick Farney.


RIO DE JANEIRO,23/03 - O prédio do Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, data de 1922 e está fechado desde a falência da TV Tupi em 1980. A proposta de uma das melhores escolas de design do mundo Istituto Europeo di Design {IED} ganhou da prefeitura carioca a concessão do local por 25 anos, renováveis por mais 25 sem concorrência. O grupo estrangeiro já investiu R$ 6 milhões na reforma sob protestos da associação de moradores que desconfia das propostas que não teriam preocupações com a cultura e sim meramente comerciais. Até 2011 quando será inaugurada por completo os italianos gastarão mais R$ 10 milhões na recuperação do teatro, em estilo art déco que ficou famoso tanto pelas apresentações de Carmen Miranda e Dick Farney quanto pela jogatina proibida em 1946. As salas para instalação da escola estão prontas para serem utilizadas mas devido a ação judicial impetrada, até agora sem sucesso, pela Associação dos Moradores da Urca [Amour] não deixa. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional {Iphan} entrou na briga e impôs resistência devido uma garagem em prédio-anexo e todas as exigências foram cumpridas pelo diretor do IED no Rio, Riccardo Zarino.

Aulas de frente para o mar

Tombado pelo município o prédio tem dois blocos e mede 3 mil metros quadrados, e tem características de estilo eclético. Localizado entre a praia e a montanha unido apenas por um passadiço única via de ligação ao bairro. As salas de aulas foram reformadas e projetadas de frente para o mar. Durante as escavações foi encontrado descobertas a fachada do antigo Hotel Balneário encoberto durante ampliação nos anos 30 para construção da sala de jogos. A estrutura projetada pela IED destaca essa arcada que fica no salão principal. O tradicional letreiro em dourado “TV Tupi canal 6” logo na entrada é mantido pela escola de design. Serão implementados um café no terraço com vista para a Baía da Guanabara e o Cristo Redentor. Também no edifico que abrigou os estúdios da TV Tupi; programa de calouro apresentado por Ary Barroso e o teatro que recebeu atrações como Walt Disney em 1941, agora terá capacidade para 200 pessoas e está quase pronto. Rebatendo as acusações da associação de moradores de que o istituto faria do bairro um condomínio fechado, Zarino rebate e informa que o prédio será aberto para visitação pública.

Começam das aulas

Este será o oitavo IED do mundo. O início das aulas estão programadas para agosto e o aluno pode dar início a sua formação básica de três anos; podendo passar por Milão, onde fica a sede, e findar os estudos em Barcelona, Espanha. As outras unidades do IED ficam em Roma, Turim e Veneza {Itália}, Madri {Espanha} e desde 2005 em São Paulo. O valor do curso não é nada atrativo, R$ 2 mil. Mas como se trata de uma concessão pública 10% das vagas serão destinadas para a Secretaria Municipal de Cultura. Haverá cursos de extensão, graduação e pós-graduação em moda, Comunicação, Design e Artes Visuais. [No alto o como estava o cassino e logo abaixo atualmente].
 

Nova atração turística em Santos

 
Buraco em marcenaria leva a uma descoberta arqueológica na cidade de Santos.O rio foi aterrado em 1892 por causa da malária.
 

Túnel feito em 1894 é descoberto por acaso em Santos. Segundo o marceneiro Márcio Ricardo que há dois anos alugou uma casa no bairro, Valongo "O barulhinho da água sempre me intrigava", disse Márcio co-responsável pela descoberta. Trata-se do túnel por onde passa o Rio Nossa Senhora do Desterro, que foi fechado em 1894, mede 1,90 de altura e 1,10 de largura. A descoberta vem confirmar uma lenda de que havia uma ligação subterrânea entre a Igreja do Valongo e o mosteiro de São Bento, que é descrito em mapas de 1822. A Sabesp realizou testes com amostra d'água e vem de nascente, pois não contém cloro.
A canalização do rio começou quando da fundação da Vila de Santos, 1546. Margens de pedra foram construídas para o rio correr. O túnel mostra a cidade em fase intermediária em 1.850. Em cima do muro de rocha e tijolos tem argamassa feita de modo antigo, óleo de baleia, areia e concha moída.
Outro constatação é que a sociedade antiga vivia até três metros abaixo do nível atual da rua. Também foram encontrados vários artefatos arqueológicos como faiança inglesa, garrafas de grés de 1830 vindas da Alemanha com água gasosa que eram vendidas como remédio. O local já está aberto para visitação gratuita sem financiamento. O fica há 50 metros do casarão onde será instalado o museu Pelé, e provavelmente passa sob o local.
 
 
ABAC -
A Agência Brasileira de Apoio à Cultura recebe certificado do Centro de Voluntariado de São Paulo, fundado em 1997, por diferentes segmentos da sociedade.


 
A certificação coloca a ABAC como ONG integrante da rede de organizações sociais, cujo intuito é fortalecer e incentivar a difusão cultural e a ação voluntária no País. A ABAC tem como presidente Cássius Gama, também proprietário da Revista Contemporânea, que vem desenvolvendo eventos sociais em quase todo o País. A certificação recebida sinaliza que as funções da ABAC vem surtindo efeito na inclusão social e no fomento as manifestações culturais conforme suas propostas.

Entre os dias 20 e 29 de março a ABAC [em parceria com Prestige Promoções e Eventos] estará participando da 1* Art Vale, em São José dos Campos, feira nacional e internacional cuja função é incentivar o consumo do artesanato de todo o mundo. Mais de 20 países participarão do evento.
Local: Av. Andrômeda, 227, Jd Satélite
http://www.feiraartvale.com/

Abril /maio

No mês de abril a ONG estará envolvida em mais um evento social onde os participantes e visitantes poderão apreciar os trabalhos e atividades dos associados da ABAC, em evento que ocorrerá entre os dias 31 de março à 6 de abril, e de 28 de abril à 4 de maio, no Shopping Center Boa Vista, região central de São Paulo.

Outras iniciativas

A ONG criou o Núcleo de Produção Cenográfica, idealizado pela ABAC, com seus os artistas associados: cenógrafos, marceneiros, escultores, projetistas, aderecistas e artesãos. O núcleo está pronto para desenvolver trabalhos destinados aos vários segmentos como melhoria na ambientação de estabelecimentos: shoppings, lojas, vitrines, buffets e supermercados entre outros. Também realizará decoração temáticas por exemplo Páscoa, Carnaval, Dia das Mães, Dia das Criança etc. Ou seja, desde o mais simples ao projeto mais complexo serão confeccionados, tanto para locação quanto para venda. [AgênciaFM com informações da redação de Revista Contemporânea, ed 16 n* 20 março 2009]

Mais informações:
http://www.abacdobrasil.org/
contato@abacdobrasil.org
[55/11] 3337-2952
 

 

Osesp abre série de concertos matinais a preço popular 

SÃO PAULO,11/03 A primeira apresentação do ano da série "Concertos matinais" será no domingo, 15, às 11h. Sob regência de Wagner Polistchuk, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo executa o Concerto para Fagote de Gioacchino Rossini - com solos do fagotista francês Patrick De Ritis -, e Masquerade: Suíte, de Aram Khachaturian.
 

Concertos Matinais a preço popular
Iniciativa da Fundação Osesp para a democratização cultural, a série Concertos Matinais a preço popular na Sala São Paulo tem propiciado ao grande público a chance de conferir diferentes repertórios clássicos por apenas R$ 2 (com direito a 50% de desconto), em uma sala acusticamente adequada para apresentações sinfônicas e camerísticas. Desde que a série foi lançada, em março 2008, foram 18 apresentações que trouxeram à Sala São Paulo, no total, um público de mais de 18 mil pessoas. Realizados duas vezes ao mês, sempre aos domingos, às 11h00, os Concertos Matinais contemplam apresentações da Osesp, dos Coros da Osesp e de orquestras convidadas. Bachiana Filarmônica, Banda Sinfônica do Estado, Filarmônica de São Caetano do Sul e Sinfônica Heliópolis são algumas das orquestras que se apresentam regularmente dentro da série.
As apresentações duram, em média, uma hora. O repertório apresentado pela Osesp nos concertos matinais consiste em parte do programa executado nos concertos daquela semana, dentro da temporada anual. Os ingressos para os concertos matinais são vendidos a partir da segunda-feira anterior ao concerto, na bilheteria da Sala São Paulo (Praça Julio Prestes, 16 – telefone: 11 3223 3966).

Regente
Wagner Polistchuk - Diretor artístico e regente titular da Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina nos anos de 2003 e 2004, Wagner Polistchuk tem se apresentado à frente de importantes orquestras como a Osesp, as sinfônicas da USP, do Theatro Municipal de São Paulo, de Santo André, do Teatro Nacional de Brasília, de Mendoza, na Argentina, além da Hermitage Orchester, na Suíça. Bacharel em trombone pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, especializou-se como instrumentista na Alemanha, como bolsista da Fundação Vitae, com Branimir Slokar. De volta ao Brasil, reassumiu o cargo de trombone solo da Osesp, posição que ocupa desde 1985.
Estudou regência com os maestros Eleazar de Carvalho, Dante Anzolini, Ronald Zollmann, Andreas Spörri, Roberto Tibiriçá e Kurt Masur, entre outros. Destacou-se em concursos como o Internacional de Trombones Giovani Concertisti, em Porcia, Itália (1997); no V Concurso Latino-Americano de Regência Orquestral (1998), obtendo o segundo lugar; no Concurso Internacional de Regência Prix Credit Suisse, em Grenchen, Suíça (2002) e no Concurso para Jovens Regentes Eleazar de Carvalho (2002), em que conquistou o primeiro lugar. Foi solista convidado da Landesjugendorchester Bremen da Alemanha na turnê por São Paulo. Lançou o CD Collectanea, com obras para trombone e piano de compositores brasileiros em primeiras gravações mundiais e, em 2007, o CD Versos Brasileiros, regendo a Camerata Antiqua de Curitiba.

Solista convidado
Patrick De Ritis – fagote (Primeira vez com a Osesp) nasceu em 1959 na França e começou a tocar piano com 8 anos de idade. Aos 14, iniciou-se no fagote e continuou a estudar esse instrumento com Marco Costantini no Conservatório Santa Cecília em Roma. Posteriormente, participou do Mozarteum em Salzburgo e teve como professores Klaus Thunemann e Milan Turkovic. Tendo vencido diversos concursos na Itália, teve a oportunidade de tocar na Orchestra Regionale Toscana em Florença, na Orquestra da Ópera de Roma e na Orquestra da RAI de Nápoles e de Roma. Desde 1991, é o primeiro fagotista da Orquestra Sinfônica de Viena, com a qual se apresentou em vários países como Japão, Estados Unidos, Europa, China e Índia.

Em 1996, foi o primeiro músico a tocar o Concerto para Fagote e Orquestra de Peter Maxwell Davies no Musikverein, em Viena. Foi convidado a ir a Moscou, onde apresentou o Concerto para Fagote e Orquestra de Mozart, regido pelo maestro Vladimir Fedosejev. Lecionou em diversos conservatórios italianos e, no momento, dá aulas de fagote e música de câmara no Conservatório Luisa D’Annunzio, em Pescara, e é convidado para presidir muitos cursos para estudantes do mundo inteiro. Gravou para o selo BonGiovannini (Bolonha) o Quinteto de Giulio Briccialdi, apontado pela CD Classic como melhor gravação do mês. As atividades como fagotistas misturam-se à função de regente de diversas orquestras como as de Pesaro, Sinfonica di Bari, de Câmara de Fiesole, Razumovsky (Bratislava), além de ser diretor artístico do grupo de sopros Ensemble d’Annunzio.

Serviço
Concertos Matinais
Sala São Paulo
Dia 15/03 - 11h
Ingressos: R$ 2
Estudantes, aposentados, pessoas acima de 60 anos e professores da rede pública estadual têm 50% de desconto, mediante comprovação.
Ingressos à venda a partir da segunda-feira anterior à apresentação, na bilheteria da Sala São Paulo: (11) 3223 3966.
Sala São Paulo - Pça. Júlio Prestes, 16
Fonte: Sala de Imprensahttp://www.sp.gov.br/
Datas e repertórios estão disponíveis no site http://www.salasaopaulo.art.br
 
 
 
Virada Cultural 2009

Ajustes financeiros da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo reduz atividades da Virada Cultural 2009.
 


A Virada Cultural é um dos principais eventos do calendário paulistano, e sofre um corte de 33% no orçamento de 2009. A medida é parte do contingenciamento na verba da Secretaria Municipal de Cultura, no pacote de contenção no orçamento da prefeitura. A Virada está prevista para os dias 2 e 3 de maio e contará com uma verba de 4,5 milhões. O corte acarreta redução na área de abrangência e em número de palcos.
No ano de 2008 R$ 6 milhões foram gastos com um total de 800 atrações e 26 palcos somente na região central da cidade. Palcos como o do Parque Dom Pedro, Avenida Rio Branco, que segundo a secretaria tiveram pouco aproveitamento em 2008, ficarão de fora na Virada 2009. Outro palco que também deixará de existir, o instrumental, antes instalado no Vale do Anhangabaú. Os shows na região central deverão ser encaminhados para o Jardim da Luz, onde a atração mais aguardada é o grupo francês Carabosse.

A dança, dançou

O orçamento da secretaria que era de R$ 370 milhões foi reduzido para R$ 255 milhões, e deixou projetos importantes órfão. Os projetos ligados ao Fepac - Fundo Especial de Promoção das Variedades Culturais , que fomenta companhias de dança e espetáculos como circo e cinema, não mais integram o fundo, salvou-se apenas o teatro. Em 2008 o Fepac recebeu R$ 15 milhões, apesar da verba ser a mesma para 2009, porém terão outras finalidades como por exemplo pagamento de projetos do ano passado. O projeto que fomenta à dança está suspenso por tempo indeterminado. O comunicado da suspensão, coreógrafos, bailarinos e produtores marcaram uma manifestação na Galeria Olido, centro, na sexta-feira, 13, às 14h00, e realizar um abaixo-assinado. O fomento a dança existia desde 2006. [Foto: oglobo.globo.com ]
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 12:56  ver comentários (1) comentar

Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
17
19
20

22
23
24
26
28


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds