Revelando, imortalizando histórias e talentos
12.10.09
 

Torcedor do Botafogo, Souto compôs o hino do clube carioca " Glorioso". Se estiver vendo a atual situação do clube carioca, está se revirando no túmulo.

Maestro e compositor, Eduardo Souto nasceu em São Vicente, São Paulo, em 14 de abril de 1882. Filho de família tradicional, que incluia educação musical em casa. Aos seis anos começou a tocar e compor peças no estilo de Chopin. Em 1893, muda-se para o Rio de Janeiro com a família, onde passou ater aulas com o professor Carlos Darbilly. Souto tinha em mente ser um músico clássico, porém o pianista popular sobressaiu-se por todo vida. Quando atingiu maioridade montou uma loja Carlos Gomes {Rua do Ouvidor] para venda de partituras e instrumentos musicais, que conciliava com o trabalho de bancário, Banco Francês. Em 1920 foi diretor artístico da Odeon e de sua subsidiária, a Parlophone. No ano de 1932, desiludido com a múscia, largou tudo e foi exercer alto cargo no banco do Comércio por oito anos.


Década de XX

Toda década de XX foi muito positiva para Eduardo Souto. Ele era uma presença significativa no Rio de Janeiro, não somente no campo da edição musical, mas também como regente de orquestra. Ao mesmo tempo em que editava suas peças para piano pela Casa Carlos Gomes, ganhavam destaques suas marchinhas carnavalescas, sendo a primeira uma parceria com João da Praia" Pois Não", de 1920. Em 1922, a marchinha - uma chula à Moda baiana -, Pemberê, foi gravada pelo cantor Baiano. Já em 1923, obteve grande sucesso com as composições "Eu só Quero é Beliscar", "Goiabada" e "Só Teu Amor", sendo as duas últimas uma sátira política ironizando Nilo Peçanha. O reconhecimento viria definitivamente com a marchinha "Tatu Subiu no Pau", de 1924, cujo título acabou virando nome de bloco carnavalesco, da Penha, Rio de Janeiro. Sua veia política sempre esteve no seu repertório popular: em 1929, compôs outras duas marchinhas ironizando Washington Luís " É, Sim Senhor" e "Seu Doutor" gravada por Francisco Alves, na Odeon. Seu leque de parcerias aumentava, então, compôs com João de Barro {Braguinha} "Batucada", gravada por Mário Reis. Atuou também no gênero das comédias musicais: por exemplo "Ziguezague" parceria com Antônio Lago, em 1926.

Zaira de Oliveira/Bidu Sayão

Como músico clássico organizou corais na década de XX como Coral Brasileiro que tinha entre os participantes Bidu Sayão, Zaira de Oliveira e Nascimento Silva. Apesar de tudo, para a Enciclopédia da Música Brasileira, ele se mostrava incompreendido. A alegação era de que ele tinha poucas composições,apenas 13, por isso não era citado. Porém, um estudo da pianista Clara Sverner encontrou mais de trezentas peças só para piano. A pianista acompanhada pelo saxofonista Paulo Moura lançou em 1982, o LP " Clara Sverner Interpreta Eduardo Souto" quando do centenário do compositor que, sucumbido em crises nervosas foi internado em clínica carioca, e viria morrer em 18 de agosto de 1942.
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 02:30  comentar

"Beatles to Bowie: The 60's Exposed

  
 
É uma mostra somente para os fãs ou para quem esteve envolvido na divulgação e na criatividade.



Exposição em Londres apresenta um recorte da década de 60 com retratos de artistas famosos "Beatles to Bowie: The 60's Exposed, entra em cartaz National Gallery, quarta-feira,14/10. Através dos retratos de artistas que frequentaram a parada musical, a mostra tem destino certo, os fãs que ficarão satisfeitos com o presente nostálgico.



Este é o papel da fotografia, contentar os que buscam por nostalgia, e as fotos expostas servem a isso muito bem, atenção especial aquelas cedidas e comemoradas por gravadoras e de suplementos de final de semana. Não esperem ver fotos casuais ou discretas; todas são posadas com cifrões sobrevoando as suas cabeças. Cliff Richard, David Bowie, The Shadows, Adam Faith entre outros. Tem fotos dos Beatles, em início de carreira que faziam entender e acreditar na inocência. Mas era apenas um estilo. A fotografia feita por David Bailey, de David Bowie, em 1964 o retrata como uma coisa animalesca. Neste mesmo ano, aparecem retratos dos Rolling Stones onde Jagger aparece em plena beleza, assim também Rudolf Nureyev.



Em 1965, o realismo sujo pop dá uma guinada e, destaca Gerry and the Peacemekers [destaque]em bela foto de Robert Whitaker pelas ruas de Liverpool. A vaidade do grupo The Who, que esperavam morrer antes de envelhecerem; Jimmi Hendrix envolto em sedas e cabeleira selvagem. Os The Beatles, em sua fase adulta e próximo da separação, aparecem sentados no chão com Yoko Ono bem na frente. Aliás, o grupo ocupa quase todo o espaço da mostra. Dependendo da forma de se olhar, até dá para se ter uma boa impressão da década de 60 e seus ídolos.

 
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 02:29  comentar

Santo de casa não faz milagre

 

Não tem igreja própria, é um desconhecido na terra natal. Fala-se de um dos santos mais populares no Brasil, São Jorge. A única peça significativa sobre ele, uma pintura, está alojada de favor na igreja de Santo Onofre.

 

O ditado título desse artigo é antigo mas vale para quase toda parte do mundo. É muito habitual, e com certa razão, quando se fala de ausência de preservação da memória cultural, logo menciona-se os brasileiros. Porém, na Europa existem países que agem como nós brasileiros. Especificamente, a cidade de Goreme, na Turquia. Jorge de Capadócia, o popular São Jorge no Brasil, não goza de 1/3 da popularidade em sua terra natal. Nada de estátua ou monumentos. Há uma certa dificuldade, não somente para se obter dados sobre o santo como também praticamente não faz parte da cultura da Turquia.

 

Na cidade de Goreme, próximo a Istambul, declarada um museu a céu aberto por suas 600 igrejas construídas no século II antes de Cristo, tem uma única pintura de Jorge da Capadócia na Igreja de Santo Onofre. Ou seja, se quer tem igreja própria. Os dados sobre ele não somente são imprecisos como nota-se desinteresse em repassá-los. Segundo pesquisadores turcos, a mais bem preservada pintura sobre o santo guerreiro teria sido realizada entre os séculos VII à XIV, e foi descoberta a partir de 1960, quando um criador de galinhas entrou em um buraco para pegá-la. Então, viu que existia algo mais do que um buraco, e sim, várias cidades subterrâneas. O desinteresse pela história do santo na Turquia poderia ser justificada pela opção religiosa onde a maioria absoluta da população é de muçulmanos. Porém, outros santos teem atenção especial é o caso de Santo Onofre.

 

Perfil de Jorge

 

Jorge nasceu em família cristã, e foi convocado a integrar a tropa Romana. Logo percebeu a perseguição do rei contra os cristãos e isso o levou a se revoltar contra  monarca. Conta a lenda que todo final de ano uma virgem teria de ser entregue, lançada ao mar como oferenda. Caso contrário, um dragão surgiria das águas e disseminaria toda população. Acontece que, naquela época virgem já era 'artigo' escassa. Procuraram e encontraram a filha do rei, porém, este se recusou jogar sua pupila ao mar para salvar seus súditos. Ainda segundo a lenda, um grande dragão emergiu das águas lançando fogo pelas ventas sobre o povoado. Jorge, que havia mudado suas convicções religiosas mas não seu senso de justiça não abandonaria sua gente. Lutou com o dragão até derrotá-lo. Por isso, a tradicional  imagem do santo montado em seu cavalo com a lança espetando-o.

 

 

A ira do rei

 

 

Ele sofreria todos os tipos de perseguições que culminaria na sua morte. Duro de morrer: Jorge foi atacado e emboscado e sempre saia ileso. O rei vendo suas tentativas caírem por terra, recorreu a um homem de nome 'Elisius', famoso na região por sua letalidade com veneno. O rei ordenou então que Elisius fizesse sua poderosa fórmula - capaz de matar  elefante ou uma dupla sertaneja -, e fizesse com que Jorge tomasse a fórmula. Dito e feito. A dose foi ingerida por Jorge da Capadócia  sem que nada lhe acontecesse. Com mais esse advento, muitos desconfiavam dos poderes de Jorge, cuja mulher se converteu ao cristianismo também como tentativa de obter clemência do rei. Entretanto, o rei não sossegaria enquanto não derrotasse seu ex-valente soldado. Uma última tentativa teria de ser feita para eliminar Jorge. A solução encontrada foi decepar sua cabeça, só assim  seria morto. A história parece não comover os nativos. O descaso e o por que de São Jorge ser quase ignorada pela maioria dos turcos não fica evidenciado.  Como forma de divulgar o santo na terra natal e na Europa, uma empresária brasileira, Malga di Paula, esposa de Chico Anísio, saiu na frente e fez uma promessa ao santo: 'se o santo ajudar sua companhia de viagens' ela buscará recursos financeiros para erigir um monumento a São Jorge em sua terra natal.  Salve Jorge !

 

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 02:28  comentar

Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
17

18
20
22
23

25
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds