Revelando, imortalizando histórias e talentos
26.12.06

Adoção por casal homossexual é aprovada na Câmara

A Comissão Especial da Lei de Adoção, da Câmara dos Deputados, aprovou no último dia 2 de janeiro o relatório que prevê a criação de dois cadastros nacionais de adoção. O texto também garante o direito à licença de 15 dias para adotantes e permite a adoção por casais homossexuais. O relatório é de autoria da deputada Teté Bezerra (PMDB-MT). A prioridade no cadastro será para adoções em território nacional. Para agilizar a inclusão das crianças nessa lista, serão fixados prazos para o decreto de perda do pátrio poder. No texto aprovado foram inseridas regras para os casos de arrependimento dos pais biológicos, o que não existe na legislação atual. De acordo com a comissão, o juiz deve avaliar o que representa maior vantagem para a criança ou adolescente. Este assunto polêmico entrará nos lares brasileiros através da novela “Páginas da Vida”, da rede Globo. Nos próximos capítulos, um casal homossexual masculino tentará adotar uma criança. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) não faz qualquer menção em relação à adoção por casal homossexual e estabelece que primordial é o bem estar da criança. Recentemente, em um caso real, a Justiça permitiu a expedição de uma certidão de nascimento de uma menina que foi adotada por um casal homossexual masculino, na cidade de Catanduva, interior de São Paulo. Esse foi um caso inédito no país, constando na certidão o nome dos dois companheiros. Além do casal de Catanduva, a Justiça já havia determinado o direito a uma certidão de nascimento para dois casais homossexuais formados por mulheres. Os casais são das cidades de Bagé (RS) e do Rio de Janeiro. A justiça julgou legítia a adoção de Theodora, entre os pais Júnior de Carvalgo, 46 e Vasco Pedro - 38 adotada em Catanduva - São Paulo / Brasil, em 21 de novembro de 2007, e estabeleceu um marco histórico no País.

João de Barros, o Braguinha, Morre aos 99 anos 

Braguinha morreu no fim da manhã deste domingo - 24/12 , o cantor e compositor  estava internado no Hospital Pró-Cardíaco, na zona sul do Rio de Janeiro (RJ), e morreu de falência multiplas de órgãos. ele se sentiu mal na noite de sábado e chegou ao hospital com uma taxa de glicose alta, falecendo horas depois. Os parentes ainda não decidiram quando será o enterro, que provavelmente acontecerá no Cemitério São João Batista, em Botafogo, onde a família tem um mausoléu.

Carlos Alberto Ferreira Braga  nasceu numa sexta-feira da Paixão, aos 29 de março de 1907, no bairro carioca da Gávea. Criado em Vila Isabel, Tijuca, foi morador apaixonado por Copacabana e sempre demonstrou em suas canções a grande paixão que sentia pela cidade. Também foi amigo de Noel Rosa, Pixinguinha e Lamartine Babo. Compôs serestas e marchas-ranchos - mas a consagração veio com as marchinhas de carnaval. Uma delas foi As Pastorinhas, reconhecida a partir de suas primeiras frases: "A estrela Dalva/ No céu desponta/ E a Lua anda tonta/ Com tamanho explendor...", que compôs em parceria com Noel Rosa e foi a campeã do concurso de músicas de carnaval do Rio, em 1938. Passou a adolescência em Vila Isabel, onde formou o grupo Bando de Tangarás (inicialmente chamado Flor do Tempo) junto com o cantor e pandeirista Almirante (Henrique Foreis Domingues), o violonista Henrique Brito e o cantor Alvinho (Álvaro de Miranda Ribeiro), além do jovem violonista e compositor Noel Rosa. O grupo desfez-se em 1933, ano em que Braguinha emplacou seus primeiros sucessos de carnaval: Moreninha da Praia e Trem Blindado, composições que já traziam os temas que iriam marcar toda a sua obra: a exaltação da mulher e a crônica bem-humorada do cotidiano.

Sucessos e mais sucessos

A década de 30 foi um período fértil para Braguinha, marcado por sucessos como Cadê Mimi? (1935), Pirata (1935) e Carinhoso (1937). O compositor atingiu o auge em 1938, quando dominou o carnaval com três marchinhas que se tornariam clássicos: Pastorinhas (com Noel Rosa), Touradas em Madrid e Yes, Nós Temos Banana (com Alberto Ribeiro). No fim de 1943, foi convidado a dirigir a gravadora Continental, que tinha em seu elenco artistas iniciantes como Dick Farney, Ademilde Fonseca e Emilinha Borba. Em menos de três anos, Braguinha levou a gravadora a competir em condições de igualdade com as veteranas do mercado. O fim da década de 40 foi novamente bastante fértil para o compositor. Lançou, no carnaval, sucessos como Pirata da Perna-de-Pau, A Mulata É a Tal (com Antônio Almeida), Tem Gato na Tuba (com Alberto Ribeiro), Chiquita Bacana (também com Ribeiro) e brilhou com sambas como Copacabana, Fim de Semana em Paquetá e A Saudade Mata a Gente. Nesse período lançou, em disco, historinhas infantis, como Chapeuzinho Vermelho. Na segunda metade da década de 60, quando o samba-enredo tomou o lugar das marchinhas no carnaval, Braguinha reduziu sua produção musical. Mesmo assim, fez sucesso em 1980 com a marcha Balancê (de 1937), relançada por Gal Costa.

 

Morreu  aos 73 anos, uma das figuras musicais mais influentes do século XX, James Brown.
Na véspera de Natal, a voz de «I Feel Good» deu entrada num hospital de Atlanta, com uma pneumonia. Acabaria por falecer hoje, dia 25, por volta da 1:45. James Brown, nascido a 3 de Maio de 1933 na Carolina do Sul, é considerado a força motriz da fusão de estilos como o gospel, R'n'B, soul e funk, tendo-se notabilizado como cantor, compositor, «performer» e produtor. Foi também um activista da causa afro-americana.

«Get Up (I Feel Like Being A) Sex Machine» e «I Got You (I Feel Good)» são as canções que, de imediato, ligamos ao nome de James Brown, mas o seu legado pode também ser comprovado em álbuns como Live At The Apollo , por muitos considerado o seu LP mais representativo, súmula da primeira década de carreira. Em 2003, este disco foi considerado pela Rolling Stone o 24º melhor de todos os tempos.

Auto-intitulado «o trabalhador mais incansável do mundo do espectáculo», Brown conheceu alguns problemas com a justiça, ainda como adolescente. A postura voltou a encontrar ecos ao longo da sua carreira, tendo sido detido por vários motivos, do uso de arma de fogo à condução de automóveis em velocidades proibitivas.

O ano de 2006 estava a ser particularmente preenchido para James Brown: o artista continuou a apresentar ao vivo a digressão Seven Decades of World Funk e, em Novembro, o seu nome passou a constar do Passeio da Fama britânico. Agendado estava um dueto com Annie Lennox, a figurar no próximo álbum da cantora britânica, com edição prevista para o início de 2007.

 

ERUDITO E POPULAR JUNTOS NA TV

Uma série de concertos voltada ao  público jovem, une grandes músicos eruditos e populares em um só lugar e tem sua estréia dia 24 dezembro com especial de Natal.

 

EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 12:43  comentar

Dezembro 2006
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
23

24
25
28
29
30

31


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO