Revelando, imortalizando histórias e talentos
26.10.09

 

 


LONDRES - 21 de julho - Especialistas em saúde pública lançam um alerta para um grande aumento no número de mortes nas próximas duas décadas devido ao uso do amianto, material usado indústria da construção civil, principalmente nos países em desenvolvimento. O Consórcio de Jornalistas Investigativos e a BBC de Londres fizeram uma investigação e chegaram ao numerário de mais de 1 milhão de pessoas podem morrer até 2030 devido a doenças ligadas à substância.

O Brasil por exemplo tem um consumo de amianto 50 vezes maior que os Estados Unidos, é o quinto maior consumidor do produto em uma lista onde a China, Índia e Rússia são os líderes. A fibra natural, amianto presente em minas, é resistente ao fogo e ao calor é barato, quando é misturado ao cimento para construção de telhas e pisos. O uso da substância já é proibido ou restrito em 52 países, pois soltam fragmentos microscópicos no ar que podem provocar várias doenças pulmonares quando inaladas além de alguns tipos de câncer. A investigação indicou que a produção de amianto continua sendo produzida na ordem de dois milhões de toneladas.

O amianto movimenta bilhões de dólares, sobretudo com exportações para países em desenvolvimento, onde as leis de proteção e a fiscalização são mais brandas. Apesar da proibição ao uso, uma variação da substância conhecida como amianto branco é produzida e exportada para diversos países. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), mesmo o amianto branco pode provocar câncer. Um grupo de cientistas temem que a disseminação do amianto branco possa prolongar mais uma epidemia de doenças relacionadas à substância. Anda segundo a OMS, 125 milhões de pessoas convivem com amianto no trabalho. A (OIT) Organização Internacional do Trabalho estima que 100 mil trabalhadores morram por ano devido a doenças causadas pelo amianto.

Nos Estados Unidos da América, a indústria da construção civil não se utiliza de mais nenhum tipo de amianto. Porém, a o número de mortes por causa do uso da substância está chegando ao alto nível, por causa do longo período em que a doença ainda pode se manifestar. No México, são mais de 2 mil empresas que se utilizam do amianto em diversos produtos, exemplo aquecedores, freios, canos, tetos e cabos. Estima-se que mais de 8 mil trabalhadores têm contato direto com a substância. O Canadá, um dos maiores produtores e exportadores mundiais de amianto branco , proíbe seu uso no país. Foto> mina de amianto. (Francisco Martins)

 

 

Adultos de 30 a 39 anos também serão vacinados contra a gripe A (H1N1)

 
Adultos, de 30 a 39 anos, também vão receber a vacina contra a gripe influenza A (H1N1). A campanha de imunização começa no dia 8 de março, e inclui ainda profissionais de saúde da rede de atenção básica, e envolvidos na resposta à pandemia, indígenas, gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos, jovens de 20 a 29 anos e pessoas com doenças crônicas (como diabetes, obesidade, asma e cardiopatias). O anúncio foi feito pelo Ministério da Saúde, na quinta-feira (25).
A ampliação do público-alvo a ser imunizado antes do início do próximo inverno, em junho, representa um aumento de 30 milhões de doses da vacina, totalizando 113 milhões. Para a compra das novas doses, foram destinados R$ 300 milhões, liberados por medida provisória. “Em novembro, quando fizemos a compra da vacina, houve um aumento de oferta no mercado internacional. Sobrou vacina e pudemos ter acesso a um número de doses maior”, explicou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. “Vamos ter estoque estratégico, monitorando o que vai acontecer durante o processo para tomar outras medidas”, acrescentou.
A definição da nova faixa etária considerou o grupo com maior número de hospitalizações e mortes, além dos que já haviam sido priorizados. A expectativa é imunizar 91 milhões de pessoas contra a doença. Parte das 113 milhões de doses será reservada para o caso de haver alterações epidemiológicas ao longo do inverno no País.
“Quero chamar a atenção que é muito importante a população acompanhar com atenção e seriedade a comunicação que o governo vai fazer de datas e prazos nesta campanha de vacinação”, recomendou Temporão. “E faço um apelo a estados e municípios que capilarizem a rede de vacinação e que tenham horários ampliados de vacinação, inclusive para os finais de semana, para que a população possa com facilidade e tranqüilidade se proteger”.
Serão 36 mil pontos de vacinação em todo o país. A logística de aplicação das vacinas, incluindo locais e horários, é de responsabilidade das Secretarias Estaduais de Saúde.

País está preparado para enfrentar a epidemia

A rede de laboratórios autorizados para diagnosticar casos de influenza A (H1N1) foi ampliada de sete unidades para 14 unidades. “É uma rede mais capilarizada e mais ampla, que vai dar maior suporte [ao processo de imunização], 2010 vai ser um ano importante para nós”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.
Temporão anunciou ainda a ampliação da quantidade de medicamentos disponíveis para o combate à doença. Segundo ele, 20 milhões de doses vão ser fornecidas por meio de receita médica com retenção.
Quase 600 unidades que integram o programa Farmácia Popular no país vão fazer a distribuição. Segundo o ministro, se o fabricante tiver condições de produzir o medicamento em quantidades maiores, haverá oferta também em drogarias privadas.
“O que aconteceu no ano passado foi que o laboratório colocou toda a sua capacidade produtiva para o governo e, por isso, o medicamento não foi comercializado”, explicou.

O ministério também anunciou a compra de monitores e respiradores, para ampliar leitos de unidades de Terapia Intensiva (UTI). A medida visa a atender casos de síndrome respiratória que evoluam com maior gravidade. FONTE: www.presidencia.gov.br
 
 

Parceira inédita entre governo e igreja católica

 

 

A Igreja Católica vai mobilizar pastorais e movimentos religiosos para sensibilizar os fiéis sobre a importância de fazer o teste de Aids e de sífilis. A parceria entre o Ministério da Saúde e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é inédita e histórica. O slogan é “Declare seu amor por você”


“A parceria tem forte conteúdo de humanização. O desafio esbarra em temas como receio, medo e preconceito. Os trabalhos que as pastorais realizam são fortes na defesa da luta pela vida”, afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, ao lançar o projeto, semana passada, em Brasília.

A experiência, feita por meio do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais, começa com um projeto-piloto em cinco capitais: Manaus, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre e João Pessoa. As paróquias que quiserem fazer mobilizações para testagem podem contar com a rede pública de saúde. Ela coloca à disposição profissionais qualificados, testes, aconselhamento pré e pós-exame e encaminhamento à rede de assistência para os casos positivos.

Está prevista a capacitação de integrantes das pastorais. A Pastoral da Aids, por exemplo, está presente em 142 das 272 dioceses do Brasil e possui 13 mil agentes capacitados e envolvidos no trabalho de acompanhamento das pessoas com HIV e seus familiares. Na Pastoral da Criança são 260 mil agentes e na da Saúde, 80 mil.

Histórico -
A partir das reflexões feitas no VII Seminário Nacional de Prevenção, realizado em outubro de 2008, em Brasília, a Pastoral da Aids, por meio da CNBB, entregou ao Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais uma série de recomendações. Entre elas, a importância do incentivo ao diagnóstico precoce. O Ministério da Saúde passou então a oferecer exame ao público católico.

Embora o teste seja gratuito e disponível na rede de saúde, as pessoas têm dificuldade para se testar. O diagnóstico precoce, associado ao tratamento, é fundamental para aumentar a sobrevida e a qualidade de vida dos soropositivos. Dados do Ministério da Saúde de 2008 mostram que cerca de 60% da população brasileira jamais se testou para o HIV.

Entre 2003 e 2006, 43,7% dos pacientes soropositivos já tinham deficiência imunológica ao chegar aos centros de saúde. Desses, 28,7% evoluíram para quadro grave e morreram no início do tratamento. Hoje, 630 mil pessoas têm HIV e Aids no País. Deste total, estima-se que 225 mil pessoas sejam portadoras e desconhecem sua condição sorológica.
 

reja incentiva teste de HIV

FONTE: www.presidencia.gov.br / Francico Martins

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 01:56  comentar

Com ritmo oscilante: ora terror ora comédia “Garota Infernal” não faz ri ninguém, também não assusta ninguém apesar da sagacidade de Diablo Cody.

 




Garota Infernal" é o segundo filme escrito por Diablo Cody, uma ex-stripper, que foi responsável também pelo roteiro de "Juno," com o qual ganhou um Oscar de melhor roteiro original. Em “Garota Infernal” ela deixa de lado o enfoque mais doce e tenta combinar terror, comédia comentário social. ‘A garota título’ é interpretada por Megan Fox, que ficou mais conhecida mostrando suas curvas em filmes como "Transformers.", e se sai muito na pele de Jennifer, uma mulher desejada e popular na escola, onde se envolve em ‘uma furada’. Needy, vivida por Amanda Seyfried, a melhor amiga de Jennifer, uma nerd de bom coração, que namora com Chip - Johnny Simmons. As duas são extremos opostos no quesito popularidade. Apesar disso, as moças estão sempre juntas, apesar de uma ser linda e a outra ser o patinho feio.



Porém, algo começa a mudar quando Jennifer sai com uma banda de rock, no bar onde estavam as duas amigas. Ao retornar da noitada com os rapazes da banda, a protagonista está bem estranha. Passa a devorar partos e mais pratos de comida, vomita no assoalho, e torna-se , também, uma devoradora de homens, literalmente. A única que sabe a verdade sobre Jennifer, é sua amiga Needy, que percebe ser ela a responsável pelas vísceras encontradas pela cidade.

 

Needy, teme que sua melhor amiga transforme-se em sua pior inimiga. É nesse tema banal que mora a idéia central de “Garota Infernal”. O mote é batido no cinema, o diferencial é que a garota bonita e popular se transforma no ‘diabo’. É uma película um tanto indecisa, pois todos querem em cada fotograma, transformar Megan Fox em símbolo sexual. Assim, o ritmo oscilante, ora terror ora comédia não ata nem desata. O seja, ninguém ri, ninguém se assusta, apesar da sagacidade de Diablo Cody.

 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 01:55  comentar

Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
17

18
20
22
23

25
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds