Revelando, imortalizando histórias e talentos
6.3.09

Mostra "Santos=Dumont designer" com recursos multimídia e filmes de época em cartaz no Museu da Casa Brasileira, com concepção e montagem do artista Guto Lacaz.


2009 é o centenário do Demoiselle nº 20, primeiro avião produzido em série. Com novos recursos multimídia e filmes de época, o Museu da Casa Brasileira, da Secretaria de Estado da Cultura, abre no dia 24 de março a mostra "Santos=Dumont designer", que revela Alberto Santos Dumont (1873-1932) como o pioneiro do design de produto no Brasil e permite aos visitantes pilotarem em simuladores de voo o 14 Bis e o Demoiselle, que neste ano comemora o centenário como o primeiro avião a ser produzido em série no mundo. Há uma animação da experiência de Santos Dumont com o triciclo e a reconstituição do voo do Dirigível nº 6, cuja façanha foi dar a volta ao redor da torre Eiffel, além de filmes do 14 Bis de época e de sua mais fiel reconstituição. Em uma das 12 telas LCD, haverá o projeto em 3D do 14 Bis e, em outra, do Demoiselle. A animação da Cavalgada Patriótica, quando Santos Dumont teve a iniciativa de pedir a desapropriação da área para criar o Parque Estadual de Iguaçu, é outro destaque da mostra.
Com concepção e montagem do artista Guto Lacaz, a exposição também contará com modelos em escala dos aviões 14 Bis e Demoiselle, que podem ser vistos voando dentro de dois túneis de vento. Duas centenas de miniaturas do Demoiselle, número estimado de sua produção em série, compõem o céu cenográfico. Em uma das três salas da mostra, haverá o modelo em escala do Dirigível nº 6 nas proximidades de uma torre Eiffel estilizada, instalada numa base giratória. No jardim de 6.600 m2 do Museu, será recriado o ambiente do Campo de Bagatelle, em Paris, com a demonstração animada de voos do 14 Bis.
"O Brasil tem uma curiosa tradição em aeronáutica. Na mostra, uma tela com a imagem de Bartolomeu Lourenço de Gusmão, natural de Santos, faz uma homenagem ao inventor do balão quente", conta Guto Lacaz, o artista multimídia que concebeu uma cenografia capaz de traduzir para o público a genialidade e inventividade de Santos Dumont. "Cem anos mais tarde nasce Santos Dumont, que iria resolver o problema da dirigibilidade. Atualmente, o Brasil possui uma indústria brasileira de aviação com tecnologia de ponta".
Há quase duas décadas, Guto Lacaz "descobriu" os talentos de Santos Dumont e desde então vem estudando em profundidade a sua obra. "A beleza do design de Santos Dumont é o resultado da relação entre economia de meios, leveza de execução e clareza de objetivos. Em suma, da simplicidade", diz ele. "A elegância e a unidade do conjunto da obra de Santos Dumont surpreende ao revelar a multiplicidade de seus talentos, motivo de orgulho e admiração dos brasileiros pelo seu pioneirismo na área tecnológica". Lacaz observa que Santos Dumont não só projetou como também construiu e pilotou cada uma das 22 aeronaves que criou ao longo de 10 anos, "portanto tinha consciência total do produto".
A exposição Santos=Dumont designer foi realizada em 2006 com grande sucesso no MCB, tendo recebido público de 42.000 visitantes; é sempre lembrada por quem a viu e lamentada por quem apenas ouviu falar. Muitos visitantes presentearam Guto Lacaz com novos documentos e também outros admiradores de Santos Dumont apresentaram os resultados de suas pesquisas na forma de filmes e livros. Esse aprimoramento coletivo e o patrocínio da 3M do Brasil traz "Santos=Dumont designer" de volta ao MCB mais dinâmica e com muitas novidades. "Para a 3M, uma empresa reconhecida pela inovação, é motivo de orgulho patrocinar esta exposição, que destaca o lado criativo e inovador de Santos Dumont, um dos grandes exemplos da inventividade brasileira", comenta Luiz Eduardo Serafim, gerente de Marketing Corporativo da 3M do Brasil.

Exposição vai itinerar no interior
A partir de maio a exposição vai itinerar pelo interior do estado de São Paulo, e passará por Campinas, São José do Rio Preto e mais uma cidade, ainda não definida. O projeto da mostra envolve nomes como Fernando Martini Catalano, PhD em aerodinâmica, professor de Engenharia Mecânica da USP - São Carlos, Henrique Lins de Barros, físico e pesquisador titular do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, no Rio de Janeiro, e o mestre François Durant, responsável pelos modelos em escala, a quem a exposição homenageia in memorian. A empresa Elo3 Integração Empresarial, realizadora da mostra, coordena ainda toda a produção do projeto. A grafia do nome escolhida por Guto Lacaz vem da reprodução de uma assinatura do próprio aviador. Descendente de franceses por parte do pai e de brasileiros por parte da mãe, Alberto gostava de expressar que, em sua visão, ambas as nacionalidades tinham igual peso. Em alguns momentos agregou os dois sobrenomes com um hífen (Santos-Dumont), em outros colocou o sinal de igual (Santos=Dumont).

Animações e filmes em 12 telas LCD

Animação com o triciclo, a primeira experiência de Santos Dumont com a possibilidade de voar. O modelo em escala de um triciclo movido a petróleo suspenso numa árvore prova que o motor a gasolina poderia ser utilizado em um dirigível.
 


Reconstituição do Dirigível nº 1, o primeiro dirigível a utilizar o motor a explosão com sucesso
Reconstituição do Dirigível nº 6 com o qual, em 19 de outubro de 1901, Santos Dumont provou que o homem podia controlar o seu deslocamento pelos ares e conquistou o Prêmio Deutsch.

Filme de época do voo do Balão nº 9 (1901-1905), quando Santos Dumont bateu num prédio em Paris e precisou ser resgatado.

Filme de época da Pipa nº 14, puxada por um barco e que serviu de inspiração para o 14 Bis.
Filme de época do voo do 14 Bis e filme do voo da réplica mais perfeita, construída por Alan e Aline Calassa. No dia 23 de outubro de 1906, o 14 Bis voou pela manhã, quando Santos Dumont não conseguiu vencer a prova. No mesmo dia à tarde, o 14 Bis chegou a voar 60 metros, o primeiro voo de um objeto mais pesado que o ar.


Filme de época da Lancha nº 18
Filmes de época dos voos de nº 19 e 20


Animação do Conversor Marciano, que era um motor para ser colocado nas costas dos esquiadores e que através de cabos produzia o movimento oscilatório nos esquis. Assim, o esquiador se deslocava sem esforço. Santos Dumont leu em HG Wells que em Marte o movimento oscilatório era muito utilizado pelos marcianos


Projeto em 3D do 14 Bis

Projeto em 3D do Demoiselle. Seu primeiro modelo (nº 19) voou em 1907, sendo desenvolvido até 1909 (nº 20). Santos Dumont havia posto à disposição de quem quisesse os planos e detalhes do Demoiselle, pois ele não patenteava suas invenções, que deveriam ser partilhadas por toda a humanidade. O Demoiselle foi fabricado por diferentes empresas (pelo menos duzentas unidades foram construídas). Este aparelho era o meio de transporte pessoal preferido do inventor em visitas a amigos, ao redor de Paris. O Demoiselle – que recebeu esse nome por sua graciosidade e semelhança com as libélulas – foi o primeiro avião popular.


Animação da Cavalgada Patriótica, de 1916, quando Santos Dumont viajou pela Argentina e chegou a Foz do Iguaçu, onde descobriu que o local era propriedade privada de Jesus Val, espanhol residente no Paraguai. No dia 7 de abril, partiu a cavalo pela linha telegráfica. Viajou durante seis dias até Guarapuava, onde conseguiu um carro para ir até Ponta Grossa. De trem, chegou a Curitiba no dia 5 de maio. Pediu ao presidente do Estado do Paraná, Affonso Camargo, para desapropriar o local. Em 28 de julho de 1916 foi criado o Parque Estadual do Iguaçu.

Simuladores de voo do 14 Bis e do Demoiselle
Haverá dois simuladores para cada um dos aviões e os visitantes poderão pilotar com o uso de joysticks.
Túneis de vento
Na sala central do MCB, haverá dois túneis de vento.

Num deles, estará o modelo em escala do 14 Bis. Como se poderá observar, seu voo parece ser em marcha-ré, exatamente como aconteceu no dia 23 de outubro de 1906 no Campo de Bagatelle, em Paris. No outro túnel de vento, estará o modelo nº 19 em escala do Demoiselle, de 1907.


Voos no jardim do MCB


Nos 6.600 m2 do jardim do MCB será recriado o ambiente do Campo de Bagatelle, em Paris. Durante a exposição, serão realizadas demonstrações mecânicas dos voos do 14 Bis, com modelos em escala. Serão dois trilhos, nos quais o 14 Bis correrá. Um deles reproduz o voo feito na manhã de 23 de outubro de 1906, quando Santos Dumont não conseguiu vencer a prova. O outro é o voo realizado no mesmo dia à tarde, quando o 14 Bis chegou a voar 60 metros, o primeiro voo de um objeto mais pesado que o ar.


Triciclo, dirigíveis e hidroplano


Na exposição também haverá um modelo em escala de um triciclo movido a petróleo suspenso numa árvore, experiência que também estará em tela LCD.

Haverá, ainda, um modelo em escala do hidroplano construído em 1907 e testado com três flutuadores. Um modelo em escala do Dirigível nº 6 estará nas proximidades de uma torre Eiffel estilizada, instalada numa base giratória, lembrando o momento em que, em 19 de outubro de 1901, Santos Dumont provou que o homem podia controlar o seu deslocamento pelos ares, documentada em filme a ser vista numa das telas LCD. Além dos engenhos aeronáuticos, a exposição exibe outras criações de Santos Dumont. Ele teve a idéia de fazer um hangar com porta de correr, que será mostrado num modelo em escala, e a mesa multifuncional que projetou para trabalhar em sua Casa Encantada (Petrópolis, RJ). Estará na mostra também seu próprio figurino. Como era um esteta, na definição de Guto Lacaz, fazia questão de desenhar as golas de suas camisas, que lhe davam uma elegância impar. A exposição contará ainda com painéis, plantas e desenhos técnicos.
Serviço

Exposição: "Santos=Dumont designer"
Visitação: de 25 de março a 3 de maio, de terça a domingo, das 10h às 18h
Site: http://www.mcb.sp.gov.br/


Local: Museu da Casa Brasileira - Av. Faria Lima, 2705 - Tel. 11 3032-3727
Jardim Paulistano São Paulo
Ingresso: R$ 4,00 - Estudantes: R$ 2,00
Gratuito domingos e feriados
Acesso a portadores de deficiência física.
Visitas orientadas: 3032-2564
agendamentomcb@terra.com.br
Estacionamento: R$ 10,00 no dia da abertura; de terça a sábado até 2 horas R$ 6,00;
3ª hora R$ 2,00; demais horas R$ 1,00 Domingo: preço único R$ 10,00
Classificação indicativa: livre


Informações para a imprensa:

Menezes Comunicação Tel. 11 3815-1243 3815-0381
Letânia Menezes cel. 9983-5946; Silvana Santana cel. 9723-3512
e-mail: menezescom@uol.com.br
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 18:02  comentar

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
13
14

15
16
18
20

22
23
24
26
27
28

29
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds