Revelando, imortalizando histórias e talentos
26.10.20

Em atualização Procriação medicamente assistida após a morte do dador aprovada no Parlamento

LISBOA, PORTUGAL - O parlamento aprovou na generalidade esta sexta-feira um projeto de lei de uma iniciativa de cidadãos, dinamizada por uma mulher que pretende engravidar do marido que morreu e que pede que seja legislada a procriação medicamente assistida “post mortem”. O PS, BE, PCP, PEV, PAN, Iniciativa Liberal, a deputada Joacine Katar Moreira e a deputada Cristina Rodrigues votaram favoravelmente.

 

Quem votou contra: PSD e CDS 

Abstiveram-se os deputados do PS Romualda Fernandes, Isabel Rodrigues, Joaquina Matos e o deputado Filipe Neto Brandão.

A Iniciativa Legislativa de Cidadãos (ILC) para consagrar a inseminação ‘post mortem’ na lei da Procriação Medicamente Assistida (PMA) foi promovida em fevereiro por Ângela Ferreira.

“Afigura-se de extrema crueldade e discriminação que uma mulher que inicie um processo de PMA, durante a doença do seu marido ou companheiro, tendo crio-preservado o seu sémen e com consentimento prévio assinado, não possa dar continuidade ao desejo do casal e a um projeto de vida ponderado cuidadosamente e conjuntamente”, refere o projeto de lei. (AgênciaFM \ sapo.pt).

EDITORIAS: ,
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 14:00  comentar

Outubro 2020
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
27
28
29
30
31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO
subscrever feeds