Revelando, imortalizando histórias e talentos
3.2.11

SÃO PAULO - BRASIL - O Instituto Camões e o Cine Olido prestam homenagem ao cineasta português João César Monteiro, um dos idealizadores do movimento Novo Cinema. Diretor e ator nasceu em 2 de fevereiro de 1939, em Figueira da Foz, e morreu em 3 de fevereiro de 2003, em Lisboa. Cada ticket custa R$ 1,00 .









SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN

(Portugal, 1968, 18 min). Com Sophia de Mello Breyner Andresen e filhos.
Documentário sobre uma das mais importantes poetisas portuguesas do século 20, Sophia de Mello Breyner Andresen (1919/2004).
FRAGMENTOS DE UM FILME-ESMOLA
(Portugal, 1972, 72 min). Com Manuela de Freitas, João Perry, Catarina Coelho e outros.
Enquanto Maria trabalha em uma fábrica de guarda-chuvas, João Lucas passa os dias em sua cama, rodeado de vegetais. O cotidiano um tanto excêntrico desse homem é filmado por uma criança.
| Exibições seguidas. Dia 22, 15h

À FLOR DO MAR
(Portugal, 1986, 143 min). Com Laura Morante, Philip Spinelli, Manuela de Freitas e outros.
Ao retornar para a casa à beira mar com sua família após a morte do marido, mulher ouve pelo rádio a notícia do assassinato de um líder palestino. Na praia deserta, ela encontra um ferido que nega ter tido qualquer relação com o fato.
| Dia 22, 17h

A COMÉDIA DE DEUS
(Portugal/França/Itália/Dinamarca, 1995, 170 min). Com Cláudia Teixeira, João César Monteiro, Manuela de Freitas e outros.
Homem se divide entre seu trabalho em uma sorveteria e sua coleção de pelos pubianos femininos. Tentando seduzir uma garota, ele a presenteia com um banho de leite e várias guloseimas que lhe fazem mal. O pai acredita que a filha foi deflorada, e planeja lavar sua honra.
| Dia 22, 19h30. Dia 27, 17h

QUEM ESPERA POR SAPATOS DE DEFUNTO MORRE DESCALÇO
(Portugal, 1970, 33 min). Com Luis Miguel Cintra, Carlos Ferreiro, Paula Ferreira e outros.
O que se pretende registrar não é tanto o filme, mas o seu obscuro reflexo em um espelho. Um ensaio para ver uma outra maneira de um movimento vago e misterioso.
QUE FAREI EU COM ESTA ESPADA?
(Portugal, 1975, 65 min). Com Margarida Gil e outros.
A história se inicia durante as manifestações operárias contra a presença de Portugal na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Busca enfatizar, pelo contraste, como é possível lutar com uma espada contra a poderosa esquadra americana.
| Exibições seguidas. Dia 23, 15h

RECORDAÇÕES DA CASA AMARELA
(Portugal, 1989, 120 min). Com João César Monteiro, Manuela de Freitas, Ruy Furtado e outros.
Após tentar seduzir a filha da dona da pensão onde mora, moribundo é expulso e internado em um hospício de onde foge com a missão de dar trabalho à sociedade.
| Dia 23, 17h. Dia 26, 19h30

VEREDAS
(Portugal, 1978, 123 min). Com Margarida Gil, António Mendes, Carmen Duarte e outros.
Um homem e uma mulher vêm da região de Trás-os-Montes para o litoral e, durante a viagem, deparam-se com lendas, províncias e obstáculos diferentes.
| Dia 23, 19h30

O ÚLTIMO MERGULHO
(Portugal/França, 1992, 85 min). Com Fabienne Babe, Canto e Castro, Francesca Prandi e outros.
Jovem ameaça se jogar em um rio, e é impedido por um velho marinheiro que o convida para dar uma volta pela cidade. Em uma boate, o rapaz se apaixona por uma prostituta, perdendo o interesse em morrer.
| Dia 24, 15h

SILVESTRE
(Portugal, 1981, 118 min). Com Maria de Medeiros, Teresa Madruga, Luis Miguel Cintra e outros.
A fim de aumentar seus domínios, homem rico e sem herdeiro varão decide casar uma de suas filhas com seu vizinho nobre. Quando o pai viaja para levar o convite ao rei, a filha ajuda um peregrino que bate à sua porta, desobedecendo suas ordens.
| Dia 24, 17h. Dia 27, 15h

A BACIA DE JOHN WAYNE
(Portugal/França, 1997, 148 min). Com Hugues Quester, Pierre Clémenti, Joana Azevedo e outros.
Dois atores que representam os papéis de Deus e de Lúcifer na peça Inferno, do dramaturgo August Strindberg, acabam também competindo na vida real.
| Dia 24, 19h30

BRANCA DE NEVE
(Portugal, 2000, 75 min). Com Maria do Carmo, Ana Brandão, Reginaldo da Cruz e outros.
Filme baseado no poema Branca de Neve, no qual o escritor suíço Robert Walser retoma o conto de fadas do ponto em que os irmãos Grimm acabaram. Pelas mãos do poeta, os personagens se permitem tudo, até mesmo ridicularizar a história que protagonizam.
| Dia 25, 15h

AS BODAS DE DEUS
(Portugal/França, 1998, 150 min). Com José Airosa, Joana Azevedo, Manuela de Freitas e outros.
Enquanto conta o dinheiro que recebeu de presente, homem vê uma moça se afogando no lago e a socorre. Ele a leva para um convento e, ao retornar, encontra seu dinheiro intacto. Mais tarde, em outra ocasião, reencontrará a jovem que salvou.
| Dia 25, 17h

VAI E VEM
(Portugal/França, 2002, 179 min). Com João César Monteiro, Rita Pereira Marques, Manuela de Freitas e outros.
Finalizado pouco antes da morte do diretor, o filme mostra o cotidiano de um viúvo que vive sozinho e tem como único familiar o filho que está preso. Sua vida sofre uma reviravolta quando o rapaz sai da prisão e decide se regenerar.
| Dia 26, 15h

Serviço
Cine Olido. Centro São Paulo
De 22 a 27. +16 Anos. R$ 1,00
Av . São João,473

 

 

fevereiro de 2011

"Desconhecido", estreia de 25/03

 



Martin Harris é um botânico norte-americano vai para uma conferência em Berlim, e sofre um acidente de carro, e acorde em um hospital dias depois, sem qualquer identificação. Martin Harris, interpretado por Liam Neeson, fica preocupado, pois sua mulher está sozinha na cidade, e nem sequer fala uma palavra em alemão. Quando a reencontra no hotel onde estão hospedado, ela não o reconhece, e apresenta seu marido, Martin Harris, onde entra em cena Aidan Quinn. Se este é Martin Harris, afinal, quem é então o outro sujeito?


"Desconhecido" tem como tema essa questão. O Harris interpretado por Liam Neeson, fará de tudo para provar que o outro Harris, Aidan Quinn, é uma fraude. Entretanto, se ele é um cara tão comum, penas um botânico conceituado, por que alguém se passaria por ele? Essas respostas fazem de "Desconhecido" um suspense meio hitchcockiano, porém, falta a sutileza do mestre Alfred.
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:34  comentar


Achamos Mrs Browm, digo Betty Jane Rhodes: Cantora de rádio ela "Jungle Jim", e na sua primeira incursão ao cinema foi fisgada pelo milionário Willet H. Brown (1945 a 1993) e está com 90 anos muito rica e bem de saúde.



A atriz nasceu em 24 de abril de 1921 em Rockford, Illinois, estreiou aos 15 anos em Jim das Selvas. Cheia de voracidade física, ela foi eleita a dama do sorriso mais bonito de Hollywood. Também não perdia a chance de ajudar, participava sempre de eventos em prol de artistas desempregados de Hollywood.
Ela usava dois nomes, ora Jane Rhodes ora Betty Rhodes, caiu nas graças da Paramount's
onde filmou The Fleet's In (1942), Priorities on Parade (1942), Star Spangled Rhythm (1942; the "Swing Shift" number in particular), and Salute for Three (1943).
Como cantora assinou contrato com Decca Records and RCA Victor, finalmente, em 1946 lançou "Rumors Are Flying" produzido George Weiss and Benny Benjamin.
Retornou em 1948 ao disco , com "Button and Bows," de Bob Hope sucesso . A dama está vivíssima e multimilioária.
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:27  comentar

Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
17
18

20
22
25

27
28


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds