Revelando, imortalizando histórias e talentos
10.10.12

Livro e exposição: "era de ouro" de Hollywood.



Um livro e uma exposição em Londres mostram fotos nunca vistas antes de grandes estrelas da chamada "era de ouro" de Hollywood.
Com fotos que mostram o que seria a "vida comum" de nomes como Rita Hayworth, Marilyn Monroe, Gary Cooper e Humphrey Bogart, a exposição conta com um acervo privilegiado.
O livro Hollywood Unseen, e exposição com mesmo nome, mostram uma mistura de imagens: algumas são posadas, com os atores junto com animais, por exemplo.

Outras parecem ser mais íntimas, como fotos de férias ou do cotidiano. Mas, o ponto em comum é que as imagens parecem mostrar como Hollywood tentou mostrar os famosos de uma forma positiva, como os agentes das estrelas tentavam, algumas vezes sem sucesso, criar a imagem certa para convencer o público da vida "normal" dos atores e atrizes.
A maioria das imagens são em preto e branco, feitas nos anos 40 e 50, e passam um pouco da nostalgia da "era dourada" do cinema americano. (FraM \ www.bbc.co.uk ).
 
-----------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
UM DIA NA VIDA DO MUNDO

 

Curiosa exposição em 22 países mostra um dia na vida do mundo "A fotografia de hoje inspira o amanhã", diz organizador.

 

 

Imagem de Londres (by Rob McGlynn)

 

ESTOCOLMO, SUÉCIA - Teve início nesta segunda-feira,8,  uma cusiosa exposição digital com 45 fotos em mais de 85 mil telas em 22 países. A exposaição busca resumir um dia da experiência humana no planeta. Os organizadores da mostra disseram ser a maior exposição global de fotografia já realizada.

 

 

As fotografias escolhidas são muito pequenas, uma parcela das 100 mil fotos clicadas em maio passado e submetidas por profissionais da fotografia de 165 países.  A previsão dos organizadores e de que 46 milhões de pessoas passarão diante das 85.733 telas digitais em locais como a Times Square, em Nova York. Os curadores do evento são Brigitte Lardinoi, Val Williams e Marcus Erixson. A ideia do projeto é mostrar o cotidiano e capturar um dia na vida do mundo hoje, e enviar isso para o futuro. A exposição estará em Kulturhuset no dia 9 de novembro e no dia 10 Världskulturmuseet. Em 2013, Dunkers Kulturhus, também na Suécia.

 

English

 

On May 15 2012, Aday.org asked people around the world to pick up their cameras to photograph daily life. Bringing together thousands of both amateur and professional photographers, the project mirrors how we lead our everyday lives in 2012. The resulting collection is a unique document of what really lies close to us and how photography connects us.

 

The entire collection of 100 000 images from more than 165 countries can be viewed here on the Aday.org site, open for everyone to explore. All photos have also been donated to research faculties to be saved for future generations.

 

Exhibition tour

 

In November an exhibition tour will be launched at Kulturhuset in Stockholm and Museum of World Culture in Gothenburg, Sweden. The exhibition will then travel the world and more cities and dates will be added during 2012.

 

2012 - 9 November – Kulturhuset, Stockholm, Sweden

10 November - Världskulturmuseet, Gothenburg, Sweden

 

2013: April – Dunkers Kulturhus, Helsingborg, Sweden

 

More information:

www.ADAY.org

marcus@eohfoundation.org

 

Phone: 0044 20 7221 1540 / 0044 7930 408 224

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 01:10  comentar

Inauguração exposição Alan Turing – Legados para a Computação e para a Humanidade, pelo Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em homenagem ao cientista britânico, considerado um dos "pais" da computação moderna.

 

Foto: Luis Lamb/Divulgação

 

Até 22 de março de 2013, a exposição – pela primeira vez no Hemisfério Sul – vai chamar a atenção, em especial, do público jovem, para a utilização da ficção científica como interface dos limites entre a realidade científica, a literatura e o cinema. Para atingir esse resultado, o evento promoverá uma competição de vídeos voltada para alunos dos ensinos fundamental e médio, por meio do uso de tecnologias de animação, e um concurso de criptografia para participantes a partir de 13 anos, além de atividades pedagógicas e culturais e distribuição de informativos.

 

Alan Turing foi um dos primeiros a vislumbrar a possibilidade de as máquinas se tornarem inteligentes, ao criar um modelo matemático teórico para o computador universal, antes que os primeiros equipamentos desse tipo de fato existissem. O invento, conhecido como Máquina de Turing, serviu de base para a moderna computação. O cientista britânico contribuiu de forma decisiva com a vitória aliada na 2ª Guerra Mundial, ao oferecer alternativas aos aliados para interpretar as mensagens criptografadas das máquinas Enigma, utilizadas pelos nazistas para se comunicar.

A exposição

 

Composta por seis áreas, a exposição oferece ao público, logo no hall de entrada, uma experiência de interação multimídia, que consiste numa mesa de acrílico com um livro que conterá páginas em branco. Na mesa, e o visitante deverá clicar no marcador escolhido (impresso). Um sistema com câmera e projetor multimídia conectados a um computador captará a escolha do visitante e alimentará as páginas em branco do livro, por meio de projeção. Essa experiência de realidade aumentada fará com que o visitante entre em contato no ambiente físico com a presença de imagens e informações virtuais.

 

Preparada para servir de fonte de estudos às atividades escolares, a exposição conduzirá o visitante à área 1, onde será apresentada uma breve biografia de Alan Turing, por meio das seções: O jovem Alan Turing; O matemático brilhante; Vencendo a guerra; O professor Alan Turing; Nasce a inteligência artificial; Últimos anos..; e Reconhecimento tardio.

 

Na área 2, a exposição mostra uma réplica da máquina Enigma, utilizada pela marinha alemã na 2ª Guerra Mundial para codificar mensagens secretas, seguida de uma série de testes interativos, do ensino da técnica de decifrar criptogramas (códigos secretos) e os chatboots, programas que simulam o comportamento humano em um diálogo.

 

A área 3, além de apresentar a Máquina Turing – dispositivo imaginário que formou a estrutura para fundamentar a computação moderna – e suas aplicações na matemática e na informática, permite ao visitante conhecer conceitos básicos da informática e a história de outros pesquisadores. A área 4 tem como tema a "Robótica – ética e ficção científica", e traz artigos sobre o encontro da ciência e da ficção, exibindo algumas imagens de filmes lendários, como Blade Runner, de Ridley Scott; Metrópolis, de Fritz Lang; e 2001: Uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick.

 

Na área 5, o público será convidado a fazer uma reflexão filosófica sobre os caminhos futuros do desenvolvimento da inteligência artificial. Na área do salão de multimeios (área 6) serão apresentados vídeos biográficos sobre Alan Turing e seu tempo: 2ª Guerra Mundial; evolução dos computadores, e da inteligência artificial. Ainda nessa área, o visitante poderá interagir com quiosques multimídia, respondendo a enquetes sobre as tendências da inteligência artificial, assim como votar nos melhores vídeos produzidos para o concurso da exposição.

Palestras e concurso de vídeo

 

A extensa programação inclui um ciclo de palestras com a participação do doutor em ciência da computação (Imperial College London) Luis da Cunha Lambra, professor titular do Departamento de Informática Teórica e diretor do Instituto de Informática UFRGS; da doutora em informática pela Technische Universität Berlin (Alemanha) Leila Ribeiro, professora associada do Instituto de Informática/UFRGS e membro do IFIP Working Group 1,3 (Foundations of System Specification); da pesquisadora associada sênior do grupo de engenharia de sistemas de software do Departamento de Ciência da Computação na University College London Sue Black, fundadora da campanha "Salve o Parque Bletchley"; e do professor Ruy Queiroz, graduado em engenharia elétrica (modalidade eletrônica) pela Universidade de Pernambuco, MSc em Informática pela Ufpe e PhD em Computação pelo Imperial College Londres.

 

Já o concurso de vídeo é voltado a jovens de 13 a 18 anos. Visa incentivá-los a usar ferramentas audiovisuais de animação 2D/3D como forma de otimizar suas habilidades de comunicação e expressão. Além disso, a ideia é proporcionar uma forma de inclusão social e de capacitação profissional para melhoria de renda no futuro pelos estudantes. A temática aborda o uso das tecnologias da informação e da comunicação (TICs) e suas possíveis contribuições à sociedade e à geração de imagens. Os vídeos devem ter um minuto de duração.

 

Alunos do ensino médio das redes pública e privada poderão enviar vídeos de curta duração pela internet, retratando como a tecnologia pode melhorar a condição social e econômica do Brasil. Os melhores resultados serão apresentados na exposição no Museu da UFRGS. Os vídeos terão votação online. O site da universidade deverá publicar, em breve, o regulamento e o prazo de inscrições para o concurso. MAIS www.museu.ufrgs.br

 

Serviço

 

55 51 3308-3390

museu@museu.ufrgs.br

 

Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Osvaldo Aranha, 277 - Campus Centro - Porto Alegre - Rio Grande do Sul

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 01:08  comentar

Outubro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

17

22
24
25

31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds