Revelando, imortalizando histórias e talentos
26.8.09

Osvaldo de Almeida Gogliano, compositor, regente e instrumentista, nasceu em São Paulo / SP, em 24 de junho de 1910, teve Noel Rosa e Marino Pinto como principais parceiros. Na foto com Tom Jobim

 


Filho de imigrantes italianos do bairro do Brás, todos os seus irmãos eram músicos: Carlos tocava flauta e sax, Rute formou-se em piano e harmonia e Dirceu fez o Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Vadico começou a interessar-se por música aos 16 anos e aos 18 deixou a profissão de datilógrafo para tocar piano em público pela primeira vez, apresentando-se em um hotel em Poços de Caldas, MG. No mesmo ano venceu concurso de música popular recebendo medalha de ouro com sua primeira composição, uma marcha ‘Isso Mesmo é que eu Quero’. Em 1929, o samba ‘Deixei de ser Otário’ foi incluído no filme Acabaram-se os Otários, com direção de Luís de Barros; essa foi sua primeira composição gravada, na Odeon, por Genésio Arruda. Nessa época, já fazia trabalhos de orquestração e enviou um samba para o Rio de Janeiro “Arranjei Outra” parceria com Dan Mallio Carneiro, e gravado por Francisco Alves em 1930. Isso o encorajou a dedicar-se somente à música aperfeiçoando seus estudos de piano.
No ano de 1931, foi para o Rio de Janeiro onde por intermédio de Eduardo Souto, teve seu samba ‘Silêncio’ gravado por Luís Barbosa e Vitório Lattari. Dois anos depois, o mesmo Eduardo Souto o apresentou a Noel Rosa no estúdio Odeon. Ouvindo uma de suas composições, Noel aceitou a sugestão de Souto para fazer a letra, e dois dias mais tarde estava pronto o ‘Feitio de Oração’, o primeiro dos seus sambas que teve Noel como letrista e que foi gravado em 1933, na Odeon, por Francisco Alves e Castro Barbosa.Seguiram-no ‘Provei, ‘Quantos Beijos ‘e “Só Pode ser Você”. Musicou depois os versos de Noel Rosa: ‘Conversa de Botequim’, ‘Cem Mil-réis’, ‘Tarzã, o Filho do Alfaiate’, Pra que Mentir’ e a Marcha do Dragão’ (publicitária). Por essa época, também atuou como pianista em diversas escolas de dança, e em 1934, foi contratado por Luís Americano para tocar na boate Lido. Quatro anos depois tocou durante alguns meses no Cassino Tênis Clube de Petrópolis RJ.

Vadico e o cinema


Em 1939 ele foi com a Orquestra Romeu Silva para os E.U.A., para atuar no pavilhão brasileiro da Feira Mundial de Nova Iorque. Permaneceu naquele país até novembro, tendo gravado transmissões para o Brasil na National Broadcasting Corporation. Retornou ao Brasil com Romeu Silva, passando a se apresentar com a orquestra deste na Feira de Amostras do Rio de Janeiro. Voltou para Nova Iorque em abril de 1940, na reabertura da Feira Mundial. Com o encerramento da mostra em outubro de 1940, mudou-se para Hollywood, lá se encontrou com Zé Carioca e passou a trabalhar na gravação das músicas do filme ‘Uma Noite no Rio’ (That Nightin Rio, de Irving Cummings), com Carmen Miranda. No ano seguinte, a pedido da Universal Pictures, compôs para o filme “O Samba loiô, com letra de Nestor Amaral. Continuou como pianista de Carmen Miranda e do Bando da Lua, paralelamente fazia também orquestrações para filmes em que estes atuavam, como Weekend in Havana - Aconteceu em Havana, com direção de Walter Lang, 1941-, e Springtime in the Rockie - Minha Secretária Brasileira, dirigido por Irving Cummings, [1942) entre outros. No ano de 1943, realizou shows em teatros e night clubs, sendo convidado no mesmo ano por Walt Disney - que o pediu emprestado à Twentieth Century Fox por cinco dias -, para musicar o desenho de longa metragem Saludos, Amigos, em que o personagem Zé Carioca aparece como símbolo do Brasil.

Exterior: trabalho e estudos




Em 1944, fez shows com Carmen Miranda e o Bando da Lua, nas bases da Marinha, em San Francisco, E.U.A. E no ano seguinte atuou no restaurante Latin Quarter. Nesse mesmo ano de 1945, deixou de se apresentar com Carmen Miranda e o Bando da Lua, passando a integrar orquestras norte-americanas. Estudou harmonia, contraponto, composição musical, orquestração e regência, com Mario Castelnuovo-Tedesco ( 1895 - 1968 ). Já em 1948 acompanhou Carmen Miranda em sua temporada em Londres. Em 1949 entrou para a companhia da bailarina Katherine Dunham, como regente de orquestra, excursionando pelos E.U.A., Europa e América do Sul. Em gosto de 1951, deixou a companhia em Kingston, Jamaica, e foi para Nova Iorque trabalhar com uma orquestra cubana. Três anos depois, retornou ao Brasil definitivamente, atuando com Os Copacabana, na boate Casablanca, em 1956, passando depois a tocar piano somente em gravações e a fazer orquestrações para a Continental e a Rádio Mayrink Veiga. No inicio de 1957 ingressou como diretor musical na TV-Rio, em substituição a Osvaldo Borba. No ano seguinte voltou a trabalhar com Os Copacabana, no Dancing Brasil e depois no Avenida. Já em 1959, deixou os Copacabana e foi para o Fred's, onde ficou até janeiro de 1960, sendo contratado pelo Sacha's. Gravou em 1962 na gravadora Festa o LP ‘Festa Dentro da Noite’. Vadico teve como principais parceiros Noel Rosa e Marino Pinto, este último letrista de ‘Prece’, que considerava sua obra-prima. O músico faleceu no Rio de Janeiro / RJ, em 11 junho de 1962.


Obras

 

 

Cem mil-réis (c/Noel Rosa), samba, 1936; Conversa de botequim (c/Noel Rosa), samba, 1935; Feitiço da Vila (c/Noel Rosa), samba, 1934; Feitio de oração (c/Noel Rosa), samba-canção, 1933; Mais um samba popular (c/Noel Rosa), samba, 1934; Pra que mentir (c/Noel Rosa), samba, 1934; Prece (c/Marino Pinto), samba-prelúdio, 1958; Provei (c/Noel Rosa), samba, 1936; Quantos beijos (c/Noel Rosa), samba, 1936; Só pode ser você (c/Noel Rosa), samba, 1936; Súplica (c/Marino Pinto), samba-canção, 1956; Tarzã, o filho do alfaiate (c/Noel Rosa), samba, 1936. [Fausto Visconde / Francisco Martins]

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:58  comentar

Agosto 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12

16
17
20
21

23
25
29

30


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds