Revelando, imortalizando histórias e talentos
29.8.12

Parodiando Dom Fausto Visconde "Quem dizeria" que um garotinho com um semblante tristonho e firme viria a se tornar um dos maiores profissionais da fotografia brasileira, ainda mais iniciando no jet set tupiniquim. Este é Maurício Cardim.

 

Cardim criança\ acervo do fotógrafo

 

 

 

 

Nascido no berço de família bem estruturada em Ipiaú, Bahia, ainda adolescente começou a trocar cartas com o jornalista e pesquisador musical Dino Nery, residente na capital paulistana. Através das cartas de Nery ele era mantido informado do que se passava entre as principais cantoras românticas do Brasil e a turma da Jovem Guarda. Atraído por este glamur, Maurício Cardim resolve migrar no início da década de 70 para São Paulo. Perto de tudo, principalmente dos famosos, ele vê uma grande oportunidade de conviver com aquelas figuras quase mágicas que até então conhecia somente por fotografias e descrição através das cartas do presidente do fã clube de Núbia Lafayette.

 

 

 

Porém, morar na cidade grande tem seu preço e ele teve de  trabalhar muito. Trabalhar para este bom baiano não é nenhum problema pois não foge às responsabilidades, características acentuadas desde sua infância. Trabalhou como metalurgico, vendedor e bancário e por onde passava ia registrando colegas de trabalho. Seu hobby lhe rendia muitos elogios mas não receita monetária. Como amador não se preocupava com este lado. Mas, as coisas tomaram outro rumo, melhor, o rumo que ele havia imaginado lá na sua pequena Ipiaú: fotografar famosos.

 

 

O profissional e o cidadão

 

 

Como fotógrafo iniciou nos bastidores da televisão no início de 80 tendo passado por quase todos os programas exemplo Clube do Bolinha chegando até Serginho Groismann, no SBT. Começava ai uma carreira cheia de êxito não somente no jet set mas também na arquitetura paulistana. Capas de LP's, calendários, campanhas publicitárias, fotos para jornais e revistas de vários estados. Pouco a pouco ele ia vendo seus ídolos surgindo em sua frente entre os quais Joelmah, Caetano Veloso, Erasmo e Roberto Carlos, Jerry Adriani, Martinha, Ângela Maria, Cauby Peixoto, Raimundo José, Leno &  Lílian, Deny & Dino, Inezita Barroso, Hebe Camargo, Sérgio Reis, Núbia Lafayette em resumo, uma constelação de intérpretes e compositores populares do país e alguns internacionais por exemplo Kenny G.

 

Com seu olhar observador e ângulos perfeitos, viu na arquitetura paulistana mais um nicho não somente para seu trabalho, mas também atrair o olhar dos paulistanos à sua cidade. Nos anos 80 a fotografia não passava de mera recordação. Não tinha valor. Mas onde põe seu talento sempre entra para contribuir seja profissional seja como amigo. Cardim deu início a uma das mais brilhantes carreiras fotográficas do país, sendo comparado ao maior ícone da fotografia paulistana, Militão de Azevedo. Isso dito por quem conhece tem um peso, uma diretora do Memorial do Imigrante de São Paulo onde expôs seu trabalho assim classificou seu estilo.

 

 

Foto: a prima pobre da pintura

 

 

A partir daí Maurício Cardim abriria espaço para muitos profissionais que até então não sabiam que a foto poderia ser nobre e não relegada a prima pobre da pintura. Deu início a uma verdadeira cruzada de valorização da fotografia ao se expor e expor seu trabalho em quase todos os espaços paulistanos como Sesc, bibliotecas públicas, Conjunto Cultutal da Caixa e Centre Culturel Alfred Dellaire - Montreal - Canadá. Como Maurício Cardim ainda não tinha nascido em 1942, nesta data houve uma exposição comemorativa à Revolução Constitucionalista de 32 com pássaros em geral, canários do reino, legumes e sacos de café. Portanto, Cardim abriu um leque não somente aos seus colegas mas também aos produtores culturais que, através de suas inúmeras exposições percebram que a fotografia tem um público cativo.

 

 

Então, casarões, pontos turísticos, praias, cenas urbanas clicadas por ele deixaram de representar somente a cara da capital paulistana (onde tudo começou e morou por 33 anos) para agregar outros estados da federeção exemplo Brasília, Curitiba, Santa Catarina, Belém do Pará, Bahia, Rio de Janeiro, Santos -SP, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (cidade Três Lagoas), Minas Gerais, que não somente fotografou todas as cidades históricas, como a exemplo de grande parte do país, as transformou também em cartão postal por uma das maiores gráficas especializada de São Paulo. São mais de mil imagens transformadas em postais pelas lentes deste Cèzanne da fotografia, que obtem visitação impar em suas mostras fotográficas.

 

 

"Um Olhar Sobre o Brasil"

 

 

Atualmente residindo na cidade de Sete Lagoas, Minas Gerais, é de lá onde mira suas conceituadas lentes aos municípios mineiros, tendo fotografado aproximadamente 200. O local é um ponto quase estratégico para Maurício Cardim continuar desenvolvendo sua cruzada fotográfica "Um Olhar Sobre o Brasil", assim clicar todos os estados do país e seus respectivos pontos turísticos.

 

Maurício Cardim, Francisco Martins, poeta e fotógrafo

Alan Wehner. Foto: Ramon Rodrigues

 

O trabalho ousado só poderia partir de uma pessoa com muita consistencia e responsabilidade tanto profissional quanto pessoal aliada ao amor pela profissão. Isso Cardim tem de sobra. A prova é que, desde que chegou à Minas Gerais, 2006, realizou várias mostras no Centro Cultural Maria Magdalena Padrão, Museu Ferroviário - Sete Lagoas, Espaço Cultural Rodoviária de Belo Horizonte além de mostras e cartões postais de Três Lagoas, MS, todas inseridas no seu projeto "Um Olhar Sobre o Brasil", uma das maiores vitrines aos estados brasileiros pois ressaltam as áreas turística ecultural de cada estado.

 

 

 

Falar sobre o cidadão Maurício Cardim é algo bem fácil e poderia resumir apenas em duas palavras: honestidade e fidelidade. Durante sua trajetória vem sendo reconhecido por alguns organismos públicos. Em 2004 recebeu da Câmara Municipal de São Paulo o diploma de Honra ao Mérito por sua contribuição cultural ao município. Outros estados também lhe conferiram honrarias exemplo a cidade de Três Lagoas, MS, e a própria cidade onde mora, Sete Lagoas. No momento Cardim está lançando uma série de seis cartões-postais da “Cidade dos Lagos Encantados”, postais de Lagoa Paulino, Museu do Ferroviário, Capela de Santa Helena, O Casarão e Museu Histórico Municipal e terá distribuição gratuita.  Sua proposta é a produção de novos cartões-postais. Cardim depende de patrocinadores.(Francisco Martins).

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:55  comentar


 

Bandas consideradas de ponta nos gêneros Heavy e Thrash Metal bem que poderiam dar uma ouvida com carinho neste CD da No Race, e perceber que música pesada, necessariamente, não precisa ser ininteligível.
Cantando no idioma inglês, a banda paulistana de Thrash Metal formada em 1999, não poderia ter uma estreia melhor. Tears of Nature (lágrimas da natureza) lançado em 2008, não faz concessão aos ouvidos em nenhuma das oito faixas. Da primeira a última parece mais um hecatombe nos tímpanos. É ai onde a banda começa a mostrar diferenças e suas peculiaridades destacando-se entre as que ai estão. Fazer barulho qualquer um faz. Ter a exata noção do barulho que é preciso fazer, é outra coisa. Então, a turma da No Race cai fora do barulho pelo barulho, e pinta ai a primeira diferença os vocais de Márcio Neahaus: inteligíveis, muito boa dicção e pronúncia onde se entende tudo o que fala, mostrando que nem só de onomatopéia vive o Thrash Metal.
 
Uma guitarra fumegante: peso e agilidade, principalmente bem tocada. Provavelmente seja uma inspiração das bandas de Heavy Metal dos anos 80, revisitado para as boas influências do gênero na atualidade, onde Heber Márcio, o guitarrista, demonstra segurança e domínio do instrumento.
 
Não importa o estilo musical, mas uma banda ou power trio ( power trio formação tradicional de banda rock) sem uma 'cozinha' bem montada corre sério risco de não prosseguir, pois é de lá que vem a pulsação, o fio condutor que distribui o ritmo aos demais integrantes. As baquetas nervosas de Marcelo S.O.S. só não quebra o martelo (ossinho do ouvido) porque é bem executada.
 
"Tears of Nature" traz participaçoes especiais em “Changed by the Force” tem as participações de Eric Picceli - ex Tiger Cult - e Vitor Rodrigues do Torture Squad, e Nelson Jr, no solo da faixa 4, 'Worthiness'. Você pode acessar o Myspace oficial da banda: www.myspace.com/noraceband  , e curtir as músicas além do vídeo da apresentação deles em Kool Metal Fest.(Formas&Meios Comunicação).
Faixas

(1. Tears Of Nature - 2. Spiritual World - 3. Changed By The Force - 4. Worthiness - 5. Hate And Fear - 6. Army Of Innocence - 7. Dark Side Of The Truth - 8. Dark Truth).
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 00:54  comentar

Agosto 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
17

20
22

27


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds