Revelando, imortalizando histórias e talentos
5.1.13

Poucas cidades representam tão bem o jeito espanhol de viver a vida. Amigos ao redor de uma mesa cheia de iguarias (pense nas mais deliciosas azeitonas, no jamón serrano, no chorizo...) e muitas garrafas dos fabulosos vinhos de Jerez.  Acrescente aí também as criações arquitetônicas mais absurdas da Andaluzia, ocupada por séculos por árabes e mouros e, depois, finalmente, pelos cristãos. Tudo à beira do belo rio Guadalquivir.

 

Catedral de Sevilha

 

 

Sevilha da época tartésica

 

Não se tem certeza, mas pensa-se que foi fundada pelos tartessos, concretamente os turdetanos, cerca do século XIII a.C., com o nome de "Hispal". Depois foi ocupada pelos fenícios e cartagineses.

 

Período  romana

 

As tropas romanas entram no ano 206 a.C., comandadas pelo general Escípio, derrotam os cartagineses, que habitavam e defendiam a região, e convertem-se nos seus sucessores no sul peninsular.

 

O general não tinha confiança na cidade pelo carácter agressivo e violento dos cartagineses, e decidiu fundar uma cidade num local próximo e ao mesmo tempo afastado para evitar beligerâncias, e é assim que nasce Itálica, actualmente em ruínas. Os romanos latinizaram o nome da cidade e chamaram-lhe Híspalis. Durante este período foi um dos conventos jurídicos da Bética, o Hispalense.

 

Metropol Parasol, em Sevilha

O Metropol Parasol,  centro de Sevilha.

 

No tempo visigoda

 

Em 426 foi tomada pelos vândalos com Gunderico como dirigente, um século depois foram substituídos pelos visigodos, e com Recaredo alcançou Sevilha o máximo apogeu da época. Depois da invasão muçulmana á Espanha, Sevilha converteu-se junto com Córdoba numa das cidades mais importantes do ocidente europeu.

 

A fase moura

 

Em 712 Musa, acompanhado pelo seu filho Abd al-Aziz ibn Musa e com um exército de 18.000 homens, cruzou o estreito e procedeu à conquista do resto do território visigodo. Ocupou Medina-Sidonia, Carmona e Sevilha e, seguidamente, atacou Mérida que após um ano de sitiada a conquistou. A cidade passou a ser território mouro. Desde Mérida, Musa, dirigiu-se a Toledo.

 

Clima

 

O clima de Sevilha é mediterrânico, com influências continentais. A temperatura media anual é de 18,6 °C, o que faz desta cidade uma das mais quentes de Europa. Os invernos são suaves. Janeiro é o mês mais frio, com médias entre 5,2 °C e 15,9 °C e os verões são muito quentes. Julho possui as medias mais altas, entre 19,4 °C e 35,3 °C e todos os anos superam-se os 40° em varias ocasiões.

 

Festas populares

 

Sem dúvida alguma, a principal festa de Sevilha é a Semana Santa, na qual 59 irmandades desfilam pelas suas ruas, saindo dos diversos templos até à "Carrera Oficial" (percurso oficial obrigatório para todas), que começa na Campana e finaliza ao sair da Catedral, onde se realiza a estação de penitência. Um terço da população participa nas confrarias como irmãos da luz, "costaleros" ou membros de uma banda. Igualmente destacável é a "Feria de Abril", festa de carácter folclórico que reúne cada ano milhares de pessoas vindas de toda Espanha (e não só) no recinto "ferial".

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 01:04  comentar

Janeiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

15
16
17
19

20
22
23
26

27
28
30


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds