Revelando, imortalizando histórias e talentos
16.3.12

Ano de Portugal no Brasil: Editora Peirópolis abre programação com jornada de literatura dia 27/03

 

 

 

 

 

 

O mês de setembro de 2012 marcará a abertura oficial do “Ano de Portugal no Brasil”, terceiro projeto de divulgação de culturas estrangeiras e sua presença no país, depois do Ano da Itália (2011) e da França (2010). Com uma linha editorial dedicada à literatura portuguesa que já conta 15 títulos, devendo chegar a 29 títulos até meados de 2013, a Editora Peirópolis se adianta às comemorações oficiais com a realização da Jornada Luso-Brasileira de Literatura no dia 27 de março, na Casa das Rosas, evento que se destina a apresentar aos professores publicações preparadas para embasar o trabalho sobre o tema da lusofonia em sala de aula. O evento conta com o apoio da Direcção Geral do Livro e da Biblioteca e do Instituto Avisalá.


 

 

Catálogo de literatura portuguesa

 

 

Nos últimos dez anos, em grande parte com contribuições da Direção Geral do Livro e da Biblioteca, órgão do Ministério da Cultura de Portugal, a Peirópolis desenvolveu um catálogo capaz de oferecer uma visão consistente da língua portuguesa e suas expressões ao longo dos séculos: do galego-português e das cantigas de amor e de amigo, recentemente inspiradoras do trabalho de José Miguel Wisnik para o Grupo Corpo e da cantora Adriana Calcanhoto, até autores contemporâneos, como José Jorge Letria e Agustina Bessa-Luís (Prêmio Camões), o catálogo fornece um panorama amplo da literatura feita no país.

 

 

Neste Ano de Portugal no Brasil, a editora sedimenta essa produção num catálogo específico para ela. Assim, durante o evento será lançada a primeira edição do Catálogo de Literatura Portuguesa, um trabalho da atual coordenadora dessa linha editorial, a especialista em literaturas lusófonas Susana Ventura. Ela destaca, em sua apresentação, que essa linha editorial foi construída ao longo dos anos com o apoio e curadoria de diferentes especialistas e escritores, como Bartolomeu Campos de Queirós, Nelly Novaes Coelho e Denyse Cantuária, e premiado sucessivas vezes pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) na categoria Literatura Portuguesa.

 

 

Susana Ventura também se responsabiliza pela curadoria da jornada luso-brasileira, que contará com a participação dos escritores José Santos e Selma Maria, que estiveram recentemente em viagem de intercâmbio em Portugal; do professor de literatura e consultor da linha editorial Clássicos em HQ, Maurício Soares Filho, e do quadrinista Laudo Ferreira, que transpôs Gil Vicente para os quadrinhos, num trabalho que contou com a consultoria de Maurício.

 

Ao final do dia, além do lançamento do catálogo, será lançado também o livro Convite à navegação – uma conversa sobre literatura portuguesa, também de autoria de Susana Ventura. O lançamento contará com a presença da Profª. Drª. Beatriz Weigert, das universidades de Évora e de Lisboa. FONTE: www.editorapeiropolis.com.br

 

Como participar

http://www.editorapeiropolis.com.br/2012/03/08/jornada-luso-brasileira-de-literatura-2012/

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 23:25  comentar

 

quinta-feira, 15 de março de 2012

A SEGUNDA VIDA DAS MULHERES

UM LIVRO SOBRE COMO AS MULHERES PODEM E DEVEM ENCARAR A VIDA DEPOIS DOS 50 ANOS
 
 
 
Ao contrário do que prega a mídia, sua autora, que é jornalista, não é adepta das cirurgias plásticas e propõe a libertação das mulheres no que diz respeito a explorar, na maturidade, novas possibilidades com bom humor e dignidade.
Lançado em março, na França, La Deuxième Vie Dês Femmes – A SEGUNDA VIDA DAS MULHERES, livro de Christiane Collange, chega ao Brasil pela Sá Editora.
Christiane Collange com edição brasileira
Enfrentando a vida com alegria, bom humor e despojamento, sua autora chegou aos 75 anos sem ter realizado nenhuma plástica. Em seu currículo estão três ex-maridos, quatro filhos e 15 netos, a publicação de 14 livros e a chefia de redação da revista L`Express. Escrito a partir de entrevistas que Collange fez com 100 mulheres da classe média francesa, a autora extraiu delas o que desejam e fazem depois da época em que os filhos deixam as casas e elas se tornam avós, por exemplo.
A SEGUNDA VIDA DAS MULHERES já vendeu 100.000 exemplares desde o seu lançamento na Europa. Sua pesquisa informal, sem estatísticas, revelou que as mulheres são muito ativas, corajosas (uma enfrentou o marido e se separou porque ele não queria aceitar o filho homossexual), alegres (algumas dançam com as amigas à noite enquanto os maridos ficam em casa) e que a maioria não se sente deprimida com a passagem do tempo.
Em visita ao Brasil, em 2001, a autora diz ter estranhado a ausência de mulheres maduras nas ruas, como se estivessem escondidas. Diz, ainda, que os franceses comentam o excesso de plásticas a que se submetem as jovens brasileiras, numa tentativa de reformar o corpo inteiro.
A obra propõe questionamentos como “Qual é a tragédia em ter menos juventude aos 50 anos?” e mostra como é possível, para as mulheres após os 50 anos, viver em harmonia e de forma menos egoísta já que estão livres das pressões do mercado de trabalho e da família.
Link direto:
 
 
 
 
 
A SEGUNDA VIDA DAS MULHERES
Christiane Collange
208 páginas
ISBN: 8588193256
De R$ 37,00 por R$ 33,
 
 
 
Fone/Fax: (11) 5051-9085
Fone: (11) 5052-9112

 

O Atentado, lançamento Sá Editora

A HISTÓRIA DE UMA MULHER-BOMBA EM ISRAEL SE CONFUNDE COM A REALIDADE
Amin, cirurgião israelense de origem palestina, sempre se recusou a tomar partido nos conflitos que opõem seu povo de origem a seu povo de adoção e dedicou-se integralmente a seu trabalho e à esposa, que ama apaixonadamente. Até que um dia um kamikase se faz explodir dentro de um restaurante em Tel-Aviv e Amin é obrigado a reconhecer o corpo mutilado da bela Sihem, sua mulher, acusada de ser a mulher-bomba, a protagonista daquele cruel atentado suicida.
Uma cena comum nesta guerra, mas que revira o destino de Amin.Sentindo-se duplamente traído, ele começará uma investigação que o conduzirá ao coração do inferno e o colocará frente a uma situação que ele se recusava a enfrentar após tantos anos de vida na neutralidade. Yasmina Khadra consegue a grandeza de colocar em cena o trágico destino de judeus e palestinos em um texto empolgante, que prende o leitor da primeira à última página. Lançado na França, em setembro do ano passado, O ATENTADO foi indicado para o prêmio Goncourt e já recebeu o prêmio Découverte Figaro Magazine-Fouquet’s.
“A trajetória de uma mulher palestina em direção ao terrorismo, uma descida aos infernos de uma cruel atualidade, O atentado, de Yasmina Khadra é, sem dúvida, um dos mais belos romances do ano e um dos mais impressionantes.” Cortesia: http://www.saeditora.com.br/
Para comprar este e outros livrois
Críticas
Edmonde Charles-Roux da Academia Goncourt.
“Uma viagem iniciática ao coração do terrorismo que põe por terra todas as certezas. Entender e sensibilizar foram sempre as palavras-chaves deste escritor que nunca havia cumprido tão bem a missão para a qual foi designado.”
Alexandra Lemasson – Le Magazine Littéraire
Os romances de Yasmina Khadra (pseudônimo de Mohamed Moulessehoul), escritor argelino foram traduzidos em 14 países: Estados Unidos, Inglaterra, Espanha, Holanda, Alemanha, Suíça, Itália, entre outros. É considerado por J.M. Coetzee, Prêmio Nobel de Literatura 2003, como um dos maiores escritores da atualidade.
Autor
Yasmina Khadra (pseudônimo de Mohamed Moulessehoul)
O escritor argelino de língua francesa Yasmina Khadra, na verdade Mohammed Moulesseboul, nasceu em Kenadsa, no Saara argelino, em 1955. Foi ao mesmo tempo oficial do exército e escritor, quando adotou o pseudônimo feminino – aliás o nome de sua mulher – depois de conflitos gerados pela publicação de livros nos quais discutia a estrutura de poder e a corrupção em seu país.
Hoje, autor de mais de uma dezena de obras, consagrado pela crítica e pelo público, traduzido em mais de vinte e dois idiomas, Khadra vive na França e escreve originalmente em francês.

 
As andorinhas de Cabul (2002) é o primeiro volume de uma trilogia dedicada a contribuir para uma melhor compreensão entre Oriente e Ocidente. Em seguida, vem O atentado (Sá Editora, 2006), obra que o apresentou ao leitor brasileiro. O projeto será fechado ainda este ano com a publicação de As sirenes de Bagdá.
Site oficial:
 
 
 
O Atentado
Yasmina Khadra
254 páginas
Tradução: Ana Montoia
Capa: Moema Cavalcanti
Formato: 14 x 21cm
ISBN: 8588193272
R$ 33,00
 2012
 
 
 

Todos os nomes da cachaça, Sá Editora

As marcas: produzida no Brasil ao menos desde a primeira metade do século XV, a cachaça era identificada pelo local onde era produzida, como Cachaça da Bahia, Aguardente de Paraty e Caninha do Ó.
Outra maneira de identificá-la era designando-a pelo nome da usina de açúcar, engenhoca de rapadura ou alambique que a produzia. Uma terceira, era quando o nome, ou marca, derivava do nome do seu produtor.
No século XIX a bebida começou a ser comercializada não apenas em barris de madeira, como também em garrafas de vidro. Foi então que alguns produtores tiveram a iniciativa de colar rótulos nos recipientes, identificando o nome e a origem da bebida.
A partir do final da década de 1930, com a obrigatoriedade de sua comercialização em recipientes de até um litro e com o devido rótulo, os nomes das cachaças se multiplicaram, demonstrando a criatividade do brasileiro, bem como o carinho e a estima dedicados a essa “parceira” nos bons e maus momentos.
Os sinônimos: Ao longo do tempo, a cachaça recebeu sinônimos que já ultrapassam a casa dos 2.000, sendo, com certeza, a palavra com mais sinônimos da língua portuguesa e, provavelmente, de qualquer outra língua. Não por acaso alguns dos seus sinônimos caracterizam esta condição, como Senhora dos Mil Nomes e Rainha dos Sinônimos. Cortesia: http://www.saeditora.com.br/
Messias Cavalcante
Sobre o  autor
Messias S. Cavalcante, Ph.D. em Biologia, nasceu em Andradina/SP, ex-pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT). Reside atualmente no Sul de Minas Gerais, à beira do Lago de Furnas. É detentor do Guinness Record para a maior coleção de garrafas de cachaças do mundo.
Todos os nomes da cachaça


Messias Cavalcante
Nº de págs./Preço: 392 págs./R$ 49,00
Formato: 13,5×23 cm
ISBN: 9788588193-895

http://www.saeditora.com.br/catalogo/relatos/todos-os-nomes-da-cachaca-2/
 
 
 
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:01  comentar

Espírito, Mito e Realidade de Patrick Bellegarde-Smith e Claudine Michel

 

 

 

“Testemunho aprofundado de quem vive o vodou, este livro é um divisor de águas: depois dele, nossa compreensão será outra. Os autores abrem a porta para o verdadeiro diálogo entre nossas matrizes religiosas de origem africana. Axé Haiti!”

 

Abdias Nascimento

 

“Vodou do Haiti proporcionará ao leitor brasileiro uma perspectiva de qualidade da vida cultural e social na primeira república negra do mundo — a segunda nação independente de nosso continente — com destaque para a sua forma religiosa frequentemente mistificada e caluniada. Este livro preenche uma lacuna significativa nos estudos da diáspora africana nas Américas.”

 

Robson Cruz

 

“O presente livro traz o testemunho atual de intelectuais e artistas que são fiéis do vodou. Eles juntam e dão continuidade a essas duas tradições haitianas: a produção intelectual e a afirmação histórica e política da matriz religiosa africana. A publicação deste volume no Brasil abre novas perspectivas de diálogo entre essas religiões de matriz africana que viveram diversas histórias, muito semelhantes em vários aspectos.”

Elisa Larkin Nascimento. (Cortesia: http://www.pallaseditora.com.br/ ).

 

Código: 2360

 

Edição: 1

Páginas: 240

ISBN: 978-85-347-0442-7

Idioma: Português

Formato: 16,0x23,0cm

R$ 55,00

 

 

 

 • 55 21 2270-0186

 

 

 

 

 

A floresta sagrada de Ossaim - Lançamento PallasEditora

A floresta sagrada de Ossaim o segredo das folhas de José Flávio Pessoa de Barros
A FLORESTA SAGRADA DE OSSAIM é o produto final de uma reflexão sobre o uso de vegetais nas casas de candomblé, que começou no início dos anos 1980, com a finalidade principal de atender às exigências do programa de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo.
Os resultados da primeira pesquisa, realizada na Bahia entre 1981 e 1982, foram publicados no livro O segredo das folhas - sistema de classificação de vegetais no candomblé jeje-nagô do Brasil, pela Pallas Editora (1993), em coedição com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
O material da segunda pesquisa, realizada no Estado do Rio de Janeiro, entre 1997 e 1998, foi parcialmente publicado, em coautoria com Eduardo Napoleão, pela editora Bertrand Crasil (1999), sob o título Ewé Òrìsà - uso litúrgico e terapêutico dos vegetais nas casas de candomblé jeje-nagô.
A floresta sagrada de Ossaim procura ampliar a reflexão produzida nestas duas publicações, além de sintetizar as informações discutidas em vários artigos publicados pelo autor, no Brasil e em revistas especializadas internacionais.
A inclusão de fotografias das espécies vegetais, além de facilitar o reconhecimento das espécies, contribui para uma valorização estética de uma discussão tão árdua, e que pretende ser minuciosa. É, portanto, antes de tudo, uma homenagem ao leitor.
 
Código: 2359
Edição: 1
Páginas: 232
ISBN: 978-85-347-0457-1
Idioma: Português
Formato: 16,0x23,0cm
R$ 38,00

 

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:00  comentar

Março 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11

18

28
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds