Revelando, imortalizando histórias e talentos
2.10.09


 

Walker Evans, ganha retrospectiva no Brasil. Sua lente registrou a miséria e a Grande Depressão norte-americana dos anos 30 e os constantes desrespeitos à vida em Havana, Cuba, na época imposta por Geraldo Machado.


Justificar

Walker Evans registrou o período da Depressão e pobreza norte-americano na década de 1930, ganha exposição no Brasil. São 121 imagens que entrou para história por ter se transformado em "os olhos da Depressão". A mostra que veio ao Brasil esteve em Madrid,Espanha, entre janeiro e março deste ano. As fotos pertencem a um colecionador milionário norte-americano que emprestou-as para que o trabalho do fotógrafo fosse conhecido pelo mundo. O núcleo principal da mostra é a série de fotografias feitas no Sul dos Estados Unidos da América, entre 1935 e 1936, sob encomenda do governo norte-americano, que estava interessado em montar um acervo com imagens da Grande Depressão.

 

A intenção era utilizar o arquivo para programa social e erradicação da pobreza, construção de uma nova identidade, que ficaria conhecida com New Deal, que atendia os segmentos menos favorecidos da sociedade norte-americana. Ao lado do roteirista James Agree {1909-1955, autor do livro Let Us Now Praise Famous Men} ele relatou a mais profunda miséria em que vivia o estado do Alabama. Lá, Evans e Agree passaram dois meses registrando a vida de três famílias de granjeiros no último estágio de miséria, e a segregação racial imposta aos negros.

 

 

Cenas com anônimos no metrô nova-iorquino série feita entre 1938 e 1941; Havana, Cuba {no regime ditatorial de Geraldo Machado} nos anos 30, as janelas de com influências da construção Russa, de Wall Street, 1928, define o estilo de Walker como documentarista poético ou um roteirista melancólico. O estilo frio e avesso do fotógrafo ao sentimentalismo, revelam uma visão moral da época em que viveu.


Perfil

 

 

Walker Evans era filho de um bem-sucedido publicitário, ele rompeu com a estética de seus contemporâneos, especificamente, Alfred Stieglitz - vanguardista norte-americano dos anos 20. Por 20 anos trabalhou para a revista Fortune, 1945 a 1965. Suas primeiras fotos foram feitas em Paris, nos anos 1920, abandonaria a fotografia para estudar literatura, em Sorbonne, mas seu isolamento não durou muito tempo. A literatura se manifestaria em suas últimas polaróides, que eram colocadas nos sinais de trânsito construindo uma narrativa poética e quase literária. Ilustrou o livro The Crime of Cuba, do historiador Charletons Beals {1893-1979}, um documento sobre o terror e a ditadura de Geraldo Machado. Seu sangue frio mais uma vez funcionou para relatar e separar o sujeito e o objeto ao fotografar mártires e indigentes. Durante sua carreira, no primeiro período, fotografou arranha-céus nova-iorquinos como as fotos com ecos do vanguardista russo Rodchenko, das janelas de Wall Street, que estão presentes na retrospectiva. O fotógrafo nasceu em 1903 e faleceu em 1975. {

Ponte do Brooklin, EU

A /Divulgação}

 

Local: Avenida Paulista, 1578

 

Das 1100 às 18h00

 

Custo: R$ 15,00

 

3* – grátis

 

Até 10/01/2009

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 17:25  comentar

Antes de registrar um evento Pierre Verger busca evidenciar uma cultura. Por isso, um trabalho autoral impregnado de emoção.


Exposição fotográfica de Pierre Verger sobre Andaluzia, Espanha, mantém o olhar viajante do francês incansável. A mostra itinerante " Andaluzia, 1935" que faz parte do Ano da França no Brasil, apresenta imagens do acervo da fundação do fotógrafo franco-baiano, em Salvador,BA, e da Fundação Ceiba, Sevilha, Espanha. O tema da exposição é uma viagem feita por ele em uma bicicleta pela região da Andaluzia em 1935, data esta em que a Espanha era tratada como país periférico da Europa. Sendo, então, a Andaluzia um subúrbio espanhol, chamou atenção para retratar seus habitantes cuja beleza se distanciava do modelo de beleza européia, os gestos, olhares e expressões.

As imagens teem um certo caráter marcante haja vista que foram feitas pouco antes da Guerra Civil espanhola, 1936-1939; além de recuperar detalhes da região desconhecidos ou esquecidos. Mas, o ponto alto dos registros são as pessoas retratadas nas ruas em seu dia-a-dia; em procissões religiosas e os mercados. Dois grupos de imagens protagonizam esta mostra de Verger: Um é a arquitetura com sua paisagem urbana imponente e o outro em que aparecem pessoas. Mas, é na cena em que aparecem pessoas onde o talento do francês fica mais evidenciado, ele imprime sua marca como legítimo fotógrafo de rua ao buscar identidade com o fotografado. Foto acervo Fundação Pierre Verger. {Agência FM}.



Serviço

Avenida São João, 473
De 30/10 a 22/12
3* a dom., das 12h00 às 20h00
[11] 3397-0000
Grátis

 

 

José Antonio da Silva:100 anos

 

Silva um tipo de personagem que serviu àquele momento onde o meio precisava de uma arte pura, ingênua e genuinamente brasileira; e uma certa inteligência plástica.

Estreia mostra com 25 telas do pintor José Antonio da Silva, um dos mais bem-sucedidos artistas primitivista do País. Suas telas traduzem as paisagens do interior paulista e dão amplidão das plantações de algodão, campo de café e de cana, boiadas. Essa foi a vertente escolhida pelo artista plástico Paulo Pasta para esta exposição " Nasci Errado e Estou Certo, em comemoração aos 100 anos do artista. São paisagens e naturezas-mortas colhidas em quatro coleções particulares que, segundo Pasta, representa a maior maturidade de José Antonio da Silva. As telas de Silva não são de simples registros, imprimem uma certa dinâmica; as coisas estão sempre em transformação. Nelas ele aborda o seu universo interiorano como queimada das árvores, troncos cortados sempre permeiam suas telas.

Perfil

José Antonio da Silva, nasceu em Sales de Oliveira, 1909, e viveu em São José do Rio Preto, ambos municípios do Estado de São Paulo. Filho de um carreiro de bois, tinha como sua fonte de sobrevivência o universo da lavoura exemplo plantação de café e algodão, e nela se inspiraria. Sua carreira teve início no desenho e depois passou para pintura em flanela. Ao levar três telas para o Salão de Arte e Cultura de São José do Rio Preto, 1946, ele contou com uma ajudinha da sorte também. Visitando o Salão estavam Paulo Mendes de Almeida e João Cruz da Costa, que passaram a admirar sua obra em flanela, e o nome do artista ganhou ascensão. Silva participou de Bienais em São e em Veneza, Itália. Apesar de sempre ter se achado um artista, e sem modéstia, somente aos 37 anos foi quando tomou coragem para expor seus trabalhos. O pintor deixou vasto legado pictórico. E isso fazia dele uma pessoa muito vaidosa, mais parecia nunca ter ouvido a palavra modéstia. O pintor falecido em 1996, considerava-se um gênio tanto quanto os pintores que ele admirava; Pablo Picasso, Van Gogh e outros.

Fazendo parte das comemorações de seu centenário de nascimento, um debate será realizada dia 30 de outubro as 20h00,na Galeria Estação, com participação do curador e artista plástico Paulo Pasta e do escritor Romildo Sant'Anna.

Nasci Errado e Estou Certo

Galeria Estação:rua Ferreira de Araújo, 625
Seg., sex., das 11h00 às 19h00 - Sáb., até 15h00
De 25/9 à 14/11 - Grátis
11/ 3813-7253

 

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 17:24  comentar

Grupo Divinadança divide o palco do TD com o Balé de Santos na 2ª edição de outubro do Bem Casado.

 

 

 

 

 

Em Páginas, a coreografia foi inspirada na vida de Edith Piaf, famosa cantora francesa que, apesar das diversas barreiras encontradas, venceu sendo imortalizada como o pequeno pardal de Paris.

 

Sostenuto buscou no dicionário o verbo sustentar para definir seu desenvolvimento. O coreógrafo Luis Arrieta encontrou inspiração na música de Rachmaninoff para a construção espacialmente elaborada no sentido de “impedir que se caia, amparar, animar, estimular, suster-se, equilibrar-se”, conforme aponta o dicionário. Já Tempo Escasso aborda a desumanização das relações dada à rotina e a efemeridade com a qual vivemos hoje.   O programa Bem Casado consiste na apresentação de dois espetáculos em uma mesma noite, criados por artistas oriundos de cidades diferentes.

 

Bem Casado 17 e 18 de outubro – sábado às 20h, domingo às 18h, 75 minutos de duração com intervalo, 12 anos

 

Páginas

 

Balé da Cidade de Santos

Direção artística: Renata Pacheco

Direção executiva: Alcides Mesquita

Direção administrativa: Marilyn Paiva

Produção: Luciana Marques

Trilha sonora: Antonio Lapetina

Figurino: America Pacheco

Cenografia: Fernando Valente

Operador de luz e som: Riberto Bastelli

Elenco: Amanda Borba, Ana Beatriz Catira, Ayla Gomes,

Bruna Horta, Fernanda Pinheiro, Fernanda Iannuzzi, Isabela Asenjo,

Isabelle Schmitt, Marília Andrade, Michelle Ferraz,

Monike Kazumi, Sabryna Ribeiro, Stefanie Bispo.

 

Sostenuto

 

Grupo Divinadança – SP

Coreografia, figurino, iluminação: Luis Arrieta

Música: Sergei Rachmaninoff (1873 -1943)

Concerto n° 2, op 18 em Dó Menor – adágio sostenuto

Elenco: Alaércio Leite ou Adilson Junior, Alexandre Nascimento,

 Ane Adade ou Karin Chaves

 

Tempo Escasso

 

Grupo Divinadança – SP

Direção: Andrea Pivatto

Concepção e coreografia: Gleidson Vigne

Assistente de coreografia: Carolina Antunes    

Captação e edição de Imagens: Willy Helm

Rapper: Luciano Trinquinato

Criação de luz: Gleidson Vigne

Músicas: Sing It - Kids 606 –, Yo Vivire (I Will Survive) –

 Celia Cruz, Quebra o meu barraco – Tati quebra-barraco,

Outra vez -  Roberto Carlos,  Theme Rocky ( Gonna fly now ) –

Bill Conti, Infinity - Björk

 

Elenco: Alaércio Leite, Alexandre Almeida, Antonio Marques, Claudia Riego, Flavia Duarte, Flavia Lucato, Ghiba Santana, Maércio Maia, Marcela Sena, Priscilla Lima.

 

TD - Teatro de Dança - Secretaria de Estado da Cultura

 

APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte

Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo, SP, Brasil - Metrô República - Email: info.teatrodedanca@apaa.org.br

 

 

Telefone da bilheteria: 2189 2555 /// Informações: 2189 2557

 Capacidade: 278 lugares /Ar-condicionado ///Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais /// Ingresso: R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia) ///

Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista /// Bilheteria, abertura: Vendas para o dia do espetáculo - 4ª a domingo, a partir das 14h/// www.teatrodedanca.org.br

 ///  Vendas online www.ingressorapido.com.br

 

 

O Teatro de Dança tem apoio da Folha de São Paulo, Alcaçuz, Leonor Flores, Circolo Italiano, Luna Di Capri e Planeta´s. No programa "Prêmio Teatro de Dança", conta com o apoio do SESC São Paulo

 

Informações para imprensa: Canal Aberto Assessoria de Imprensa

Márcia Marques - (11) 3798 9510 / 2914 0770/ 9126 0425

www.canalaberto.com.br

 

 

Fiquem de olho nos brinquedinhos novos da CET... , informa Carlos Guimarães
 
 
Atenção para os novos radares em Sampa, se você ainda não levou uma multinha. . .Muito cuidado, pois pode ser que você já a tenha levado!!!
**Os radares 'arapucas' agora estão embutidos nos 'guard-rails'!**
 
 
Os endereços são:
 
 
1) Av. Rio Branco x Av. Duque de Caxias;
2) Av. Brasil x Rua. Veneza;    
3) Rua Tabapuã x Rua Dr. Renato Paes Barros;
4) Av. Do Estado x Av. Santos Dumont;
5) Rua Jeroaquara x Rua Clélia;
6) Rua Bom Pastor x Rua dos Patriotas;
7) Av. Francisco Matarazzo x Av. Antártica;
8) Av. Diógenes Rua de Lima x Av. São Gualter;
9) Av. São João x Av. Ipiranga;
10) Av. Brasil x Rua Colômbia;
11) Rua Dr.. Plínio Barreto x Rua Rocha;
12) Rua Rui Barbosa x Rua Conselheiro Carrão;
13) Av. Eusébio Matoso x Rua Bento Frias;
14) Rua Taquari x Rua Catarina Braida;
15) Av. Santo Amaro x Av.Dr. Hélio Pellegrino;
16) Av. Afrânio Peixoto x Rua Alvarenga;
17) Rua Antonio de Barros, altura da Rua Aguapei;
18) Av. Esc. Politécnica, Altura da Ci. Alb. Cavalcanti;
19) Rua Boa Vista, Altura da Rua São Bento;
20) Av. Esc. Politécnica x Rua Waldemar Roberto.

Atenção também onde há muros !!!
O primeiro é o abaixo indicado:
Novo radar, de pequena dimensão, embutido numa das vigas do muro de cimento, numa altura de 2,50 a 3,00m.,
do Laboratório Roche. No começo da pista local da marginal Pinheiros sentido Santo Amaro, + ou - 300 m . de
quem vem da Castelo Branco e + ou - 200 m do fim de ponte que vem da Marginal Tietê.
Na expressa tem 1 antigo logo depois.
Foram incluídos dois de faixa de pedestres:
1) Av. João Pedro Cardoso em frente ao nº 300 (nos dois sentidos). Que liga a Tamoios c/ Pedro Bueno);
2) Av. Pedro Bueno, em frente ao nº. 1301 (sentido Jab.), 300 metros antes da Lombada Eletrônica;
Veja a lista de locais onde funcionarão radares do tipo LAP, que lêem placas flagram infratores do rodízio:
1) Marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, nas proximidades do estádio do Canindé;
2) Avenida dos Bandeirantes, sentido marginal, na altura da Rua Alberti Willo;
3) Marginal Tietê, sentido Castello Branco, após a Ponte Atílio Fontana;
4) Avenida Indianópolis, sentido Ibirapuera, próximo à Alameda dos Sorimãs;
5) Avenida Sena Madureira, sentido Vila Mariana, na altura do nº 1.265;
6) Avenida 23 de Maio, sentido Centro, próximo ao Viaduto Pedroso;
7) Marginal Pinheiros, sentido Interlagos, pista expressa, antes da Ponte do Jaguaré;
8) Avenida Alcântara Machado, em ambos os sentidos, na altura da Rua Placidina;
9) Avenida das Nações Unidas no sentido Castello Branco, na altura do nº 7.163.
FONTE: Carlos Guimarães
www.negociosantigos.com.br
 
 
 
 
  
 
Três Lagoas festeja os 205 anos de Allan Kardec 
 

Uma data especial merece uma celebração ainda mais marcante. Em outubro, será celebrado mundialmente o aniversário de 205 anos do nascimento de Allan Kardec, e as festividades vão igualmente movimentar todo o Mato Grosso do Sul.

 

Em Três Lagoas, a data se reveste de um significado todo especial, porque desde 1997, graças à lei nº. 1407 o legislativo municipal instituiu outubro como o mês dedicado a Kardec, o grande codificador da Doutrina Espírita.

 

As homenagens terão início já no dia 1º de outubro, à tarde, quando o jornalista Altamirando Carneiro, vindo de São Paulo, irá proferir palestra no salão nobre da Câmara Municipal sobre “A Vida e Missão do Codificador”, nascido em 03 de outubro de 1804.

 

O renomado jornalista e palestrante Altamirando Carneiro, chega a Três Lagoas quinta-feira pela manhã, e dará várias entrevistas. Realizará um ciclo de palestras nas seguintes cidades: Ilha Solteira, Três Lagoas e Paranaíba. Ele vem acompanhado do consagrado fotógrafo profissional Maurício Cardim que também é fotógrafo de artistas e estrelas da música e televisão brasileira.

 

Na quinta-feira, dia 1º de outubro à noite Altamirando estará na cidade de Ilha solteira no Centro Espírita Cairbar Shuttel; no dia 02 (sexta-feira), estará em Três Lagoas no Grupo da Fraternidade Espírita José Grosso e Maria João de Deus, e encerrando sua visita em nossa região vai à cidade de Paranaíba no dia 03 de outubro, no Centro Espírita São Vicente de Paula. “Em 1989, Chico Xavier conversando comigo, disse que minha avó Maria Rosa tem um amor imenso por Paranaíba e pela família, o que me levou às lágrimas, pois, eu nunca tinha falado nela com o médium. Por isso, no dia em que se comemora o nascimento de Kardec, faço questão de marcar a data com uma palestra na Terra dos meus saudosos avós, Vicente Barbosa de Morais e Maria Rosa”, afirma Luizinho.

 

A visita de Altamirando é promovida pelo Grupo da Fraternidade Espírita José Grosso e Maria João de Deus, sob a responsabilidade do jornalista Luiz Correa da Silveira Filho. Destacamos que Altamirando, mesmo tendo muitos compromissos em São Paulo onde mora, e viagens agendadas para várias cidades do Brasil, faz questão de visitar nossa região há alguns anos, trazendo sua palavra inspirada.

 

Um pouco da história de Altamirando:

 

Altamirando Dantas de Assis Carneiro nasceu na Fazenda Flores, município de Coração de Maria, Estado da Bahia, no dia 03 de julho de 1941.

 

Tendo vivido e se criado em Irará, Bahia, considera-se filho pelo coração deste local, onde exerceu suas primeiras atividades no campo literário: locutor do Serviço de Publicidade A Voz da Cidade; colaborador da seção A Tarde nos Municípios do jornal A Tarde, de Salvador; editor dos jornais murais do Ginásio e Colégio Normal São Judas Tadeu.

 

Na capital paulista, onde mora há mais de 40 anos, produziu escritos e poemas, com os quais organizou três livros, não editados. Diplomou-se em Comunicação Social (opção em jornalismo) na Universidade Paulista (Unip), onde, no primeiro semestre, produziu um jornalzinho com os seus colegas, rodado no mimeógrafo. Na universidade, organizou um livro intitulado Diário Escolar, não editado. Nos últimos semestres escolares, participou com duas crônicas, no jornal laboratório da escola.

 

Trabalhou em jornais de bairro e é editor há 25 anos do jornal O Semeador e há dois anos do Jornal Espírita, órgãos da Federação Espírita do Estado de São Paulo.

 

Tem quatro livros publicados, dois deles esgotados: Castro Alves e o Espiritismo (Edições FEESP) e Abolição, Esperança de Ontem, Promessa de Hoje (Panorama Comunicações). E dois em catálogo, pela Editora Camille Flammarion: No Limiar do Amanhã, Lições de Espiritismo com Herculano Pires e Seguindo os passos de Jesus – Crônicas da Palestina.

 

É fundador e presidente da Arte Poética Castro Alves.

 

Altamirando é solteiro e muito conhecido no meio espírita, dedicando todo seu tempo na divulgação da Doutrina Espírita – escreve para diversas revistas Espíritas de circulação nacional e internacional, participa ativamente na Federação Espírita de São Paulo e realiza palestras em todo o Brasil.{Fonte: Maurício Cardim - Especial para Agência FM}

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 17:23  comentar

Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
17

18
20
22
23

25
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds