Revelando, imortalizando histórias e talentos
11.4.09

Brasileiros são atraídos para repovoar parte da Espanha

Madrid/Espanha,9/05 - Vilarejos da área rural espanhola está atraindo famílias brasileiras que tenhan crianças com a finalidade de repovoar.
 
O local sofre com falta de crianças, e várias famílias do Brasil aceitaram a oferta de benefícios feita por vilarejos que correm o risco de desaparecer por causa da falta de habitantes jovens. No mínimo 15 municípios espanhóis estão oferecendo emprego, casa e até dinheiro para as famílias de imigrantes. O governo espanhol afirma que pelo menos 2.648 municípios passam pelo mesmo problema de falta de população, e já foram apelidadas de "cidades-fantasmas".

O vilarejo de Lorcha, com 735 habitantes encravado na montanha do à leste da Espanha, já atraiu famílias paranaenses equatorianos, cujas crianças ajudaram a manter aberta a única escola local. Sem os alunos imigrantes, as 24 crianças nascidas na em Lorca teriam de percorrer 18 km até a escola mais próxima. Segundo o prefeito de Lorca, Guillermo Moratal, a aprefeitura já deu à mãe das duas meninas brasileiras uma casa grátis e um emprego de faxineira a 7 euros por hora - cerca de R$ 21 - para amãe.

No município de Ayódar, litoral mediterrâneo, mais duas crianças brasileiras, um menino de 11 anos e uma menina de 6, colaboraram a para o não fechamento da escola.Estão agrupados com mais quatrofamílias selecionadas entre 182 candidatas, que ao aceitarem a proposta ficam sabendo que teem de repovoar a aldeia com 238 habitantes em troca de casa, trabalho e um cheque de mil euros - aproximadamente R$ 3 mil.


Desde 2000 que os municípios espanhóis iniciaram o movimento para repovoar as 'cidades-fantasmas', e foi Aguavira, centro leste do país, a primeira a lançar a proposta. Atualmente, cerca de 81% dos municípios espanhóis que passam pelo problemas de envelhecimento da população estão recebendo famílias estrangeiras. [foto: www.bbcbrasil.com.br

 

 

BIENAL DE CUBA

 

Bienal
atraiu mais de 300 artistas que parecem preocupados com a diversão. Enquanto cubanos relatam dificuldades em obter visto para expor nos Estados Unidos "é muito mais difícil obter visto para fazer algum trabalho em Cuba do que nos EUA " diz o artista irlandês Duke Riley sobre burocracia cubana.

A 10ª Bienal de Cuba atraiu muitos artistas estrangeiros mais pela solidariedade do que pelo conteúdo dos participantes. Talvez uma dezena de críticos, artistas norte-americanos e compradores comparecem a mostra para se divertir e oferecer solidariedade aos artistas cubanos que não conseguiram visto para expor nos EUA durante os 8 anos de governo de George W. Bush. Os pintores torcem para que seja este um momento para a sonhada normalização das relações entre os EUA e Cuba.
Temática
O tema da bienal é "Integração e Resistência na era Global" e, mesmo de forma discreta todos abordam as questões sobre globalização, economia e imigração. Obras como " Just Beyond my Imagination" [Apenas Além da minha imaginação] do artista de Barbados Annalee Davis [foto no alto], que reproduz um falso campo de golfe com buracos de areia em forma de ilhas do Caribe. É uma alusão como a região é usada como área de diversão pelos paises ricos.

 
A artista mais famosa da ilha dos irmãos Castro é KCHO [ Alexis Levya Machado - à esquerda] que apresenta a instalação em forma de carrossel com esculturas em madeira de representações cubanas como navio negreiro americano Maine e o Granma, barco utilizado para o transporte de Fidel Castro e seus camaradas terroristas para Cuba em 1956.
O cubano Roberto Fabelo mostra 'Sobreviventes' ao ar livre que consiste em dez grandes esculturas de baratas, ratos com faces de humanos todos subindo pelas paredes do Palácio de Belas Artes. A norte-americana, pintora e galerista Chelsea, comparece na bienal representando 12 galerias onde inclui mais de 30 artistas, patrocinados pela organização norte-americana Amistad sem fins lucrativos.

A Bienal de Cuba segue até dia 30 de abril
 

Cidade de L’ Aquila tem história sísmica que data de 1.315

Cenário de filmes como "O Nome da Rosa" estrelado por Sean Connery e Feitiço de Áquila por Mathews Broderick, sofre mais um abalo sísmico e por pouco não some do mapa italiano.
 

ROMA - 8/04 - Localizada na região de Abruzzo, sua origem remonta ao século XIII.Fundada pelo neto de Frederico Barbarossa, Frederico 2*, imperador do Sacro-Império Romano e Alemão em meados de 1.240, a cidade é uma interligação de 99 vilas. L’ Aquila tem arquitetura romântica, barroca, renascentista e gótica passou a integrar o Reino da Itália em 1.860, chegando a ocupar o posto de segunda maior do Reino de Nápoles. Encrustada no vale Apeninos a pequena cidade atraiu a atenção de cineastas que rodaram longas-metragens na fortaleza medieval Rocca Colascio o maior forte do País com 1.460 metros.

A vida pregressa de L’Aquila quanto aos terremotos datam de antanhos. Registros dão conta que os abalos acontecem desde 1.315 e seguem-se nos séculos: 1.349, 1.452, 1.501, 1.646, porém, o mais danoso foi o de 1.703 que destruiu mais da metade da cidade. Prédios que sobreviveram ao ataque de 1.703 como igreja Duomo foram duramente atingidos no abalo de 5,3 graus na madrugada de segunda-feira, 6 de abril na Itália, e domingo [5/04] à noite no Brasil. Mais de dez mil casas foram afetadas ou destruídas. Outros patrimônios: Pagânica, igreja de Santa Maria Assunta; Loretto Apruntino, onde ficam as torres da igreja de São Francisco; Goriano Sicoli: igreja Santa Gemma e o vilarejo de Onna com 300 habitantes e 40 mortos. No total 25 mil pessoas ficaram desabrigadas e 296 morreram. A vítima mais nova tinha menos de um ano e a mais idosa 98 anos. A estimativa e de que os prejuízos materiais são da ordem de 1,3 bilhão de Euros, segundo Ministério do Interior. O Vaticano dará uma concessão especial para que uma missa seja celebrada durante o enterro coletivo das vítimas em 10/04/09. A concessão se faz necessária pois no ano litúrgico, Sexta-Feira Santa é o único dia onde não se celebra missa.

Pontos

O Gran Sasso [ pedra grande em italiano] é um importante destino de esquiadores. O enorme maciço localizado no parque nacional de Gran Sasso Monti Della Laga, em funcionamento desde 1991, cujo ponto mais alto mede 2912 metros de altura. O Campo Imperatore, que conecta as estações de esqui Prati di Tivo e Fonte Cerreto tanto por estradas quanto teleféricos. Uma curiosidade, foi nesse campo onde a sorte de Benito Mussolini mudou, pois o ditador fora aprisionado em 1943 e depois resgatados por patrulhas alemãs. [David Sanchez - Especial para Agência FM - http://www.agenciafm.jor.br/ ] [Foto: Laura Milani ]
 
EDITORIAS:
link da notíciaBy Equipe formasemeios, às 22:58  comentar

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
14
15
16
17
18

19
21
22
24

26
27
28
29
30


SITES INDICADOS
Buscar
 
blogs SAPO