Revelando, imortalizando histórias e talentos
15.12.11

Innovare premia práticas de aprimoramento da Justiça e foca na replicação de resultados

 

 

 

Roberto Irineu Marinho, presidente das Organizações Globo; Gilson Dipp,

ministro do STJ, e Luiz Fux, ministro do STF, participam da entrega dos prêmios.

 

 

 

 

Instituto Innovare entregou na manhã desta quinta-feira (15), no Supremo Tribunal Federal (STF), os prêmios da oitava edição de seu concurso. O Prêmio Innovare busca reconhecer as práticas que mais contribuem para o aprimoramento da Justiça no país. Os temas centrais deste ano foram inclusão social e combate ao crime organizado.

 

A comissão julgadora analisou 371 inscrições de membros e órgãos do sistema de Justiça, em seis categorias. Os vencedores recebem R$ 50 mil cada, exceto na categoria “Tribunal”. A ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), participa do prêmio desde a primeira edição e integrou a comissão avaliadora de 2011.

 

 

“Participar foi de profunda emoção. Viver, trabalhar no Prêmio Innovare, é sofrer doses imensas de otimismo e esperança no Poder Judiciário a cada vez que ele se renova”, afirmou a ministra. “A lição que o Innovare passa ao STJ é que as inovações não devem ficar apenas no primeiro grau de jurisdição, mas atingir principalmente a nós, ministros, que por força do trabalho ficamos longe do cidadão. E ser juiz é estar sempre rente à vida e ao ser humano que está no processo”, completou.

 

O ministro Gilson Dipp também participou do Prêmio, na análise do prêmio especial, voltado para o combate ao crime organizado. “A criação do Innovare foi muito importante porque despertou vocações e ideias que não eram divulgadas nessa imensidão do mundo jurídico brasileiro. O prêmio mostra que se faz no Brasil uma nova Justiça, por meio de práticas muito bem delineadas e aplicadas, sem maiores custos ou grande estardalhaço”, destacou.

 

“É um incentivo para que o Judiciário brasileiro busque esses exemplos e seja eficaz, célere e transparente, além de responder aos anseios da população”, acrescentou o ministro.

 

Divulgação

 

O presidente do Conselho Superior do Instituto Innovare, Márcio Thomaz Bastos, destacou que a experiência do prêmio ao longo de seus oito anos permite apontar que o principal problema na Justiça brasileira não se deve à falta de normas e não se resolve com edição de “legislações de pânico”, elaboradas diante de ocasiões de repercussão social.

 

Segundo Bastos, o problema está na efetivação das instituições. Por isso, o prêmio precisa se reinventar e focar na divulgação e replicação das ideias identificadas, para que seus resultados não se encerrem na premiação.

 

O ministro do STJ Luis Felipe Salomão participa da Comissão Difusora de Práticas do Prêmio e reforçou o foco na divulgação das práticas. “Queremos, primeiro, difundir a informação: fazer chegar a toda comarca, todo juiz, todo defensor, todo promotor, a existência dessas ideias”, afirmou.

 

O Instituto atualmente desenvolve alguns produtos de comunicação com esse objetivo, como um catálogo de práticas e boletins informativos. No site do instituto (http://www.premioinnovare.com.br), por exemplo, estão disponíveis mais de 3 mil iniciativas.

 

“Além disso, desenvolvemos uma pesquisa, com a professora Maria Tereza Sadek, para conceituar essas práticas e identificar quais estão sendo efetivamente utilizadas, para que nossa comissão possa contribuir com a tarefa de, mais que premiar os autores, aplicar as práticas em outros locais”, acrescentou Salomão.

 

Crime organizado

 

O prêmio especial de combate ao crime organizado, oferecido em parceria com a International Bar Association (IBA), foi destinado ao Grupo Permanente de Atuação Proativa da Advocacia Geral da União (AGU). Voltado à recuperação de dinheiro público desviado por corrupção e atuando com metas de resultado, o grupo formado por mais de cem advogados da União recuperou apenas neste ano cerca de R$ 300 milhões, tendo bloqueado montante similar.

 

As ações envolvem, no total, quase R$ 3 bilhões. Apenas no caso do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, o grupo recuperou R$ 58 milhões e bloqueou mais de mil imóveis de envolvidos no prejuízo ao patrimônio público. O grupo partiu de um índice de recuperação de 1% e já alcançou 15% de sucesso. A meta é atingir 25% de recuperação das cobranças em 2016.

 

 

Para o advogado da União e diretor do Departamento de Patrimônio e Probidade da AGU, André Mendonça, responsável pelo grupo permanente, os resultados ainda são tímidos.

 

“Ainda não é o ideal, mas é o que estamos construindo diante das dificuldades de buscar bens em nomes de laranjas e terceiros. O prêmio nos dá mais responsabilidade diante do futuro. Temos que planejar estratégias de combate ao crime organizado em torno da corrupção, gerir informações e capacitar os advogados”, afirmou.

 

O prêmio recebeu destaque da especialista em direito penal internacional Luz Nagle, que atuou como juíza no tribunal do júri da cidade colombiana de Medelín nos anos 80. Segundo Nagle, a corrupção sistêmica da Justiça daquele país, naquele período, demonstra a fragilidade da democracia e do sistema jurídico. Para ela, ferramentas de promoção da transparência e eficácia do Judiciário são fundamentais para evitar que isso ocorra dentro de qualquer Estado. FONTE: STJ

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:16  comentar

O comunicador abraçarinho do rádio brasileiro, lança a primeira coletânea da "Caravana do Anael Lopes", no Pisero Shows & Bailes com presença do diretor-geral do Grupo Terra de Rádio.

Radialista Elias Romão (Terra FM e AM)

Célio Roberto/AgênciaFM

 

 

 

O show de lançamento aconteceu nesta quarta-feira,14, com apresentação de Anael Lopes. O comunicador abriu o evento com a dupla Wesley & Zé Palmeira, um contraste de gerações mostrando que a música não tem barreira. O evento teve a presença de todos os participantes do disco sendo alguns artistas experientes como Célio Roberto - cinco discos de ouro e mais de dez sucessos nacional -, o maestro e produtor musical D'Carlo & Erik, Pik Massaru - o japonês romântico.

 

 

D'Carlo & Erik, no palco/AgênciaFM

 

Paulo Nascimento, um dos grandes letristas, Divino Mário & Mariozinho cantando tudo o que sabem e mais um pouco. Március & Vinícius, Milton Batista com seu violão bem tocado, Luciana Soler, mostrou potencial vocal além de boa presença de palco e simpatia, Crhyz Araújo & Max Fabiano - afinadíssimos. Neste tom seguiu o show.

 

 

 

 

Quando foi chamado ao palco, todos voltaram-se para apreciar a elegância e presença de palco que o cantor adquiriu durante os quase 50 anos de carreira. Isso mostra que Anael Lopes acertou em cheio nesta coletânea que mescla música sertaneja raiz e romântica. Acertou ainda mais ao colocar Célio Roberto, o cigano, em grande estilo cantando como se estivesse no início de carreira, com muita empolgação e afinação.

 

 

 

 

Quarteto Caminhantes: Edu,Fábio Porte,Miranda e

Adolfo/AgênciaFM

Não poderia ser diferente, sua aparição para lançar a faixa "Fantasia de Amor" chamou atenção dos presentes e colegas que há muito tempo não o viam em ação. Em seguida, cantou um grande sucesso "Não são palavras lindas" cantada em coro pelos presentes.

 

Figura carismática, Célio Roberto brincou, contou histórias em pé de igualdade com todos os seus colegas nos bastidores - do mais conhecido ao estreante. Ele foi muito solicitado para fotografar, precisando de uma auxílio de seu assessor de comunicação, Francisco Martins.

 

Sandro Sabag, indo para o palco/Agênciafm

 

Por sua vez, o radialista "abraçarinho do rádio brasileiro", Anael Lopes, com produção de Paulinho Pirulito, esteve muito à vontade apresentando seus artistas. O evento contou ainda com as prestigiasas presenças do radialista e apresentador de TV Elias Romão, e do diretor-geral do pool de emissoras Terra, Samuel Gonçalves. (Cícero Silva ).

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 13:10  comentar

Dezembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

19
21

25
28
29


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds