Revelando, imortalizando histórias e talentos
5.2.12

 

O fascinante mundo do rádio ou da radiodifusão no Brasil, teve início no ano de 1922, no Rio de Janeiro.

 

 

 

Por ocasião das comemorações do centenário da independência, em colaboração com a companhia telefônica brasileira, a empresa norte-americana Westinghouse Internacional Company instalou uma estação transmissora de 550w no alto do concorvado – RJ, sendo no palácio do Catete e na prefeitura de Petrópolis. Portanto, “o invento milagroso” pôde transmitir a voz do Presidente Epitácio Pessoa, um eloqüente discurso e também a ópera O Guarani, do compositor Campinense Carlos Gomes, porém todo este breve histórico é para darmos início a história do rádio Paulistano, e, vamos começar com a rádio bandeirantes, não uma das mais antigas, porém uma rádio que vem desempenhando um bom papel na radiofonia brasileira.

 

 

PRH-9 – SOCIEDADE BANDEIRANTES DE RADIODIFUSÃO

 

Fundada em 1937, a Rádio Bandeirantes começou a funcionar em um acanhado estúdio que localizava-se a rua São Bento, no prédio da bolsa de mercadorias de São Paulo. Muitos pensam ser o falecido João Jorge Saad o fundador da emissora, hoje, localizada no privilegiado bairro do Morumbi. A Bandeirantes, em 1937 tinha a seguinte diretoria: José Pires de Oliveira – Diretor Presidente – Jorge Gomes Guimarães – Diretor Superintendente e Enéas Machado de Assis – Diretor de Broadcasting (artístico). Em 1940 começou a fazer parte da Rede de Emissoras Unidas, de Paulo Machado de Carvalho.

 

No ano de 1947, a emissora foi comprada pelo maior político paulista, Adhemar de Barros que pretendia presentear seu genro João Jorge Saad. Era início do período de vida democrática no país e Adhemar ( ficou famoso pelo slogan: roubo mas faço) se torna o primeiro governador eleito de São Paulo, apoiado pelo partido Comunista. Casado com a filha de Adhemar de Barros, João Jorge Saad, jovem e ativo comerciante, filho de imigrantes árabes passou a administrar a rádio Bandeirantes e lá, investe toda pequena fortuna que adquirira vendendo tecidos nas pequenas cidades do interior como representante das lojas que seu pai possuía na rua 25 de Março.

 

JOÃO JORGE SAAD

 

Polícia fazendo guarda particular para TV Bandeirantes, Campinas

 

 

A primeira tarefa do genro do governador foi investir na qualidade dotada de moderna aparelhagem técnica e transmissor comprado nos Estados Unidos, a rádio Bandeirantes, começou a disputar a audiência de rádio com a Tupi, Record e Difusora. Foi aí que Adhemar de Barros percebeu estar totalmente endividado. Vendo que não podia pagar tanto dinheiro ao genro, resolveu fazer um acordo: “Eu não vou pagar tudo isso que você colocou na estação. Eu te dou a rádio, mas toda eleição que tiver, você tem obrigação de me apoiar, você sabe que eu sou político”. João Jorge Saad encerra de vez suas atividades no comércio e, aos poucos, vai comprando pequenas estações de rádios de São José dos Campos, e por motivos sentimentais comprou uma rádio em Pouso Alegre/MG – “foi lá que comecei minha vida de vendedor-viajante”. Lavras/MG, Ouro Fino/MG, Campo Grande/MS e Campinas/SP, deram início a rádio que um dia foi modelo de rádio-jornalismo e hoje impera uma programação apelativa com José Luiz Datena como anfitrião de qualidade da emissora.

 

 

 

Em 1950, Getúlio Vargas retorna ao poder elegendo-se Presidente da República numa partidária formada principalmente, pelo Partido Trabalhista Brasileiro – PTB pelo Partido Social Progressista – SP – fundado pelo sogro de Saad, Adhemar de Barros. Graças aos trabalhos de propaganda política executados pela rádio Bandeirantes durante a campanha eleitoral e ao prestígio político de seu sogro.

Adhemar de Barros, sogro de Saad

 

Saad, quando garoto foi ensinado a detestar Getúlio Vargas. Após adquirir a emissora foi obrigado a gostar de Getúlio Vargas. Por contatos feitos pelo poderoso sogro, um certo dia Getúlio convidou João Saad para uma conversa. Saad foi e logo ao chegar disse: Eu quero uma rádio de ondas curtas, quero cobrir todo Brasil. Também quero uma emissora de televisão. Getúlio ficou de pensar. Em algumas semanas vieram as ondas curtas e depois a televisão. Em palavras do próprio João Saad “E, eu fiz uma rede, e de fato, toda vez que havia uma campanha eleitoral, eu ajudava meu sogro a se eleger”. Esse foi um depoimento de João Jorge Saad a Associação Paulista dos Pioneiros da Televisão – PPITE – em 18 de Maio de 1998. (Francisco Martins)

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:43  comentar

 

Eficiência de indústrias do Seridó nordestino passa por avaliação

Técnicos analisam eficiência no uso de combustível. Projeto do INT fez parte de uma pesquisa Suíça
 
CAMPINA GRANDE, PB, BRASIL - Um total de 90 das 120 indústrias cerâmicas da região do Seridó - entre o Rio Grande do Norte e a Paraíba - foram avaliadas pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTI), por meio do projeto Eficiência Energética em Cerâmicas de Pequeno Porte na América Latina para Mitigar a Mudança Climática (Eela).
Promovido Agência Suíça de Cooperação e Desenvolvimento (Cosude) e pela organização não-governamental Swisscontact, o trabalho é desenvolvido paralelamente em outros seis países: Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, México e Peru.
O objetivo é incentivar medidas para otimizar o uso da energia nessas empresas, bem como reduzir as emissões de carbono e diminuir o impacto ambiental da atividade, desenvolvendo um modelo para ser replicado por outros núcleos produtores de cerâmica da América Latina. No Brasil, coordenada pelo INT, a iniciativa tem parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional), o Sebrae/RN, o Sebrae/PB, o Centro de Produção Industrial Sustentável (Cepis), o Serviço Florestal Brasileiro (SFB/MMA) e a Associação Nacional da Indústria Cerâmica (Anicer).
Na região do Seridó, foram feitos estudos comparativos entre os dois tipos de fornos tradicionalmente usados. O trabalho também avaliou formas de arranjar as peças cerâmicas para elevar a qualidade. E outra vertente apontou as soluções de emprego de ar de combustão forçado e de recuperação de calor, medidas que promovem uma economia de energia. “Os fornos caipiras são abertos e dispersam enorme quantidade de calor e gases poluentes, enquanto a opção em forma de abóboda aproveita melhor essa energia, inclusive a reutilizando para a secagem das cerâmicas”, explica o chefe da área de Energia do INT, Mauricio Henriques.
Ambiente - Além de buscar conter as emissões atmosféricas, o trabalho indicou mecanismos para racionalizar o uso e a extração de argila a modelos para ampliar a oferta de biomassa renovável, evitando o desmatamento e a degradação do solo.
A iniciativa disseminou, entre produtores locais, um modelo para ampliar o comércio de créditos de carbono decorrentes das medidas de otimização do uso da energia e dos recursos naturais. O trabalho envolveu ainda o levantamento de indicadores sociais, observando as relações de trabalho e indicando a correção das distorções encontradas.
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:42  comentar

Xingu Sustentável entrega R$ 800 mil em bens para ONGs e prefeituras

 

Quinze veículos serão entregues. Equipamentos serão utilizados para apoiar ações de inclusão social, regularização fundiária e gestão ambiental/Foto: Norte Energia SA Veículos e equipamentos são contrapartida da construtora de Belo Monte

 

Indio na cidade de São Paulo/AgênciaFM

Os primeiros R$ 800 mil em equipamentos e materiais dos projetos aprovados com recursos do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-Xingu) serão entregues nesta sexta-feira (3), em Altamira (PA). No total, a empresa Norte Energia terá que investir R$ 500 milhões no PDRS- Xingu para mitigar os efeitos da construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em virtude de dispositivo estabelecido no edital do leilão.

 

Instituições de comunidades tradicionais e populações indígenas e prefeituras da região do entorno receberão os 15 veículos, um barco, 15 motores, computadores, impressoras, GPS e câmeras fotográficas. Os equipamentos serão utilizados para apoiar ações de inclusão social, fomento a atividades produtivas, regularização fundiária e gestão ambiental.

 

O Xingu Sustentável é um planejamento de 20 anos, feito com a comunidade local, para potencializar as oportunidades de desenvolvimento econômico e social na região do Xingu, como forma de reduzir impactos da usina. Na V Reunião do Comitê Gestor, realizada em setembro de 2011, foram aprovados 30 projetos propostos por entidades da sociedade civil, governo do Pará e prefeituras municipais, alcançando investimentos de R$ 16,8 milhões em ações para beneficiar populações indígenas e comunidades tradicionais e ainda voltadas para a inclusão social, fomento a atividades produtivas, regularização fundiária e gestão ambiental.

 

A entrega será feita durante a primeira reunião de 2012 do Comitê Gestor do PDRS-Xingu, composto por representantes dos governos federal, estadual e municipais, movimentos sociais, organizações ambientalistas, entidades sindicais de trabalhadores urbanos, rurais e dos pescadores, entidades patronais e comunidades indígenas. Os equipamentos serão usados em dez projetos aprovados em menos de oito meses de trabalho do colegiado.

 

Casa de Governo - Entre as ações que o governo federal promove na região está a instalação da Casa de Governo, uma representação local do governo federal para coordenar as ações federais na região. Este espaço terá a atribuição de articular os diversos órgãos governamentais com a sociedade civil, monitorar as ações do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável e das condicionantes ambientais, além de dar apoio ao Comitê Gestor. A Norte Energia investirá, como estabelecido no edital do leilão de Belo Monte, R$ 3,7 bilhões em ações socioambientais na região do Xingu.

 

Máquinas serão usadas em inclusão produtiva

 

O Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do município (STTR Brasil Novo), por exemplo, receberá uma caminhonete 4×4, um caminhão e uma motocicleta para atender ao projeto de fortalecimento da agricultura familiar. A prefeitura da cidade vai receber duas motocicletas e duas caminhonetes 4×4 para o projeto de construção e aparelhamento de diversos equipamentos de proteção social.

 

A Fundação Comunitária Antena Livre, de Uruará, instituição voltada para inclusão social por meio de rádio comunitária e vídeos, terá um automóvel. E a escola de futebol Craque Nota 10, também em Uruará, receberá uma motocicleta.

 

A prefeitura de Anapu receberá uma caminhonete e duas motocicletas para projeto de produção de mudas para preservação de áreas alteradas. A Fundação Viver Produzir e Preservar (FVPP) receberá uma caminhonete 4×4 e duas motocicletas para viabilizar ações prioritárias apresentadas em projeto da para o desenvolvimento do território da Transamazônica e Xingu.

 

Os Kayapós e Paranás terão um barco equipado com motor para o fortalecimento da cadeia produtiva da castanha do Pará. Até o final de fevereiro, serão entregues mais três barcos. E o Movimento de Mulheres de Altamira receberá 15 motores do tipo rabeta, usado em barcos, para fortalecimento organizacional e geração de renda.

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:42  comentar

Fevereiro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13
14
17

19
23
24
25

26
28


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds