Revelando, imortalizando histórias e talentos
2.4.15

ESTREIA - Em atuação impecável, Hilary Swank vive mulher com esclerose amiotrófica em “Um Momento Pode Mudar Tudo”.

 

 

 

SÃO PAULO (SP) BRASIL  – Hilary Swanke vem se firmando cada vez mais em papéis fortes, confirmando que não se trata simplesmente de um rostinho bonito. 

 

Um Momento Pode Mudar Tudo” (2014) é focado na relação que se estabelece entre Kate (Hilary Swank), uma designer e pianista clássica diagnosticada com esclerose lateral amiotrófica, e sua nova cuidadora e compositora frustrada, Bec (Emmy Rossum), que não tem talento nem para exercer a sua função, nem para se encontrar em sua vida amorosa e profissional. Uma amizade inusitada que se fortalece quando o relacionamento da paciente, aparentemente perfeito, com o seu marido Evan (Josh Duhamel) manifesta uma crise.

 

A produção segue o caminho que já foi trilhado por “Intocáveis” (2013), com a diferença que o grande sucesso francês apostava num tom de comédia e mais humanidade aos seus personagens, enquanto este investe no melodrama. Com roteiro assinado por Shana Feste e Jordan Roberts, para adaptação do livro de Michelle Wildgen, um elenco, via de regra, correto ajudam a tornar esses tipos humanos mais reais.


O destaque, não poderia deixar de ser, fica com a protagonista da película. Hilary Swank em atuação impecável, mesmo não podendo sonhar com uma estatueta por conta deste papel -, ela consegue dignificar os dois Oscar que ornam sua casa (Meninos Não Choram (1999) e a outra por (Menina de Ouro, 2004). Hilary Swank dá vida no tom ideal que o papel pede, exige. Quando a progressão da doença ocorre, seu talento fica fica mais evidente. Os pequenos detalhes, por exemplo os movimentos à alteração da respiração e da fala. Vale conferir. 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 22:43  comentar

Manoel de Oliveira, um dos expoente do cinema português, faleceu nesta quinta-feira, 2, aos 106 anos. A informação foi checada junto à produtora com a qual realizou seus últimos trabalhos, que confirmou o falecimento do bardo português.

 

SÃO PAULO (SP) BRASIL - Ele fez cerca de 60 filmes. O último foi O Velho do Restelo. Manoel de Oliveira nasceu no Porto em 11 de dezembro de 1908. Atores como Catherine Deneuve, John Malkovich e Marcello Mastroianni trabalharam com o diretor.

Histórias sobre a sua longevidade tornaram-se lendárias também e reforçaram o mito do diretor português. Em São Paulo, como convidado da Mostra de Cinema e beirando os 100 anos, Oliveira explicou seu rompimento com o produtor Paulo Branco dizendo que tinha de pensar no futuro (e Branco não estava dando conta de administrar seus muitos projetos). estava com a agenda lotada, mas Oliveira o tranquilizou, acrescentado que era para seu filme de 2014.

 

Manoel de Oliveira, muito jovem, frequentou os jesuítas mas, era o primeiro a admitir que foi mau aluno. Preferia o atletismo, e foi campeão nacional de salto com vara. Foi também piloto de automobilismo. Mas, o português não a um rabo de saia e ganhou fama de sedutor, o que permaneceu - até o fim da vida, nunca deixou de ser galante com as mulheres. Elas o amavam, as suas estrelas - Leonor Silveira, Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni.

 

O COMEÇO

 

Aos 20 anos, frequentou a escola de atores de Rino Lupo, cineasta italiano que se havia radicado no Porto e foi um dos pioneiros do cinema português.Por meio dele, conheceu a obra do vanguardista alemão Walter Ruttman. Berlim, Sinfonia de Uma Cidade impressionou-o tanto que ele teve a ideia de fazer, em 1931, Douro, Faina Fluvial. Em 1963, O Ato da Primavera marca uma revolução no seu percurso - Oliveira inicia em Portugal a prática do quer os críticos definem como a antropologia visual no cinema.

 

Somente a partir de 'O Passado e o Presente', de 1971, sua carreira cinematográfica torna-se regular e, assim mesmo, ainda se passarão alguns anos (e alguns grandes filmes, como Amor de Perdição, Francisca, Nice - A Propos de Jean Vigo, Le Soulier de Satan e Os Canibais), antes que Oliveira, a partir de Non ou a Vã Glória de Mandar, de 1991, realize um filme por ano, todos os anos.

 

Em 2008, o 'cher Manoel' recebeu das mãos de Gilles Jacob uma Palma de Ouro especial por sua carreira. Honrarias nunca lhe faltaram, e ele foi condecorado pelo presidente de Portugal e também recebeu o recebeu o doutoramento honoris causa pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

O País decretou dois dias de luto, e o enterro acontece na sexta-feira. (Formas&Meios). 

link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 22:41  comentar

Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
16
17

19
21
22
23
25

26
28
29


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds